Uma ponte de salvação. A pintura serviu de terapia para Goya

Vicente López y Portaña (1772–1850)

Retrato de Goya pintado por Vicente López y Portaña (1772–1850) exposto no Museu Nacional do Prado, Espanha.

Especialistas acreditam que a evolução nada convencional da obra do pintor espanhol Francisco de Goya (1746-1828) reflete a sua vida atribulada, marcada por tragédias familiares, bem como por doenças sobre as quais não há consenso. 

O Museu do Prado, em Madrid, conta, citado pela Europa Press, que em meados de 1819, Goya, que era pintor da corte de Fernando VII, comprou uma casa de campo, conhecida como La Quinta del Sordo, na outra margem do rio Manzanares, na capital espanhola.

Até então, as suas pinturas eram na sua grande maioria joviais, coloridas, retratando situações do dia-a-dia, mas o artista acabou por sofrer de uma doença grave.

Quando recuperou, continua a agência espanhola, encheu as paredes da sua casa com outro tipo de pinturas, numa coleção batizada de “Pinturas Negras”, em que retratava o tempo e a morte, o destino e o mal humano, utilizando escuras e imagens macabras.

Estas mesmas obras estão agora nas paredes da galeria de arte espanhola.

Andrés Rebollo, médico residente do terceiro ano de Psiquiatria do Hospital Ramón y Cajal, em Madrid, fez uma apresentação no XXIII Congresso Nacional de Psiquiatria sobre a forma como Goya utilizou a pintura como terapia na sua vida, frisando que há várias teorias sobre este tema que está ainda longe de ser consensual.

“Há várias teorias sobre como é que a pintura serviu de ponte de salvação para Goya face às diversidades da sua vida. [O pintor] perdeu quatro dos seus cinco filhos, além da esposa. Ficou viúvo e adoeceu várias vezes, não se sabendo ainda exatamente de que doença padeceu. Além disso, viveu no tempo da guerra e trabalhou muito para ver o seu trabalho reconhecido, ficando totalmente surdo ao mesmo tempo”, disse o especialista.

Rebollo, de 27 anos, diz estudar este tema à luz da psiquiatria por considerar que há ainda “muito a dizer (…) sobre a evolução artística do pintor espanhol e sobre a forma como a pintura pode tê-lo ajudado numa vida tão traumática e complexa como foi a sua”.

“Existem muitas teorias sobre se Goya sofria de alguma doença mental, bipolaridade, ou outro problema psiquiátrico que justificou as ‘Pinturas Negras’, um trabalho muito marcante e chocante relativamente à sua atividade [artística] anterior”, continuou.

“[Goya] não sofreu de uma doença mental grave, mas era um génio sem precedentes e com uma capacidade de introspeção brutal, o que lhe permitiu captar nas suas pinturas a morte, a vida após a morte e todo o psiquismo daquele homem”, remata.

Sara Silva Alves, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Jornalistas insultados e ameaçados em jantar-comício de Ventura (sem distanciamento)

Jornalistas foram vaiados, insultados e até ameaçados num jantar-comício do Chega, este domingo. O evento não cumpriu o distanciamento social, reunindo 170 pessoas num sala com 450 metros quadrados. No domingo, no Campo de São Mamede, …

Athletic Bilbao vence Barcelona e conquista Supertaça. Messi expulso após agressão

O Athletic Bilbao ergueu a sua terceira Supertaça de futebol de Espanha, ao vencer 3-2 no prolongamento o FC Barcelona, após 2-2 no final do tempo regulamentar, na final disputada no Estádio Olímpico de Sevilha. Depois …

Regionalização, um "poema de um calceteiro" e (mais) críticas a Marcelo. O último debate presidencial

Os candidatos presidenciais juntaram-se em mais um debate conjunto antes das eleições. Falou-se da ausência de Ventura, regionalização, justiça e até jardinagem. O primeiro tema a marcar o debate das rádios foram as medidas de confinamento …

Em plena pandemia, houve cinco setores que conseguiram faturar mais do que em 2019

Apesar de a pandemia ter levado muitos setores da economia para os piores resultados de sempre, nem todos perderam faturação durante os meses de março a novembro da crise sanitária, algum conseguiram mesmo aumentar. Neste sentido, …

Pesadelo de Özil no Arsenal chega ao fim com transferência para o Fenerbahçe

O futebolista alemão Mesut Özil, dos ingleses do Arsenal, confirmou que vai assinar pelos turcos do Fenerbahçe, depois de vários meses sem jogar pelos 'gunners'. "Estou muito feliz e muito animado, por Deus me ter dado …

Palácio mais antigo da China é descoberto perto de antiga capital. Tem mais de 5000 anos

Um Palácio descoberto no sítio arqueológico de Shuanghuaishu, nos arredores da cidade de Zhengzhou, uma das oito capitais antigas da China, foi construído por volta de 3300 a.C., ou seja, tem atualmente cerca de 5.300 …

"Há exceções a mais". Marques Mendes defende que Governo deve reavaliar medidas de confinamento

No seu habitual espaço de comentário na SIC, no domingo à noite, Luís Marques Mendes falou sobre as novas medidas de confinanento e das eleições presidenciais. Depois de uma semana a bater recordes em números de …

O cenário "é de guerra" e o medo é de a perder. Temido admite que "estamos muito próximos do limite"

Após uma visita ao Hospital Garcia de Orta, que alertava no sábado para um "cenário de pré-catástrofe", Marta Temido admitiu que o Serviço Nacional de Saúde, os operadores sociais e privados estão em "extremo sobreesforço". Marta …

Discutir sobre temas controversos requer mais atividade cerebral do que concordar

Uma nova investigação da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, confirmou aquilo que o senso comum já vaticinava: discutir sobre temas controversos requer muito mais atividade cerebral do que simplesmente concordar. De acordo com a nova …

Estado de emergência vai manter-se até março. Marcelo admite confinar mais o país

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, esteve este domingo no Hospital Santa Maria, em Lisboa, onde admitiu confinar mais o país devido à pressão nos hospitais. Em declarações aos jornalistas, Marcelo Rebelo de Sousa, …