Pelo menos 14 portugueses estavam no Nepal na altura do sismo

Narendra Shrestha / EPA

O secretário de Estado das Comunidades, José Cesário, informou que estavam pelo menos 14 portugueses no Nepal na altura em que ocorreu o sismo, que matou mais de três mil pessoas, adiantando que alguns já terão saído do país através da Índia.

“Até ao momento, conseguimos identificar 14 portugueses. Ainda estamos a tentar confirmar a lista. Não sabemos se há uma outra pessoa duplicada na lista, temos de confirmar, mas tudo leva a crer que serão 14 e que algumas já terão saído do país através da Índia”, disse à Lusa José Cesário.

De acordo com o secretário de Estado, deste grupo de 14 pessoas, seis ou sete são portugueses que estavam no Nepal a trabalhar transitoriamente.

José Cesário adiantou também que dos 14 portugueses identificados, pelo menos quatro ou cinco fazem parte de uma expedição nas montanhas dos Himalaias.

“Ainda não sabemos se são quatro ou cinco os participantes nesta expedição”, disse o responsável, salientando que as vias de comunicação estão difíceis no terreno.

O sismo, de magnitude 7,9 na escala de Richter, foi registado no sábado e teve o epicentro a cerca de 80 quilómetros de Katmandu. O número oficial de mortos subiu para 3.218, de acordo com a atualização da divisão de gestão de emergências do país.

“O número de mortos chegou aos 3.218 e mais de 6.500 ficaram feridos”, disse Rameshwor Dangal, que lidera a divisão nacional de gestão de emergências.

O número oficial anterior apontava para 2.430 mortos. O abalo foi sentido noutros países, como Índia, Bangladesh e China, e provocou avalanchas nos Himalaias. Cerca de 90 pessoas morreram em países vizinhos.

Em declarações hoje à Lusa, o secretário de Estado das Comunidades disse que todos os portugueses estão bem, não havendo notícia de feridos.

“Estamos a tentar contactar todos os portugueses pelas vias possíveis. Estamos a tentar perceber se eles têm documentos. Se têm forma de sair e, em casos extremos, vamos apoiar a sua saída do país”, frisou.

A comunidade internacional já mobilizou equipas de resgate e ajuda humanitária para o Nepal.

Luís Almeida, um dos portugueses que estão nos Himalaias há uma semana numa expedição, disse hoje que “estão todos bem”, apesar das dificuldades causadas pelo sismo no Nepal, que causou até agora 3.218 mortos.

Numa mensagem escrita, enviada hoje à agência Lusa, Luís Almeida, que está a participar numa expedição organizada pela Espaços Naturais às montanhas dos Himalaias, garantiu que os portugueses “estão todos bem“.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Um oásis LGBTQ, Budapeste é posto à prova pelo populismo e pela pandemia

Budapeste é um oásis para a comunidade LGBTQ, mas a cena drag da capital húngara vê-se ameaçada pela pandemia de covid-19 e pelas políticas conservadoras e populistas de Viktor Orbán. Durante muitos anos, Budapeste desfrutou a …

Coreia do Sul "ressuscitou" voz de uma superestrela. Chovem preocupações éticas

Pela primeira vez em 25 anos, a distinta voz da superestrela sul-coreana Kim Kwang-seok será ouvida na televisão nacional. O famoso cantor folk morreu em 1996. De acordo com a CNN, a emissora nacional da Coreia …

Maioria dos países africanos só terá vacinação em massa a partir de 2023

A maioria dos países africanos só terá imunização em massa a partir de 2023, segundo previsão da The Economist Intelligence Unit, que admite que, com o evoluir da pandemia, muitos dos países mais frágeis possam …

Mulher que "morreu" com covid-19 aparece viva 10 dias após funeral

Uma mulher de 85 anos ficou infetada com covid-19 num lar na Galiza, em Espanha. A 13 de janeiro a família de Rogelia Blanco recebeu a informação do lar de que a mulher tinha falecido. …

Familiares de vítimas na China pressionadas a não falar com OMS

As autoridades chinesas estão a pressionar as famílias das primeiras vítimas da covid-19 para que não entrem em contacto com os investigadores da Organização Mundial da Saúde (OMS) em Wuhan, segundo familiares dos falecidos. Mais de …

Falsas vacinas à venda na Internet são grande risco para a saúde

Embora milhões de pessoas tenham sido já vacinadas contra a covid-19 nos países ricos, proliferam as fraudes na Internet com fármacos falsos que representam um grande risco para a saúde, alertaram peritos das Nações Unidas. As …

Voto prévio no Senado aponta para absolvição de Trump

Na terça-feira, 45 dos 50 republicanos no Senado votaram contra a continuidade do julgamento ao ex-Presidente Donald Trump, considerando inconstitucional que um chefe de Estado que já terminou o mandato seja julgado no Congresso. De acordo …

Estudo revela que um terço dos inquiridos foi vítima de violência doméstica pela primeira vez na pandemia

Quinze por cento dos inquiridos num estudo sobre violência doméstica em tempos de covid-19 reportou a ocorrência deste crime na sua casa e um terço das vítimas disse ter sido agredida pela primeira vez durante …

Portugal regista valor mais baixo de nascimentos desde 2015

Cerca de 85.500 bebés nasceram em Portugal em 2020, o valor mais baixo desde 2015, ano em que foram realizados 85.056 “testes do pezinho”, revelam dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge …

Polícia francesa acusada de usar critérios racistas em verificações de identidade

Seis organizações não-governamentais avançaram com um processo judicial contra a França por alegada discriminação racial por parte da polícia nas ações de verificação de identidade. As organizações, incluindo a Human Rights Watch e a Amnistia Internacional, …