Quando se é pobre, arranjar um emprego ajuda pouco

Paulo Novais / Lusa

Ter um emprego não ajuda as pessoas em situação de pobreza a deixarem essa condição. A conclusão é de uma investigação levada a cabo em Lisboa, com famílias pobres, que constata que encontrar trabalho “não é suficiente” para garantir uma vida condigna.

O estudo “Barómetro de Pessoas que se Encontram em Situação Vulnerável”, elaborado pelo Dinâmia-CET (Centro de Estudos sobre a Mudança Sócio-económica e o Território) do ISCTE — Instituto Universitário de Lisboa, em parceria com o Observatório de Luta Contra a Pobreza na Cidade de Lisboa, vai ser oficialmente apresentado esta terça-feira, mas é antecipado pelo jornal Público.

O projecto acompanha várias pessoas em situação de pobreza, em Lisboa, desde 2011, prolongando-se até 2020.

Até agora, ou seja, em seis anos, das 47 pessoas seguidas, só duas “podem ser consideradas como tendo saído da pobreza”, depois de terem encontrado um emprego que lhes possibilita ganhar “um rendimento suficiente para uma vida condigna”, cita o jornal.

Por outro lado, se em 2011, 12 dessas 47 pessoas seguidas eram classificadas como trabalhadores pobres, em 2017, a classificação estendeu-se a 20.

Os investigadores concluem, assim, que “o trabalho não tira as pessoas da pobreza”, constata o Público. “A inserção no mercado de trabalho é mal remunerada e, embora melhorando a situação económica familiar, não é suficiente”, notam os investigadores.

“O combate à pobreza necessita forçosamente de uma mudança de paradigma”, apontam os autores do estudo, que falam dos elevados preços da habitação como um dos grandes problemas.

Os autores destacam que, embora o “impacto das políticas públicas” seja “positivo até certa medida”, não é suficiente para tirar as pessoas de situação de pobreza, dado o peso de factores como “o mercado de trabalho, a própria economia, o acesso aos serviços e outras coisas que ultrapassam as medidas de política pública”.

Além disso, “a acção dos dispositivos de assistência [da Segurança Social] parece estar insuficientemente articulada com as políticas de emprego“, constatam.

Assim, recomendam a “aposta nas políticas de emprego, nomeadamente por via do apoio ao micro-crédito, a par de orientações estratégicas nas políticas de saúde e protecção social, bem como um acompanhamento social que faça efectivamente a mediação entre os perfis de vulnerabilidade e os recursos disponíveis”, como medidas para resolver o problema.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. É certo que nem todas as pessoas foram talhadas para trabalhar, mas a solução talvez passe por distribuir mais abonos e regalias para o mais pobres, mas também para todos aqueles que queiram viver do pensamento, criatividade, procriação e entretenimento, ou seja todos aqueles que não querem entrar no “mercado de escravos” e têm algo mais importante a dar a sociedade, fazendo-a crescer, gerar mais vida, mais oportunidades e fazendo-a sonhar todos os dias. A semelhança do que já se faz com o Desporto ao mais alto nível, um “hobbie tornado profissão”. Por exemplo e no caso de algumas pessoas menos ricas ou menos dotadas e conhecedoras do Letras/Matemáticas e afins mas que nasceram super dotadas para jogar a bola e reis e rainhas do entretenimento – o que se faz? Começa-se a dar oportunidades de os colocar em arenas (tipo gladiadores na arena) e ordenados baixos e depois conforme o talento e o trabalho, mais regalias, dinheiro e rios de dinheiro para que esse “hobbista” (desportista) possa dar frutos e motivo de orgulho a quem lhe paga (patrocinadores, clubes, empresas, sócios…) e assim fazer sonhar o Operário. O Operário tem de trabalhar para quem se sacrifica em condições extremas em favor da sociedade, mas em todas as áreas para haver justiça e equilibrio laboral. Cada “formiga operária” devia sustentar 15 ou 20 “cigarras” e neste momento Portugal está muito longe disso.

  2. Afinal os pobres não são pobres apenas por serem preguiçosos? O trabalho não tira realmente as pessoas da pobreza? Isto é realmente surpreendente! (Not!)

  3. É preciso o Dinâmia-CET para constatar o óbvio! O que será que vão constatar a seguir? Que os pobres não têm dinheiro e que o ricos têm muito? Eh pá… Fazem estudos daquilo que realmente interessa. Não percam tempo a “inventar a roda” porque ela já foi inventada.

RESPONDER

Muito mais do que só um divórcio milionário. "Perseguições a mulheres" e má fama ameaçam legado de Bill Gates

O mediático e multimilionário divórcio de Bill Gates é muito mais do que apenas a separação de um casal ao cabo de 27 anos de vida em comum. A ruptura com Melinda está a colocar …

Marcelo na Guiné Bissau

Banho de multidão e "pedras" do PAIGC e de Ana Gomes. Marcelo em visita histórica à Guiné Bissau

Marcelo Rebelo de Sousa está na Guiné-Bissau na primeira visita de um chefe de Estado português ao país em mais de 30 anos. A população recebeu Marcelo em delírio, mas a visita está a causar …

Reservas nos voos da TAP entre Portugal e Reino Unido "mais do que duplicam"

As reservas de passageiros nos voos da TAP entre Portugal e Reino Unido "mais do que duplicaram" desde que Portugal entrou na lista verde de destinos de Inglaterra, adiantou a transportadora em comunicado. "De 7 a …

Diego Costa outra vez na rota do Benfica

O avançado brasileiro, naturalizado espanhol, estará outra vez na rota dos encarnados, segundo avança a imprensa brasileira. Segundo o portal brasileiro Yahoo Esportes, o Atlético Mineiro terá abordado Diego Costa, que está livre para assinar por …

"A perceção da opinião pública é que a decisão da Operação Marquês colocou em causa o prestígio do sistema judicial"

A ex-procuradora-geral da República (PGR) deu uma entrevista, publicada esta segunda-feira, na qual abordou temas como a Operação Marquês e as novas propostas anti-corrupção. Na entrevista ao jornal online Observador, Joana Marques Vidal considerou que a …

United e City preparam guerra de licitações por Nuno Mendes

Manchester United e Manchester City estão interessados na contratação de Nuno Mendes e preparam-se para entrar numa guerra de licitações. Está cada vez mais difícil a tarefa do Sporting de manter Nuno Mendes em Alvalade. O …

Secretário de Estado confirma: final da Taça não vai ter público

O secretário de Estado da Juventude e do Desporto confirmou, esta segunda-feira, que a final da Taça de Portugal entre Sporting de Braga e Benfica, que será disputada este domingo em Coimbra, não terá público. João …

Número de funcionários públicos cresceu 3%. É o maior aumento em quase uma década

No primeiro trimestre deste ano, em comparação com o período homólogo, há mais 21 mil funcionários públicos. É o maior aumento em nove anos, atingindo um total de 725.775 trabalhadores. O número de funcionários públicos aumentou …

Rúben Dias eleito o melhor do ano da Premier League pelo The Athletic

Rúben Dias foi escolhido pelo The Athletic como o melhor jogador do ano da Premier League. O central português foi campeão ao serviço do Manchester City. A qualidade de Rúben Dias não tem passado despercebida em …

Profissionais de saúde já podem deixar o SNS. Limitação terminou com o estado de emergência

Durante a pandemia, foi criada uma limitação às transferências entre unidades e saídas para o privado, que terminou com o fim do estado de emergência. O fim do estado de emergência implica o término da limitação …