Lion Air. Pilotos do Boeing tinham apenas 40 segundos para se salvarem

Numa simulação do voo da Lion Air, que se despenhou no mar de Java em outubro do ano passado, os pilotos de testes descobriram que tinham menos de 40 segundos para ultrapassar o sistema automático dos Boeing 737 Max 8 e evitar o acidente.

Durante as simulações que recriaram os problemas do voo da Lion Air, que se despenhou em outubro do ano passado no mar de Java, na Indonésia, os pilotos descobriram que tinham menos de 40 segundos para contornar um sistema automatizado nos novos aviões da Boeing de modo a evitar o acidente.

Segundo o The Independent, estiveram envolvidos nas simulações diferentes pilotos de companhias aéreas distintas. Estes profissionais tinham como objetivo perceber como é que o 737 Max responderia com o software originalmente previsto e com a versão atualizada do mesmo.

Os pilotos testaram uma situação semelhante à que os investigadores suspeitam ter acontecido aquando da queda do Lior Air, na Indonésia. Algumas das simulações foram realizadas em Renton, onde o 737 Max é construído, no último sábado, e foram realizadas por pilotos da American Airlines, da United Airlines, da Southwest Airlines, da Copa Airlines e da FlyDubai.

Nos testes registou-se a falha de um único sensor que ativou o software desenvolvido para ajudar a prevenir o estol – termo técnico usado para descrever situação de queda ou perda de sustentação da aeronave.

O sistema automatizado, conhecido como MCAS (Maneuvering Characteristics Augmentation System), está na mira das autoridades que estão a investigar o que aconteceu no desastre de outubro. No entanto, as autoridades que investigam o acidente da Ethiopian Airlines estão também atentas, uma vez que ambas as aeronaves tinham o mesmo modelo do Boeing.

O MCAS é um sistema que é ativado de forma automática sem a ordem do piloto e que aplica um estabilizador horizontal quando o avião entra em situação de estol. Essa ativação depende da informação que é enviada por sensores e outros sistemas tecnológicos da aeronave.

No caso particular do acidente da Lion Air com um Boeing 737 Max 8, os sensores terão enviado a informação errada.

Nas simulações, os pilotos tiveram apenas breves momentos para desativar o sistema e evitar o acidente. Duas fontes envolvidas nos testes e ouvidas pelo The New York Times, os pilotos que realizaram as simulações nunca se tinham apercebido do quão poderoso é o sistema em causa.

Ainda assim, existem procedimentos que têm como objetivo neutralizar o sistema MCAS. Se o sistema começar a puxar o nariz do avião para baixo, por exemplo, os pilotos são capazes de reverter o movimento acionando um interruptor com o polegar, que prolonga a janela de 40 segundos, dando-lhes mais tempo para reagir.

Além deste, há outros procedimentos para neutralizar o MCAS, coisa que os pilotos que realizaram as simulações conseguiram fazer. No entanto, é preciso ter em conta que estes profissionais têm mais conhecimento de como funciona o sistema do que os pilotos que faleceram na sequência dos dois acidentes.

Segundo o site FlightlGlobal, os pilotos que voavam com o anterior modelo 737 da Boeing, e que começaram então a voar com o novo 737 Max 8, tiveram de fazer apenas um “breve curso de diferenças” para se adaptarem às diferenças do novo aparelho.

Até ao momento, ainda não foi possível determinar o que aconteceu nos desastres da Lion Air, em outubro de 2018, e no da Ethiopian Airlines, na Etiópia. No entanto, segundo o que já foi apurado, não restam dúvidas de que os pilotos da Lion Air receberam pouco treino sobre este sistema – tendo em conta que, durante os minutos finais do voo, o capitão procurou num manual técnico explicações para o que estava a acontecer.

LM, ZAP //

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. “…durante os minutos finais do voo, o capitão procurou num manual técnico…”
    Agora eu a criticar, não tem jeito nenhum estar eu a escrever isto!
    Ora bem, se isto é possível, porque será que somos impedidos de conduzir a carta Z porque a X é a que temos, mesmo que até seja quase a mesma coisa, ou até mais fácil de conduzir?
    Ou…
    “Amigo chega aí o manual do carro que nem sei onde é o travão, RAPIDO que tenho que travar!!!”
    ………sem mais comentários………

    • Esse tipo de comentário só podia vir dum tremendo burro.. Se soubesses minimamente os procedimentos em aeronáutica nem sequer dizias merdas

  2. “prevenir o estol – termo técnico usado para descrever situação de queda ou perda de sustentação da aeronave.”
    – O termo técinco é “Stall” ou, em português, perda de sustentação.

    • es·tol
      substantivo masculino
      [Aeronáutica] Fenómeno aerodinâmico em que há diminuição da força de sustentação, com perda de velocidade e de altitude por a diferença entre a pressão do ar de baixo para cima nas asas e a pressão de cima para baixo não ser suficiente para manter a aeronave no ar. = PERDA
      Estol“, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa

RESPONDER

ESA prepara-se para intercetar pela primeira vez um cometa puro

A Agência Espacial Europeia (ESA) desenvolveu um projeto que visa intercetar um cometa puro - um corpo celeste que nunca passou pelo Sistema Solar -, quando este se aproximar da órbita da Terra em meados …

Astrónomos encontraram uma nova (e surpreendente) cratera em Marte

Marte não se "magoa" facilmente mas, quando acontece, o resultado pode ser quase comparado a uma obra de arte. Uma cratera, descoberta em abril pela sonda Mars Reconnaissance Orbiter (MRO), é a prova disso. Notável não só …

Elon Musk alerta: Civilização pode colapsar daqui a 30 anos

De acordo com Elon Musk, uma "bomba populacional" vai surgir nas próximas décadas, quando uma população mundial cada vez mais idosa chocar com a queda das taxas de natalidade em todo o mundo. Esta não é …

O mundo árabe está menos religioso. Mas continua homofóbico

Há cada vez mais árabes que dizem não ter religião. Esta é a principal conclusão de uma grande sondagem feita a mais de 25 mil cidadãos de países árabes pelo centro de pesquisa Arab Network …

Tina morreu durante 27 minutos e foi ressuscitada 8 vezes. Quando acordou, escreveu "é real"

Uma mulher norte-americana entrou em paragem cardíaca em fevereiro de 2018 quando se preparava para fazer uma caminhada com o seu marido Brian. Depois de desmaiar, Brian ressuscitando-a duas vezes antes de os paramédicos chegarem para …

"Homem-árvore" pede que as suas mãos sejam amputadas

Abul Bajandar, um homem de 28 anos do Bangladesh conhecido como "Homem-árvore" devido às incomuns verrugas que nascem nos seus membros, pediu que as suas mãos fossem amputadas para aliviar as dores insuportáveis.  Bajandar sofre de …

EUA. Senadores republicanos do Oregon fogem para não aprovar lei ambiental

Senadores estaduais do Oregon, nos Estados Unidos (EUA), encontram-se a monte desde quinta-feira para não votarem uma lei ambiental. Procurados pela polícia, voltaram este domingo a faltar a uma sessão legislativa, impedindo que haja quórum …

O planeta enfrenta um "apartheid climático"

O planeta está confrontado com um “'apartheid' climático”. De um lado, os ricos que se podem adaptar melhor às alterações climáticas, e do outro, os pobres que vão sofrer mais, disse esta segunda-feira um especialista …

Governo repõe 40 horas semanais para trabalhadores do CNB. Greve mantém-se

A partir de 1 de julho, os trabalhadores da Companhia Nacional de Bailado (CNB) voltarão às 40 horas semanais, numa uniformização laboral com os trabalhadores do Teatro Nacional de São Carlos. A decisão foi comunicada, esta …

Nova espécie de planta fóssil descoberta em Gondomar

Annularia noronhai foi encontrada no meio da cidade de Gondomar. Tem 300 milhões de anos, é um parente muito afastado da cavalinha e diz muito sobre o clima da época. Uma nova espécie de planta já …