Da “política do filho único” aos incentivos à natalidade: como a China tem mudado a sua estratégia populacional

A China está a planear incluir novas medidas para estimular a taxa de natalidade do país e lidar com o rápido envelhecimento da população. A estratégia passa pelo “plano de cinco anos” que deverá estar em vigor entre 2021-2025.

De acordo com a Reteurs, a China deverá oferecer um amplo apoio financeiro para encorajar os jovens casais a ter mais filhos. Esta medida é tomada numa altura em que o envelhecimento populacional assombra o país.

Yuan Xin, vice-presidente da Associação de População da China, garante que neste sentido serão aplicadas “políticas populacionais mais inclusivas, de modo a melhorar a fertilidade, a qualidade da força do trabalho e a estrutura da população”.

No entanto, nem sempre foi assim. No século XX, o país asiático introduziu a polémica “política do filho único” (1978), com o objetivo de reduzir a pobreza e desenvolver a economia, pois acreditava-se que estes setores estavam a ser prejudicados pelo rápido crescimento populacional, sobretudo em regiões agrícolas.

Lançada pelo governo chinês, consistia numa lei segundo a qual ficava proibido, a qualquer casal, ter mais de um filho. Os casais que tivessem mais de um filho eram punidos com multas bastante pesadas. Devido a esta política existem hoje cerca de 90 milhões de filhos únicos na China, por isso são conhecidos como pequenos imperadores.

Apesar da política vigorar por vários anos, o país mais populoso do mundo decidiu, em 2016, acabar com estas restrições e permitir que os casais tivessem um segundo filho. Esta foi uma tentativa de inverter a tendência de envelhecimento que se tem registado nos últimos anos.

Alguns especialistas acreditam que agora, e com este novo plano que vai entrar em vigor no próximo ano, a China deverá descartar todos os limites impostos anteriormente.

O número de chineses com 60 anos ou mais era de 254 milhões no final do ano passado, o que representa 18,1% da população. Este número deve aumentar para 300 milhões até 2025 e 400 milhões até 2035, o que coloca uma enorme pressão sobre o sistema de saúde e assistência social do país.

Os demógrafos também preveem que, segundo as tendências atuais, o número de pessoas em idade produtiva possa diminuir em 200 milhões até 2050.

Apesar da retirada das restrições da política do filho único em 2016, o número de nascimentos por cada 1.000 pessoas caiu para um mínimo recorde de 10,48 no ano passado.

Por isso, “para enfrentar o envelhecimento da população, são necessárias medidas urgentes para reformar as políticas de planeamento familiar do nosso país”, explicou Zheng Bingwen, especialista da Academia Chinesa de Ciências Sociais.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Onze mineiros resgatados com vida de uma mina de ouro na China

Onze mineiros presos há duas semanas dentro de uma mina de ouro na China, devido a uma explosão, foram hoje trazidos em segurança para a superfície, informou a televisão estatal chinesa. No dia 10 de janeiro, …

Multimilionário oferece 1 milhão em prémios por evidências de vida após a morte

Um empresário de Las Vegas, nos Estados Unidos, está a oferecer um milhão de dólares em prémios em troca de evidências de que existe vida após a morte. O investidor imobiliário e empresário espacial Robert Bigelow, …

Marcelo reeleito com 55% a 62% dos votos. Ana Gomes em segundo lugar

Marcelo Rebelo de Sousa foi reeleito para um segundo mandato como Presidente da República, após vencer as eleições deste domingo com 55% a 62% dos votos.  Segundo as primeiras projeções, Ana Gomes deverá ficar em …

Itália vai processar Pfizer e AstraZeneca devido a atrasos nas vacinas. UE pede "transparência"

A Itália vai processar a Pfizer Inc e a AstraZeneca devido aos atrasos na entrega das vacinas contra a covid-19 e para garantir os fornecimentos – não para obter compensações, disse neste domingo o ministro …

Declínio cognitivo relacionado com a idade pode ser reversível

Cientistas conseguiram reverter em ratos o declínio cognitivo causado pelo envelhecimento. O objetivo dos investigadores é que as farmacêuticas baseiem-se neste estudo para criar um composto que possa ser administrado em humanos. As células específicas do …

Afluência às urnas é menor (mas há mais votantes). Abstenção deverá ficar entre os 56 e 60%

A afluência às urnas às 16:00 nas presidenciais de hoje em Portugal, 35,4%, é a segunda mais baixa desde as eleições de 2006, ano em que este número passou a ser divulgado pela administração eleitoral. Esta …

Reino Unido já vacinou quase 6 milhões. Alemanha aumenta controlo nas fronteiras

O Reino Unido já administrou a primeira das duas doses da vacina contra o novo coronavírus em cerca de seis milhões de pessoas, quando o número de mortes no país devido à pandemia está perto …

Polícia desmantela rede de tráfico internacional de armas (e descobre santuário dedicado a Hitler)

Em dezembro, as autoridades espanholas conseguiram desmantelar uma rede ilegal de armas que operava em toda a Europa, e acabou por capturar os traficantes. O que a polícia não esperava era encontrar um armazém cheio …

Diminuição da esperança média de vida é "consequência inevitável" da pandemia

A esperança média de vida em Portugal vai necessariamente diminuir em consequência da pandemia de covid-19, defendeu um especialista, explicando que isso decorre do efeito combinado da morte de idosos, mas também de jovens em …

Novo estudo explica a importância de esterilizar os gatos antes da adolescência

Um novo estudo sugere que a idade de esterilização dos gatos deve ser antecipada de seis para quatro meses, com o objetivo de prevenir ninhadas indesejadas de gatinhos, que muitas das vezes acabam por ser …