Quando se é pobre, arranjar um emprego ajuda pouco

Paulo Novais / Lusa

Ter um emprego não ajuda as pessoas em situação de pobreza a deixarem essa condição. A conclusão é de uma investigação levada a cabo em Lisboa, com famílias pobres, que constata que encontrar trabalho “não é suficiente” para garantir uma vida condigna.

O estudo “Barómetro de Pessoas que se Encontram em Situação Vulnerável”, elaborado pelo Dinâmia-CET (Centro de Estudos sobre a Mudança Sócio-económica e o Território) do ISCTE — Instituto Universitário de Lisboa, em parceria com o Observatório de Luta Contra a Pobreza na Cidade de Lisboa, vai ser oficialmente apresentado esta terça-feira, mas é antecipado pelo jornal Público.

O projecto acompanha várias pessoas em situação de pobreza, em Lisboa, desde 2011, prolongando-se até 2020.

Até agora, ou seja, em seis anos, das 47 pessoas seguidas, só duas “podem ser consideradas como tendo saído da pobreza”, depois de terem encontrado um emprego que lhes possibilita ganhar “um rendimento suficiente para uma vida condigna”, cita o jornal.

Por outro lado, se em 2011, 12 dessas 47 pessoas seguidas eram classificadas como trabalhadores pobres, em 2017, a classificação estendeu-se a 20.

Os investigadores concluem, assim, que “o trabalho não tira as pessoas da pobreza”, constata o Público. “A inserção no mercado de trabalho é mal remunerada e, embora melhorando a situação económica familiar, não é suficiente”, notam os investigadores.

“O combate à pobreza necessita forçosamente de uma mudança de paradigma”, apontam os autores do estudo, que falam dos elevados preços da habitação como um dos grandes problemas.

Os autores destacam que, embora o “impacto das políticas públicas” seja “positivo até certa medida”, não é suficiente para tirar as pessoas de situação de pobreza, dado o peso de factores como “o mercado de trabalho, a própria economia, o acesso aos serviços e outras coisas que ultrapassam as medidas de política pública”.

Além disso, “a acção dos dispositivos de assistência [da Segurança Social] parece estar insuficientemente articulada com as políticas de emprego“, constatam.

Assim, recomendam a “aposta nas políticas de emprego, nomeadamente por via do apoio ao micro-crédito, a par de orientações estratégicas nas políticas de saúde e protecção social, bem como um acompanhamento social que faça efectivamente a mediação entre os perfis de vulnerabilidade e os recursos disponíveis”, como medidas para resolver o problema.

ZAP //

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. É certo que nem todas as pessoas foram talhadas para trabalhar, mas a solução talvez passe por distribuir mais abonos e regalias para o mais pobres, mas também para todos aqueles que queiram viver do pensamento, criatividade, procriação e entretenimento, ou seja todos aqueles que não querem entrar no “mercado de escravos” e têm algo mais importante a dar a sociedade, fazendo-a crescer, gerar mais vida, mais oportunidades e fazendo-a sonhar todos os dias. A semelhança do que já se faz com o Desporto ao mais alto nível, um “hobbie tornado profissão”. Por exemplo e no caso de algumas pessoas menos ricas ou menos dotadas e conhecedoras do Letras/Matemáticas e afins mas que nasceram super dotadas para jogar a bola e reis e rainhas do entretenimento – o que se faz? Começa-se a dar oportunidades de os colocar em arenas (tipo gladiadores na arena) e ordenados baixos e depois conforme o talento e o trabalho, mais regalias, dinheiro e rios de dinheiro para que esse “hobbista” (desportista) possa dar frutos e motivo de orgulho a quem lhe paga (patrocinadores, clubes, empresas, sócios…) e assim fazer sonhar o Operário. O Operário tem de trabalhar para quem se sacrifica em condições extremas em favor da sociedade, mas em todas as áreas para haver justiça e equilibrio laboral. Cada “formiga operária” devia sustentar 15 ou 20 “cigarras” e neste momento Portugal está muito longe disso.

  2. Afinal os pobres não são pobres apenas por serem preguiçosos? O trabalho não tira realmente as pessoas da pobreza? Isto é realmente surpreendente! (Not!)

  3. É preciso o Dinâmia-CET para constatar o óbvio! O que será que vão constatar a seguir? Que os pobres não têm dinheiro e que o ricos têm muito? Eh pá… Fazem estudos daquilo que realmente interessa. Não percam tempo a “inventar a roda” porque ela já foi inventada.

RESPONDER

Meghan Markle vence primeira batalha judicial contra jornal britânico

A Duquesa de Sussex conseguiu que o Tribunal Superior de Londres optasse por manter anónima a identidade das suas cinco amigas, como parte da ação legal que está a ser levada a cabo. O 39º aniversário …

Cientistas obrigados rebatizar dezenas de genes humanos por causa do Excel

Só no ano passado, os cientistas viram-se obrigados a mudar os nomes de 27 genes humanos por causa de um erro de leitura do Microsoft Excel. Tal como explica o portal The Verge, que avança …

"Vai continuar a queimar". Covid-19 é parecida com fogo florestal, não com ondas e picos

Com o surgimento do novo coronavírus no mundo, vários especialistas previam que este iria surgir em ondas e picos. Agora a visão de futuro é outra e os especialistas dizem que a pandemia se compara …

Mudanças climáticas podem vir a causar mais mortes do que a covid-19, alerta Bill Gates

  As mudanças climáticas podem custar muito mais vidas nas próximas décadas do que a pandemia do novo coronavírus (covid-19). O alerta é do co-fundador da Microsoft, Bill Gates, que, através de uma reflexão no seu …

Descoberta a primeira disrupção gigante nas nuvens de Vénus

Uma equipa internacional de cientistas, que incluiu um investigador do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA), descobriu a "primeira disrupção gigante" nas nuvens de Vénus que tem fustigado as zonas profundas da atmosfera …

TVI aposta em estúdio a Norte. Nuno Santos quer Informação mais ao estilo da SIC Notícias do que da CMTV

O diretor-geral da TVI, Nuno Santos, afirmou, em entrevista ao jornal Público, que a estação de Queluz de Baixo vai apostar num estúdio no Norte, revelando ainda que pretende mudar a Informação do canal mais …

Fair-play financeiro. UEFA mantém restrições ao FC Porto

A UEFA informou, esta sexta-feira, que o FC Porto "cumpriu parcialmente as metas estabelecidas para a época 2019/20" a nível do fair-play financeiro e que vai manter as restrições impostas ao clube azul e branco. "O …

Procuradora-geral de Nova Iorque quer dissolver NRA após investigação de fraude

A procuradora-geral de Nova Iorque anunciou, esta quinta-feira, ter movido um processo judicial contra a National Rifle Association (NRA), depois de uma investigação que mostra que os seus dirigentes desviaram milhões de dólares para benefício …

MP abre inquérito sobre surto em lar de Reguengos de Monsaraz

O Ministério Público (MP) instaurou um inquérito sobre o surto de covid-19 num lar em Reguengos de Monsaraz, no distrito de Évora, que já provocou 18 mortos. Questionada pela agência Lusa, a Procuradoria-Geral da República (PGR) …

Ciclista Fabio Jakobsen já saiu do coma induzido

O ciclista holandês saiu do coma induzido, dois dias depois de uma violenta queda na primeira etapa do Tour da Polónia, que o deixou em estado grave e obrigou a uma cirurgia de cinco horas. "Temos …