Pequim dispara mísseis de aviso aos EUA no Mar do Sul da China

Mass Communication Specialist 2nd Class Scott Webb

USS Peleliu no Mar do Sul da China.

O exército chinês lançou dois mísseis para o Mar do sul da China, incluindo um “destruidor de porta-aviões”, que analistas sugerem ter como alvo as forças norte-americanas na região, informou esta quinta-feira um jornal de Hong Kong.

Os mísseis DF-26B e DF-21D disparados na quarta-feira tiveram como alvo uma área entre a província insular de Hainan e as Ilhas Paracel, avançou o jornal “South China Morning Post”, que cita fontes não identificadas próximas ao Exército de Libertação Popular, as forças armadas chinesas.

Os ministérios da Defesa e dos Negócios Estrangeiros da China não confirmaram ainda aquela informação.

As disputas pela soberania do Mar do Sul da China, uma das rotas comerciais mais movimentadas do mundo, são cada vez mais fonte de tensão entre Pequim e Washington e os países do sudeste asiático.

Washington rejeitou este ano a maioria das reivindicações de Pequim de soberania sobre a quase totalidade do mar, que é também disputado pelo Vietname, Filipinas ou Malásia.

O lançamento dos mísseis na quarta-feira surgiram após reclamações chinesas de que um avião de espionagem dos EUA, o U2, entrou numa “zona de exclusão aérea” declarada por Pequim durante um exercício militar no norte do país.

Zhao Lijian, porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês, disse que os voos do avião norte-americano foram “ações de provocação” e garantiu que Pequim não vai “dançar ao ritmo dos EUA”. Por sua vez, o embaixador no Reino Unido, Liu Xiaoming, citado pelo jornal Público, acusou Washington de ter “perturbado gravemente” as “atividades de treino” e os normais exercícios dos chineses.

O DF-21 é altamente preciso e foi apelidado de “destruidor de porta-aviões” por analistas militares, que acreditam que foi desenvolvido tendo como alvo os porta-aviões dos EUA que se envolvam num potencial conflito com a China.

Pequim tem aumentado consecutivamente o orçamento da Defesa, ao longo das últimas duas décadas, visando desenvolver mísseis, aviões de combate, submarinos nucleares e outras armas que lhe permitam expandir o seu alcance militar para além das regiões costeiras.

O DF-26B foi lançado da província de Qinghai, no noroeste do país, enquanto o DF-21D foi disparado na província de Zhejiang, na costa leste, avançou o “South China Morning Post”.

Acredita-se que o DF-26 é capaz de transportar ogivas nucleares ou convencionais, o que violaria o Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermédio, assinado entre Washington e Moscovo durante a Guerra Fria.

O Governo de Donald Trump citou o desenvolvimento do DF-26 e de armas similares pela China quando se retirou daquele tratado no ano passado.

China condena sanções dos EUA

O Governo chinês acusou, esta quinta-feira, Washington de violar a lei internacional ao impor sanções a autoridades e empresas envolvidas na construção de ilhas artificiais no Mar do Sul da China. Washington rejeita as reivindicações territoriais chinesas.

Em julho passado, o Governo de Donald Trump elevou a disputa para um novo nível ao declarar ilegítimas quase todas as reivindicações marítimas da China, numa declaração que favorece as Filipinas, Vietname, Taiwan e Brunei.

“As ações dos EUA interferem grosseiramente nos assuntos internos da China, violam o direito internacional e as normas internacionais relevantes”, disse o porta-voz do ministério dos Negócios Estrangeiros da China.

O Departamento de Comércio anunciou na quarta-feira sanções contra um número não especificado de funcionários chineses e 24 empresas, devido ao seu papel na construção de ilhas artificiais que avançam com a estratégia de Pequim no Mar do Sul.

As empresas foram adicionadas a uma “lista de entidades” que têm acesso limitado às exportações norte-americanas.

“A China tomará medidas firmes para salvaguardar resolutamente os direitos e interesses legítimos das suas empresas e cidadãos”, disse Zhao. As autoridades chinesas fizeram comentários semelhantes em disputas anteriores, embora muitas vezes não sejam seguidas por nenhuma ação oficial.

O Departamento de Comércio disse que as empresas foram visadas pelo seu papel na construção de ilhas artificiais, por meio de operações de dragagem e outras atividades que causaram danos ambientais e infringiram as reivindicações de outras nações.

“A construção relevante que a China realizou no seu próprio território insere-se inteiramente na sua soberania e não tem nada a ver com militarização”, disse Zhao.

“Não há razão para os EUA imporem sanções ilegais a empresas e indivíduos chineses por causa da sua participação em construções domésticas relevantes”, acusou.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Não se está a dar a devida atenção a esta contenda. A China tem assediado e desrespeitado os países na região, reclamando território alheio e construindo bases militares em ilhas artificiais. A presença dissuasora dos EUA tem sido importante para estes países. A situação é tensa e pode escalar rapidamente. A China tem aproveitado o aproximar das eleições para “esticar a corda”, pois sabe que Trump deverá evitar confrontos. A China, de vocação totalitarista e narcisista , à boa maneira comunista, tem se revelado a maior ameaça mundial, ainda acrescido destas peripécias como o vírus da China, tendo já as mãos manchadas de sangue de vários inocentes espalhados pelo mundo, a somar aos que estão para vir. A grande influência económica e financeira em terras além-mar tem garantido carta branca por vários governos sem coluna vertebral. Enfim. Haja Trump.

RESPONDER

Os polegares dos neandertais adaptaram-se a ferramentas com pega

Os polegares dos neandertais adaptaram-se para segurar melhor ferramentas com pega, da mesma forma como utilizamos atualmente um martelo, revela uma nova investigação da Universidade de Kent, no Reino Unido. A mesma investigação sugere ainda …

Sporting 2-1 Moreirense | JackPote rende pontos ao “leão”

O “Leão” soma e segue na liderança do campeonato, depois de vencer o Moreirense por 2-1, graças a um bis Pedro Gonçalves. Neste sábado, na recepção ao Moreirense, num embate relativo à oitava jornada, sofreu, mas conseguiu …

Raro crustáceo parasita descoberto na boca de um tubarão em exibição num museu

Uma equipa de cientistas descobriu uma espécie extremamente rara de Cymothoidae na boca de um espécime de tubarão capturado no Mar da China Oriental e agora em exibição num museu. Os Cymothoidae são uma família de isópodes …

Série da Netflix faz disparar venda de jogos de xadrez nos Estados Unidos

A série "The Queen’s Gambit", da plataforma de streaming Netflix, que retrata a ascensão de uma jovem jogadora de xadrez na década de 1950, fez disparar as vendas deste jogo de tabuleiro nos Estados Unidos. …

Novo comité central do PCP eleito com 98,5%

O novo comité central do PCP foi este domingo eleito no XXI congresso nacional dos comunistas, em Loures, com 98,5% dos votos. Dos 611 delegados, 602 votaram a favor, seis abstiveram-se e três votaram contra na …

Elefante salvo de um poço profundo na Índia. Resgate durou 14 horas

Uma equipa de 50 pessoas ajudou a salvar um elefante que tinha caído num poço profundo em Dharmapuri, no sul da Índia. Moradores locais atiraram folhas de bananeira para o animal comer antes de ser …

Santa Clara 0-1 Porto | Magia de Díaz resolve jogo pobre

Missão cumprida. O Porto viajou até aos Açores para defrontar o Santa Clara e leva na bagagem os três pontos. Mas não o conseguiu com brilhantismo, longe disso. A eficácia foi a palavra de ordem, num …

Raro pinguim totalmente branco encontrado nas Ilhas Galápagos

Um raro pinguim com o corpo totalmente "pintado" de branco foi encontrado no arquipélago das Galápagos, no Equador. Em comunicado, o Parque Nacional das Galápagos detalha que o raro espécime foi encontrado enquanto um guia fazia …

A China tem 8 milhões de cegos, mas apenas 200 cães-guia. Há uma razão

A China tem 8 milhões de cegos, mas apenas 200 cães-guia. As cidades populosas, as vias não adaptadas, as poucas escolas de treino e a própria população são entraves à existência destes companheiros (e verdadeiros …

Governo das Ilhas Salomão quer banir o Facebook para preservar a União Nacional

O Governo das lhas Salomão quer banir temporariamente a rede social Facebook numa tentativa de combater o cyberbullying e a difamação, alegando que a plataforma está a "minar" a União Nacional. A decisão, que já …