Pence descarta 25.ª emenda. Câmara dos Representantes avança para destituição de Trump

Stefani Reynolds / EPA

O Presidente cessante dos Estados Unidos, Donald Trump

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, descartou na segunda-feira a possibilidade de invocar a 25.ª emenda para destituir o Presidente cessante, Donald Trump. Mas, na terça-feira, a Câmara dos Representantes decidiu aprovar a resolução de qualquer forma. A terceira representante do Partido Republicano mais importante no Congresso, Liz Cheney, vai votar a favor do impeachment.

Não creio que tal ação seja no melhor interesse da nossa nação ou seja consistente com a nossa Constituição”, escreveu Pence numa carta dirigida à presidente da Câmara dos Representantes, a democrata Nancy Pelosi, antes de a instituição votar uma resolução que insta o vice-presidente a ativar esse procedimento.

Na carta, Mike Pence recordou que só faltam alguns dias até Donald Trump deixar a Casa Branca, a 20 de janeiro, e defendeu que o mecanismo, nunca usado até aqui, não tem cabimento neste caso, nos termos constitucionais.

“Segundo a nossa Constituição, a 25.ª emenda não é um meio de punição ou de usurpação”, escreveu, defendendo que recorrer ao procedimento “criaria uma terrível jurisprudência”.

Mike Pence, que presidiu à sessão conjunta do Congresso no dia da invasão por apoiantes de Trump, recordou ainda que nessa altura recusou bloquear a certificação dos resultados eleitorais, apesar da pressão do Presidente para o fazer.

Na semana passada, não cedi à pressão para exercer o meu poder para além da minha autoridade constitucional a fim de determinar o resultado da eleição, e não cederei agora à tentativa da Câmara dos Representantes de fazer jogadas políticas num momento tão grave”, escreveu.

O vice-presidente cessante exortou ainda os membros do Congresso a “evitar qualquer ação que divida mais profundamente” o país.

“Trabalhem connosco para acalmar os ânimos e unir o nosso país enquanto nos preparamos para a tomada de posse” de Joe Biden como “próximo Presidente dos Estados Unidos”, a 20 de janeiro.

Após a recusa de Pence, a Câmara dos Representantes aprovou na terça-feira uma resolução instando o vice-presidente a invocar a 25.ª emenda da Constituição para destituir Donald Trump, e vai avançar na quarta-feira com legislação com vista à destituição (impeachment) de Trump

A proposta, que exorta o vice-presidente a ativar esse procedimento, declarando o Presidente inapto para as suas funções, obteve 223 votos a favor e 205 contra.

Apenas um republicano, o congressista Adam Kinzinger, eleito pelo estado do Illinois, votou a favor da resolução naquela câmara, dominada pelos democratas.

O projeto da Lei da Destituição, de quatro páginas, dá conta, entre outras razões, de declarações falsas feitas por Trump alegando que teria derrotado o democrata Joe Biden nas eleições de 3 de novembro e das pressões sobre as autoridades da Geórgia para que se encontrassem mais votos para dar a vitória ao Presidente cessante.

A invasão do Capitólio é outro dos argumentos, considerando que Trump incitou os seus apoiantes a “lutarem como nunca” contra a alegada fraude eleitoral, o que levou os manifestantes a romperem os cordões policiais e a entrarem no Capitólio.

“O Presidente Trump colocou em risco a segurança dos Estados Unidos e das suas instituições governamentais”, refere-se no projeto de lei dos representantes democratas David Cicilline (Rhode Island), Ted Lieu (Califórnia), Jamie Raskin (Maryland) e Jerrold Nadler (Nova York).

“[Trump] ameaça a integridade do sistema democrático, interfere na transição pacífica de poder, e traiu a confiança. Continuará a constituir-se como uma ameaça à segurança nacional, à democracia e à Constituição se se mantiver [na Casa Branca]”, acrescenta-se no texto.

Terceira republicana mais importante vai votar a favor

De acordo com o jornal Expresso, Liz Cheney, terceira na hierarquia republicana no Congresso, vai votar a favor do afastamento imediato de Donald Trump da Presidência.

Nunca houve uma maior traição de um Presidente às suas funções e ao juramento da Constituição”, justifica a republicana, considerando que Trump incitou à invasão do Capitólio há uma semana.

Liz Cheney é filha do ex-vice-presidente dos EUA Dick Cheney, que serviu com o ex-presidente George W. Bush, que a propósito do ataque ao Capitólio arrasou o comportamento de Donald Trump.

“Isto é como os resultados eleitorais são disputados na república das bananas – não na nossa república democrática. Fico estupefacto pelo comportamento irresponsável de alguns líderes políticos desde o dia das eleições e pela falta de respeito hoje demonstrada pelas nossas instituições, tradições e lei”, disse há uma semana George W. Bush, numa nota assinada com a ex-primeira-dama Laura Bush.

Youtube suspende canal de Trump durante sete dias

O Youtube eliminou na terça-feira um vídeo do canal de Donald Trump, por violar a política da empresa contra o incitamento à violência, e suspendeu a utilização naquela plataforma durante sete dias.

“Dadas as preocupações com o atual risco de violência, removemos novo conteúdo posto online no canal de Donald J. Trump, por violar as nossas políticas”, explicou em comunicado a plataforma, sem dar mais informações sobre o vídeo eliminado.

O canal do ainda Presidente dos Estados Unidos está agora suspenso “durante pelo menos sete dias”, ao abrigo dos termos de utilização, acrescentou o Youtube.

Na semana passada, o Facebook suspendeu as contas de Donald Trump naquela rede social e no Instagram, após as cenas de violência no Capitólio, a 6 de janeiro, quando decorria uma sessão conjunta do Congresso para certificar a vitória do democrata Joe Biden nas eleições presidenciais de 3 de novembro.

O Twitter foi mais longe, tendo eliminado definitivamente a conta do multimilionário republicano, alegando risco de violência durante a cerimónia de tomada de posse de Biden, a 20 de janeiro, e privando-o assim da sua plataforma preferida.

Outras redes sociais, como Snapchat e Twitch, também suspenderam a conta do Presidente cessante.

Sofia Teixeira Santos, ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Um discípulo à medida do seu mestre (criminoso), de resto, nada que esse povo estúpido não mereça.
    Ai Europa, Europa, ou conseguimos a união que tem faltado e nos constituímos como a grande potência que já fomos podendo enfrentar todos os bandidos que nos rodeiam, ou então estamos entregues aos bichos, Americanos e ou Chineses e vamos passar muito mal.
    Que raio de sociedade vamos deixar em herança? Esta deve ser a nossa principal preocupação.

RESPONDER

Encontradas fibras de poliéster em todo o Oceano Ártico

Investigadores encontraram fibras de poliéster em todo o Oceano Ártico. As evidências sugerem que lavar as nossas roupas está a contribuir para esta contaminação. Há muito tempo que o Ártico provou ser um barómetro da saúde …

Campus universitários nos Estados Unidos podem tornar-se super-propagadores da covid-19

Os campus universitários podem tornar-se super-propagadores do novo coronavírus, que causa a covid-19, para toda a sua área de abrangência, concluiu uma nova investigação levada a cabo nos Estados Unidos. Analisando os 30 campus universitários …

A "máscara mais inteligente do mundo" é recarregável, tem microfone e dá luz

A Razer afirma ter criado a máscara mais inteligente do mundo. O Projeto Hazel é um design com um revestimento externo feito de plástico reciclado à prova de água e é transparente para permitir a …

Novo tratamento permite que pessoas com lesões na espinal medula voltem a mexer mãos e braços

Uma equipa de investigadores da Universidade de Washington conseguiu ajudar seis participantes com lesões traumáticas da espinal medual a recuperar alguma mobilidade de mãos e braços. Muitas das pessoas que sofrem lesões traumáticas da espinal medula …

Ventiladores comprados à China custaram 1,3 milhões. Autarquias algarvias vão pedir devolução do dinheiro

Os 30 ventiladores comprados à China seriam usados nos hospitais do Algarve, mas os equipamentos não funcionam. Os autarcas vão agora exigir devolução do dinheiro. De acordo com a edição do jornal Público deste domingo, o …

EUA um passo atrás da China. Pequim leva avanço na Guerra Comercial (e as suas exportações estão em alta)

No ano em que a pandemia se expandiu em todo o mundo, muitos países viram-se em mãos com graves problemas financeiros e económicos. No caso da China, a situação foi mais positiva e o país …

Alexei Navalny detido no regresso à Rússia

O líder da oposição russa, Alexei Navalny, foi detido este domingo no aeroporto em Moscovo quando regressava à Rússia. Os serviços prisionais russos (FSIN) detiveram o opositor russo Alexei Navalny, este domingo, à chegada a Moscovo, acusando-o …

Prazo para trocas ou devoluções suspenso durante confinamento

O prazo para efetuar trocas ou devoluções de bens ficará suspenso durante o atual confinamento e as garantias que terminem neste período ou nos 10 dias seguintes serão prorrogadas por 30 dias, segundo diploma publicado …

Desde 2001 que polícias negros alertam para racismo de agentes do Capitólio

Com a invasão do Capitólio, investiga-se o alegado racismo existente na Polícia do Capitólio. Desde 2001 que agentes negros denunciam casos de discriminação racial no departamento. Desde 2001, centenas de agentes policiais negros processaram o departamento …

Um megatsunami devastou uma vila na Gronelândia. Três anos depois, há quem não possa voltar a casa

Em junho de 2017, Nuugaatsiaq, na Gronelândia, foi devastada por um megatsunami, cujas ondas foram desencadeadas por um enorme deslizamento de quase 30 quilómetros através do fiorde. Embora as ondas se tivessem dissipado quando chegaram a …