/

Um petisco vietnamita de porco cru pode ajudar a manter os alimentos frescos

(dr) RMIT University

Nem Chua

“Nem Chua”, um petisco de porco fermentado muito popular no Vietname, está a ajudar os cientistas a desenvolver um conservante de alimentos seguro e totalmente natural.

Nem Chua é comido cru, mas não causa intoxicação alimentar quando preparado corretamente, uma vez que as bactérias que se desenvolvem na carne fermentada formam um composto especial que destrói as bactérias mais perigosas.

Cientistas da RMIT University em Melbourne, na Austrália, mostraram de que forma este composto natural que mata bactérias pode ser usado para manter os alimentos frescos durante mais tempo.

Citado pelo EurekAlert, Oliver Jones explicou que o composto presente neste petisco vietnamita é “incolor, inodoro, insípido e muito resistente”, o que o torna muito atraente para os investigadores que lutam por produzir compostos destruidores de bactérias em quantidades suficientes para serem usados pela indústria alimentar.

Com este estudo, os cientistas identificaram as condições de crescimento certas que permitiriam produzir o composto em grandes quantidades. “Esperamos que esta seja uma solução eficaz, segura e totalmente natural para o desperdício de alimentos e doenças.”

O composto chama-se plantaciclina B21AG e faz parte de um grupo conhecido como bacteriocinas, que são produzidas por bactérias para destruir estirpes bacterianas rivais.

As bacteriocinas formam orifícios nas membranas das bactérias-alvo, o que faz com que o conteúdo da célula escoe e as bactérias morram. O problema é que a maioria das bacteriocinas só funciona contra um ou dois tipos de bactérias e não são muito estáveis ​​em diferentes condições ambientais.

O composto derivado de Nem Chua é eficaz contra uma ampla gama de bactérias, mesmo após a exposição a uma variedade de ambientes típicos de processamento de alimentos. Segundo o portal, consegue sobreviver mesmo se for aquecido a 90ºC durante 20 minutos e permanecer estável a níveis altos e baixos de pH.

Além disso, o composto pode destruir uma variedade de organismos causadores de doenças, comummente encontrados em alimentos. O artigo científico com as descobertas foi recentemente publicado na Process Biochemistry.

  Liliana Malainho, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE