Quando se é pobre, arranjar um emprego ajuda pouco

Paulo Novais / Lusa

Ter um emprego não ajuda as pessoas em situação de pobreza a deixarem essa condição. A conclusão é de uma investigação levada a cabo em Lisboa, com famílias pobres, que constata que encontrar trabalho “não é suficiente” para garantir uma vida condigna.

O estudo “Barómetro de Pessoas que se Encontram em Situação Vulnerável”, elaborado pelo Dinâmia-CET (Centro de Estudos sobre a Mudança Sócio-económica e o Território) do ISCTE — Instituto Universitário de Lisboa, em parceria com o Observatório de Luta Contra a Pobreza na Cidade de Lisboa, vai ser oficialmente apresentado esta terça-feira, mas é antecipado pelo jornal Público.

O projecto acompanha várias pessoas em situação de pobreza, em Lisboa, desde 2011, prolongando-se até 2020.

Até agora, ou seja, em seis anos, das 47 pessoas seguidas, só duas “podem ser consideradas como tendo saído da pobreza”, depois de terem encontrado um emprego que lhes possibilita ganhar “um rendimento suficiente para uma vida condigna”, cita o jornal.

Por outro lado, se em 2011, 12 dessas 47 pessoas seguidas eram classificadas como trabalhadores pobres, em 2017, a classificação estendeu-se a 20.

Os investigadores concluem, assim, que “o trabalho não tira as pessoas da pobreza”, constata o Público. “A inserção no mercado de trabalho é mal remunerada e, embora melhorando a situação económica familiar, não é suficiente”, notam os investigadores.

“O combate à pobreza necessita forçosamente de uma mudança de paradigma”, apontam os autores do estudo, que falam dos elevados preços da habitação como um dos grandes problemas.

Os autores destacam que, embora o “impacto das políticas públicas” seja “positivo até certa medida”, não é suficiente para tirar as pessoas de situação de pobreza, dado o peso de factores como “o mercado de trabalho, a própria economia, o acesso aos serviços e outras coisas que ultrapassam as medidas de política pública”.

Além disso, “a acção dos dispositivos de assistência [da Segurança Social] parece estar insuficientemente articulada com as políticas de emprego“, constatam.

Assim, recomendam a “aposta nas políticas de emprego, nomeadamente por via do apoio ao micro-crédito, a par de orientações estratégicas nas políticas de saúde e protecção social, bem como um acompanhamento social que faça efectivamente a mediação entre os perfis de vulnerabilidade e os recursos disponíveis”, como medidas para resolver o problema.

ZAP //

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. É certo que nem todas as pessoas foram talhadas para trabalhar, mas a solução talvez passe por distribuir mais abonos e regalias para o mais pobres, mas também para todos aqueles que queiram viver do pensamento, criatividade, procriação e entretenimento, ou seja todos aqueles que não querem entrar no “mercado de escravos” e têm algo mais importante a dar a sociedade, fazendo-a crescer, gerar mais vida, mais oportunidades e fazendo-a sonhar todos os dias. A semelhança do que já se faz com o Desporto ao mais alto nível, um “hobbie tornado profissão”. Por exemplo e no caso de algumas pessoas menos ricas ou menos dotadas e conhecedoras do Letras/Matemáticas e afins mas que nasceram super dotadas para jogar a bola e reis e rainhas do entretenimento – o que se faz? Começa-se a dar oportunidades de os colocar em arenas (tipo gladiadores na arena) e ordenados baixos e depois conforme o talento e o trabalho, mais regalias, dinheiro e rios de dinheiro para que esse “hobbista” (desportista) possa dar frutos e motivo de orgulho a quem lhe paga (patrocinadores, clubes, empresas, sócios…) e assim fazer sonhar o Operário. O Operário tem de trabalhar para quem se sacrifica em condições extremas em favor da sociedade, mas em todas as áreas para haver justiça e equilibrio laboral. Cada “formiga operária” devia sustentar 15 ou 20 “cigarras” e neste momento Portugal está muito longe disso.

  2. Afinal os pobres não são pobres apenas por serem preguiçosos? O trabalho não tira realmente as pessoas da pobreza? Isto é realmente surpreendente! (Not!)

  3. É preciso o Dinâmia-CET para constatar o óbvio! O que será que vão constatar a seguir? Que os pobres não têm dinheiro e que o ricos têm muito? Eh pá… Fazem estudos daquilo que realmente interessa. Não percam tempo a “inventar a roda” porque ela já foi inventada.

RESPONDER

ADN revelou quem teve casos extraconjungais nos últimos 500 anos

Os cientistas revelaram que membros da sociedade tinham mais probabilidade de ter filhos fora do casamento ao estudar o ADN de pessoas da Europa ocidental nos últimos 500 anos. A densidade populacional do local onde uma …

O Ártico pode ficar sem gelo no verão de 2044

As mudanças climáticas provocadas pelo Homem estão muito perto de tornar o Ártico livre de gelo, já a partir do verão de 2044. Um artigo científico, publicado recentemente na Nature Climate Change por investigadores da Universidade …

Estamos sozinhos no Universo? Cientistas detalham que exoplanetas poderiam albergar vida

Através da modelagem climática, uma equipa de cientistas da Universidade de Northwestern, nos Estados Unidos, apontou que tipo de planetas têm maior probabilidade de serem habitáveis. A descoberta pode ajudar os astrónomos a selecionar áreas …

Viagens ao Espaço têm um novo perigo desconhecido para os astronautas

Há um perigo inerente às longas viagens espaciais dos astronautas desconhecido até aos dias de hoje. Um novo estudo aponta que os cosmonautas podem ver o seu fluxo sanguíneo revertido na parte superior do corpo. A …

Macrocilix maia, a misteriosa traça que tem moscas a comer fezes nas suas asas

Macrocilix maia é uma espécie de traça que se destaca pela forma como se camufla dos seus predadores. Nas suas asas vê-se duas moscas a comer excrementos de pássaro. A natureza nunca falha em surpreender-nos e …

Há provas que ligam misteriosa doença que paralisa crianças a vírus raro

Pela primeira vez, foram encontradas provas da associação do Enterovírus D68, um vírus raro até há algum tempo, à Mielite Flácida Aguda, uma doença semelhante à poliomielite que tem afectado centenas de crianças, provocando a …

Antigos egípcios podem ter encurralado milhões de pássaros só para os mumificar

Novas evidências de ADN sugerem que os antigos Egípcios capturavam pássaros selvagens para sacrifícios ritualísticos (e para os poderem mumificar depois). As catacumbas egípcias contêm milhares de pássaros mumificados, especificamente íbis-sagrados (Threskiornis aethiopicus), empilhados uns sobre …

Estudo mostra que sondagens tendenciosas enviesam eleições políticas

Através de experiências práticas, uma investigação recente sugere que as sondagens tendenciosas podem influenciar e enviesar as eleições políticas, até mesmo nas grandes democracias. Enquanto uma eleição se aproxima no Reino Unido e uma votação presidencial …

A Rússia criou a arma mais mortífera da história. Foi há 72 anos

Comummente conhecida por AK-47, a espingarda Kalashnikov foi responsável por milhões de mortes durante a nossa História, sendo uma das armas mais populares do mundo e a mais fabricada pela indústria de armamento. Segundo o The Conversation, …

Luxemburgo 0-2 Portugal | Campeão marca presença no Euro

Portugal venceu o Luxemburgo por 2-0 e apurou-se para a fase final do Euro2020 – a 11ª presença consecutiva da turma das “quinas” em fases finais de grandes competições. Num encontro mal jogado, em parte pelas …