/

15% dos americanos acreditam que os EUA são controlados por “pedófilos adoradores do Satanás”

4

Uma nova pesquisa mostrou que 15% dos norte-americanos acredita na teoria, criada pelo QAnon, de que o governo, os media e o mundo financeiro dos Estados Unidos (EUA) “são controlados por um grupo de pedófilos adoradores do Satanás que dirigem uma operação global de tráfico sexual infantil”.

De acordo com a pesquisa, realizada pelo Public Religion Research Institute (PRRI) e divulgada pelo IFLScience!, esta é uma das teorias do movimento de conspiração QAnon, inspirado por um anónimo norte-americano que assina “Q”, que, entre outras crenças, defendia que Donald Trump venceria as eleições de novembro de 2020.

Nesta pesquisa, ao invés de perguntar diretamente às pessoas se acreditam no QAnon, o PRRI perguntou a mais de 5.149 adultos nos EUA se concordam com as crenças básicas associadas ao grupo. Embora essas estejam a perder seguidores, a pesquisa revelou 15% dos inquiridos concordou com a teoria sobre os “adoradores de Satanás”.

A crença é mais predominante entre aqueles que acedem às notícias através dos media de extrema direita – como o One America News Network e o Newsmax -, pessoas que não vêem notícias na televisão e que confiam na Fox News. A pesquisa mostrou ainda que os republicanos têm muito mais probabilidade de acreditar na teoria do que os democratas.

A pesquisa mostrou ainda que 20% dos inquiridos acredita noutra teoria, também criada pelo QAnon, que indica que, “em breve, virá uma tempestade que removerá as elites do poder e restaurará os líderes legítimos”, mantendo-se os padrões quanto à orientação política e ao consumo de notícias.

Outra conclusão da pesquisa é que 15% dos entrevistados concordam que os “verdadeiros patriotas norte-americanos podem ter que recorrer à violência para salvar o país”. Dos total de participantes, 9% defende ainda que “a vacina para a covid-19 contém um ‘microchip’ de vigilância, sinal da besta na profecia bíblica”.

  Taísa Pagno //

4 Comments

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.