“Peço desculpa se os assustei”, responde João Soares

oscepa / Flickr

O ministro da Cultura, João Soares

O ministro da Cultura, João Soares

O ministro da Cultura João Soares reagiu à polémica que está a marcar esta quinta-feira, depois de ter ameaçado com “bofetadas” Augusto M. Seabra e Vasco Pulido Valente. O cronista também já se pronunciou: “Cá fico à espera das bofetadas”. 

Em declarações ao Expresso, através de uma SMS, o ministro da Cultura afirma:

Sou um homem pacífico, nunca bati em ninguém. Não reagi a opiniões, reagi a insultos. Peço desculpa se os assustei“.

A polémica acendeu-se esta manhã, quando João Soares escreveu no Facebook que gostaria de encontrar Augusto M. Seabra e Vasco Pulido Valente, cronistas do Público, para lhes dar “salutares bofetadas” pelos artigos de opinião que escreveram no jornal.

João Soares reagia assim a um artigo de Augusto M. Seabra publicado na quarta-feira no Público, com o título “‘Tempo velho’ na Cultura“.

Contactado pela agência Lusa, Augusto M. Seabra considerou “inqualificável que, para além da ameaça de agressão física, para mais vinda de um ministro, tenha usado as redes sociais para responder, dessa forma, àquilo que é um exercício legítimo de um texto de opinião”.

Para o colunista e fundador do Público, a reação de João Soares “atenta contra a liberdade de expressão e os direitos constitucionais dos cidadãos”.

Vasco Pulido Valente, por sua vez, afirmou apenas: “Cá fico à espera das bofetadas“.

No artigo de ontem, Augusto M. Seabra afirma que “a nomeação de João Soares para ministro da Cultura foi uma surpresa que permanece inexplicável já que passados quatro meses não afirmou uma linha de ação política, tão só um estilo de compadrio, prepotência e grosseria”.

O sociólogo e crítico considera ainda que o ministro de não tem “qualificações particulares para o cargo” e acrescenta que o gabinete de Soares não passa “de uma confraria de socialistas e maçons”.

Vasco Pulido Valente, por sua vez, tinha publicado no início de março um artigo muito crítico de João Soares, afirmando que não tem por ele “qualquer respeito nem como homem, nem como político”.

No artigo, o colunista abordava igualmente o caso da substituição de Lamas no Centro Cultural de Belém, considerando que o ministro “podia ter chamado discretamente o presidente do CCB para o demitir, alegando, como está no seu direito, falta de confiança política ou pessoal”.

Na reação desta manhã, João Soares escreveu no Facebook que “em 1999 prometi-lhe publicamente um par de bofetadas. Foi uma promessa que ainda não pude cumprir. Não me cruzei com a personagem, Augusto M. Seabra, ao longo de todos estes anos. Mas continuo a esperar ter essa sorte”.

“Estou a ver que tenho de o procurar, a ele e já agora ao Vasco Pulido Valente, para as salutares bofetadas”, concluiu na sua publicação.

Através de Hugo Soares, vice-presidente da bancada parlamentar social-democrata, o PSD disse que as declarações do ministro da Cultura demonstram que os socialistas se comportam como “donos disto tudo”, mas não exigiu a sua saída do governo, realçando que os membros do PSD que pediram a demissão de Soares atuaram apenas a título “pessoal” e “não vinculam” o partido.

O jornal i avança que o ministro não tem intenção de se demitir.

ZAP

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

RESPONDER

TESS fornece novas ideias sobre um mundo ultra-quente

Medições do TESS (Transiting Exoplanet Survey Satellite) da NASA permitiram aos astrónomos melhorar bastante a sua compreensão do ambiente bizarro de KELT-9b, um dos planetas mais quentes conhecidos. "O factor de estranheza de KELT-9b é alto," …

Bill Gates elenca quatro pilares-chave para combater a pandemia

O co-fundador da Microsoft, Bill Gates, elencou quatro pilares que a sua fundação considera essenciais para combater a pandemia de covid-19, que já matou mais de 520 mil pessoas em todo o mundo. Segundo o norte-americano, …

Tesla já vale mais do que a Toyota, Disney e Coca-Cola

As ações da Tesla chegaram esta quarta-feira a um preço recorde de 1.120 dólares por ação, levando a empresa de Elon Musk a superar a cotação de mercado de grandes empresas como a Coca-Cola ou …

"Não é solução para o país". Costa rejeita Bloco Central e uma esquerda "só para os salários"

O secretário-geral socialista garantiu hoje que vai manter o rumo político e não haverá "Bloco Central" PS/PSD, frisando que recusa aceitar que a esquerda seja incapaz de se entender sobre uma visão comum para o …

RTP contestada por incluir "Baile dos Pretos" na corrida às 7 Maravilhas da Cultura Popular

Um grupo de deputados do PS pede explicações à ministra da Cultura e contesta a RTP por causa de uma das candidaturas finalistas ao programa "Sete Maravilhas da Cultura Popular" que vai começar a ser …

Vieira tramado por "cunha" de Rangel. Juiz pagava 19 mil euros por almoço e fugia a multas com documentos de migrantes

A magistrada Maria José Morgado está a ultimar a acusação da "Operação Lex" e, nesta altura, é quase certo que levará a julgamento o juiz Rui Rangel e Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica, além …

"Apagão" de dados. DGS não está a revelar todos os infectados com covid-19

Há casos de infectados com covid-19 que não surgem contabilizados nos boletins diários divulgados pela Direcção Geral de Saúde (DGS). A denúncia é feita por profissionais no terreno que põem em causa a verdadeira dimensão da …

Tensão no Mar do Sul. China em manobras militares, EUA enviam dois porta-aviões nucleares

Os Estados Unidos enviaram os super-porta-aviões nucleares USS Ronald Reagan e USS Nimitz para o Mar do Sul da China, região onde forças navais chinesas estão a realizar exercícios militares. "O nosso objetivo é enviar um …

Portugueses querem Centeno no BdP. 72% considera "muito importante" Champions em Lisboa

Mais de 70% dos portugueses consideram “muito importante” a realização da fase final da Liga dos Campeões europeus de futebol em Portugal e 11,1% acham que é apenas “importante”, segundo um estudo da Eurosondagem divulgado …

Marcelo tinha dúvidas em assinar nacionalização. TAP já começou a dispensar trabalhadores

A TAP já está a dispensar trabalhadores e espera-se uma reestruturação "dolorosa" no âmbito do processo em que o Estado reforçou a sua posição na estrutura accionista da companhia. O Presidente da República admitiu que …