Da “política do filho único” aos incentivos à natalidade: como a China tem mudado a sua estratégia populacional

A China está a planear incluir novas medidas para estimular a taxa de natalidade do país e lidar com o rápido envelhecimento da população. A estratégia passa pelo “plano de cinco anos” que deverá estar em vigor entre 2021-2025.

De acordo com a Reteurs, a China deverá oferecer um amplo apoio financeiro para encorajar os jovens casais a ter mais filhos. Esta medida é tomada numa altura em que o envelhecimento populacional assombra o país.

Yuan Xin, vice-presidente da Associação de População da China, garante que neste sentido serão aplicadas “políticas populacionais mais inclusivas, de modo a melhorar a fertilidade, a qualidade da força do trabalho e a estrutura da população”.

No entanto, nem sempre foi assim. No século XX, o país asiático introduziu a polémica “política do filho único” (1978), com o objetivo de reduzir a pobreza e desenvolver a economia, pois acreditava-se que estes setores estavam a ser prejudicados pelo rápido crescimento populacional, sobretudo em regiões agrícolas.

Lançada pelo governo chinês, consistia numa lei segundo a qual ficava proibido, a qualquer casal, ter mais de um filho. Os casais que tivessem mais de um filho eram punidos com multas bastante pesadas. Devido a esta política existem hoje cerca de 90 milhões de filhos únicos na China, por isso são conhecidos como pequenos imperadores.

Apesar da política vigorar por vários anos, o país mais populoso do mundo decidiu, em 2016, acabar com estas restrições e permitir que os casais tivessem um segundo filho. Esta foi uma tentativa de inverter a tendência de envelhecimento que se tem registado nos últimos anos.

Alguns especialistas acreditam que agora, e com este novo plano que vai entrar em vigor no próximo ano, a China deverá descartar todos os limites impostos anteriormente.

O número de chineses com 60 anos ou mais era de 254 milhões no final do ano passado, o que representa 18,1% da população. Este número deve aumentar para 300 milhões até 2025 e 400 milhões até 2035, o que coloca uma enorme pressão sobre o sistema de saúde e assistência social do país.

Os demógrafos também preveem que, segundo as tendências atuais, o número de pessoas em idade produtiva possa diminuir em 200 milhões até 2050.

Apesar da retirada das restrições da política do filho único em 2016, o número de nascimentos por cada 1.000 pessoas caiu para um mínimo recorde de 10,48 no ano passado.

Por isso, “para enfrentar o envelhecimento da população, são necessárias medidas urgentes para reformar as políticas de planeamento familiar do nosso país”, explicou Zheng Bingwen, especialista da Academia Chinesa de Ciências Sociais.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

É agora possível os robôs mexerem-se sozinhos, graças a novos polímeros de alta energia

Através do uso de novos polímeros que armazenam mais energia e são depois aquecidos, investigadores da Universidade de Stanford conseguiram colocar manequins a mexer os braços sozinhos. Era ver robots a mexer os braços sozinhos, pelo …

"Poço do Inferno". Espeleólogos encontram serpentes, mas não demónios

No deserto da província de Al-Mahra, no leste do país, um buraco redondo e escuro de 30 metros de largura serve de entrada para uma caverna de cerca de 112 metros. Uma maravilha natural que …

Vitória SC 1-3 Benfica | “Águia” passa tranquila em Guimarães e continua a voar no topo

Naquele que era apontado como o mais duro teste à sua liderança até ao momento, o Benfica passou com relativa tranquilidade em Guimarães. Frente a um Vitória que tentou discutir o jogo de igual para igual …

Fazer umas calças de ganga exige 10 mil litros de água. Dez marcas estão a criar jeans sustentáveis

As calças de ganga são das peças de vestuário com piores impactos para o ambiente, mas há marcas que estão a apostar na sustentabilidade como um factor atractivo para os consumidores. Estão sempre na moda e …

"Guerra das matrículas" faz escalar tensão entre Sérvia e Kosovo

Esta semana, a fronteira entre o norte do Kosovo e a Sérvia esteve bloqueada por protestos de elementos da etnia sérvia, que não aceitam a decisão do governo kosovar, de etnia albanesa, de proibir a …

Num golpe de "fake it until you make it", Hong Kong vai a eleições a saber o vencedor

Hong Kong prepara-se para as primeiras eleições legislativas após as mudanças no sistema eleitoral implementadas pela China para garantir a vitória dos seus aliados. Aos olhares mais desatentos, as eleições em Hong Kong são mais um …

Stefano Pioli propõe regra de basquetebol que contribui para um "futebol de ataque"

O treinador do Milan, Stefano Pioli, propõe uma alteração nas regras do futebol que promete revolucionar o desporto rei. De forma semelhante ao basquetebol, uma vez dentro do meio campo adversário, as equipas não poderiam voltar …

Um dos maiores sites de dados sobre a covid-19 na Austrália é, afinal, gerido por adolescentes

Aproveitando o momento em que passaram a integrar as estatísticas que os próprios fazem chegar diariamente à população australiana, o grupo de três jovens revelou a sua identidade para surpresa de muitos dos seus seguidores. …

Mais cinco mortes e 713 casos confirmados em Portugal

Portugal registou, este sábado, mais cinco mortes e 713 casos confirmados de covid-19, de acordo com o mais recente boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Este sábado registaram-se mais cinco mortes e 713 novos casos …

Dirigente da Huawei detida no Canadá pode voltar à China após acordo com EUA

A justiça dos EUA aceitou hoje o acordo entre o Departamento da Justiça e a Huawei, que vai permitir à filha do fundador e diretora financeira do conglomerado chinês de telecomunicações regressar à China. Uma juíza …