Pedro Nuno Santos volta a afastar nacionalização da Groundforce. “Não era e continua a não ser uma boa opção”

António Cotrim / Lusa

O ministro das Infraestruturas Pedro Nuno Santos.

Esta terça-feira, o ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, voltou a afastar a hipótese de nacionalizar a Groundforce.

Esta manhã, no Parlamento, o ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, disse que o Estado e a TAP irão assegurar uma solução para a Groundforce, mesmo que falhe o processo de venda das ações da empresa a cargo do Montepio.

Apesar de rejeitar a nacionalização da empresa, o ministro não explicou qual a solução que está a ser pensada para resolver o impasse acionista. “A solução está a ser trabalhada e vai ser discutida amanhã com os sindicatos representativos da Groundforce, não vai ser discutida em público”, disse apenas, citado pelo Expresso.

“A nacionalização não era e continua a não ser hoje uma boa opção“, sublinhou Pedro Nuno Santos, acrescentando que o Governo sempre rejeitou essa hipótese.

“Não era a melhor opção porque não queremos ficar sujeitos a litigância e correr o risco de ter de pagar uma indemnização a quem não a merece”, referindo-se a Alfredo Casimiro.

Além disso, explicou, “o processo de nacionalização é muito mais complexo do que parece ser e é demorado”, havendo ainda a situação de a TAP não poder manter-se como acionista maioritário da Groundforce.

“Estamos a acompanhar e temos a expectativa de que o processo de venda seja concluído com sucesso, isso significaria a entrada de um sócio com capacidade financeira para podermos iniciar uma nova vida de estabilidade na Groundforce”, disse. Se esta hipótese não se concretizar, “o Estado ou a TAP encontrarão uma solução”.

ZAP //

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. A esquizofrenia do ps com as nacionalizações explica bem a razão de tudo isto ainda não ter sido resolvido. Anda tudo no limbo, a ser tratado pelo meio termo, para não ferir susceptibilidades políticas. No fim é trabalhadores sem dinheiro nem perspectivas profissionais de futuro, aeroportos a meio gás, pessoas e voos retidos, filas intermináveis e por aí fora. Sem falar do super sistema capitalista tuga produzir só uma empresa para assegurar o serviço. É o mercado a funcionar! Depois, se der o berro, o que vão fazer. Fechar os aeroportos? Criar uma empresa à pressa e enfiar lá os actuais trabalhadores? … Quanto tempo mais vai o governo esperar pela malta do capital se entender sobre o assunto? Ai não nacionalizas ?! Olha que não sei não…

  2. Por outro lado, porque não deixar a groundforce falir de vez ? Mas nem importaria. O Estado pode é criar uma empresa nova como a groundforce, contratar os funcionários da mesma e até ficar com os seus activos. Nem a precisa de nacionalizar. É que não há outra empresa a oferecer este serviço que é fundamental para existir voos e aviões com passageiros de e para o nosso país. Este assunto não é “enrolável” como outros que empurram com a barriga. E bem podem rezar pela “salvação” do mercado que pode nunca chegar. Sendo assim caro Nuno, o que resta? Acabar com viagens aéreas de e para Portugal?

  3. Pois… o problema é que a Groundforce estava bem quando era pública!!
    A sua privatização é que deu este belo resultado…

    • Estava bem !!!
      Conheces muito pouco a realidade destas empresas.
      A groudforce era TAP e tal como outros serviços era usada para descarregar dinheiro enquanto a empresa principal (TAP) dava prejuízo.
      A TAP pagava mais do que devia pra que as empresas tivessem liquidez e pudessem reduzir margens em propostas a outras companhias fazendo impossível qualquer concorrência e desta forma monopolizar o mercado.

      O problema foi quando a Europa forçou a TAP a resolver o problema e separar as empresas, acabou-se a mama e os prejuízos começaram a sentir-se.

      • Acho que conheço um pouco…
        A Portway não é concorrente da Groundforce?
        Está falida?
        Se a Groundforce não estava bem, porque foi entregue (em mais uma privatização manhosa – já para não falar da privatização da ANA que foi mesmo um crime lesa-patrai!) ) ao Casimiro sem este ter dinheiro para pagar por ela e, e só depois de já ter recebido lucros da Groundforce foi pagando (com a ajuda de empréstimos do Montepio que agora ficou com as suas ações)?
        Capitalistas sem dinheiro (a estragar “mercados”) não faltam e depois – tal como agora – a factura acabar sempre por sobrar para o Estado…

RESPONDER

"Sinto que desci ao inferno". Polícias recordam ataque ao Capitólio

"É assim que vou morrer", "sinto que desci ao inferno" e "corri o risco de ser morto" são alguns dos relatos de polícias que estavam na invasão ao Capitólio. Começaram as audiências na comissão da Câmara …

Pandemia aumentou o preço dos carros usados. Venda de veículos novos caiu a pique

A procura por usados aumentou com a pandemia. Com menos carros novos a saírem dos concessionários, também por causa da crise dos chips, a oferta de usados é escassa, levando os preços a subirem. Um choque …

Jogos Olímpicos: três polémicas de arbitragem em 24 horas

Depois da pontuação controversa no surf, uma decisão que quase ninguém entendeu, no basquetebol e no judo. A arbitragem não é, ou não é suposto ser, o foco de qualquer edição dos Jogos Olímpicos. E não …

Rui Vitória quer levar Manafá para o Spartak Moscovo

O Spartak Moscovo, treinado por Rui Vitória, desistiu da contratação de Gabriel e apresentou agora uma proposta por Wilson Manafá. Desde que chegou a Moscovo para treinar o Spartak, Rui Vitória tem sondado alguns jogadores que …

Centro de Migrantes de Caxias seria pago pelo SEF com carros apreendidos e obras eram feitas por presos

As obras feitas para a construção de um Centro de Migrantes no complexo prisional de Caxias terão sido pagas pelo SEF com carros apreendidos. O Centro de Instalação Temporária de migrantes no complexo prisional de Caxias …

Afinal, declaração de pertença à maçonaria ou Opus Dei não será obrigatória

A obrigatoriedade de os políticos e altos cargos públicos declararem a sua pertença e funções em associações como as desportivas, políticas e de carácter secreto foi aprovada no Parlamento este mês. Jorge Lacão esclareceu que a …

Futebol: Alemanha já está fora dos Jogos Olímpicos

Alemães chegaram à final em 2016 mas, desta vez, nem passaram da fase de grupos. Campeão Brasil continua no torneio masculino. Brasil e Alemanha foram as seleções finalistas da edição anterior dos Jogos Olímpicos, em 2016. …

Portugal perto de surpresa no andebol e Ana Catarina Monteiro faz história na natação

No andebol, a equipa olímpica portuguesa esteve muito perto de surpreender a vice-campeã mundial Suécia. Na natação, Ana Catarina Monteiro teve um resultado histórico. A seleção portuguesa de andebol perdeu por 29-28 frente à vice-campeã mundial …

Portugal nunca teve tantos migrantes a obter nacionalidade portuguesa. Maioria são do Brasil e Israel

Em 2020, mais de 149 mil migrantes passaram a ter o cartão cidadão nacional. Só este ano já há registo de 56 mil. O aumento do número de pessoas a pedir nacionalidade portuguesa deve-se à …

Patrões, UGT e Governo assinam acordo de Concertação, num "sinal de desagravamento" das tensões

Esta quarta-feira, será assinado o acordo de formação profissional, denominado Um Desígnio Estratégico para as Pessoas, para as Empresas e para o País, alcançado na concertação social. Carlos Silva, secretário geral da UGT, encara a assinatura …