/

Paulo Rangel “não ganha as eleições a Rui Moreira”. Dirigente do PSD desafia Rio a apoiar autarca do Porto

1

Rui Moreira / Facebook

O presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira

O conselheiro nacional do PSD e líder da distrital de Braga, Paulo Cunha, defende que o presidente do partido Rui Rio devia renunciar a uma candidatura própria e apoiar o autarca independente Rui Moreira.

Para o Porto, o eurodeputado social-democrata Paulo Rangel é um dos nomes com mais apoio nas estruturas do partido. Porém, Rui Rio tem estado em silêncio sobre os nomes para as autárquicas de 2021.

O PSD também não mostra pressa em relação à Câmara do Porto, uma vez que o atual autarca, Rui Moreira, está implicado numa acusação feita pelo Ministério Público (MP) por causa do caso Selminho – e  ainda não se sabe qual vai ser o desfecho do caso.

Apoiar Rui Moreira é um cenário que se deve colocar e, do meu ponto de vista, seria a melhor solução para o PSD”, defendeu Paulo Cunha, em declarações ao jornal Público. “É preciso ter coragem para tomar uma decisão destas, mas Rui Rio é conhecido como sendo um politico corajoso”.

O conselheiro nacional considera que a ideia de apoiar Rui Moreira “seria bem recebida pelos militantes do partido”. “Essa ideia seria bem-vinda e os militantes respirariam fundo, porque se sentiriam legitimados para votar no candidato com quem simpatizam”, acrescentou.

“Rui Moreira é uma pessoa da área política do PSD, as suas ideias, o seu percurso como autarca, como cidadão e como dirigente associativo estão em sintonia com a matriz social-democrata. Tanto assim que o líder do partido, ao que sei, apoiou-o, em 2013 sem reservas para que ele fosse eleito presidente da Câmara do Porto e, ao que sei, não mudou de opinião em relação a isso. Eu não mudei e espero que também”, argumentou.

Rui Rio foi o grande apoio de Rui Moreira na corrida à Câmara do Porto em 2013. O agora presidente do PSD, que liderou a autarquia portuense durante três mandatos, apoiou Rui Moreira contra o candidato oficial do partido, Luís Filipe Menezes.

Para o autarca de Famalicão, este princípio é também válido para outros municípios. “Sempre que o PSD se identifique com um presidente da câmara deve apoiá-lo e não ter a obrigação de apresentar um candidato próprio. Porque é que há-de apresentar uma candidatura alternativa quando o presidente que lá está é melhor para o concelho?”, questionou. A alternativa “é o PSD apresentar um candidato para ter 10%”.

Paulo Cunha considerou que o PSD “tem condições para ter um excelente resultado autárquico porque a tradição do PSD é cativar os melhores quadros”. “Os bons candidatos existem na área do PSD e o que é preciso é ir à procura deles, motivando-os”, afirmou. “É preciso (…) combater a ideia de que os políticos são maus exemplos para a sociedade e dizer-lhes que o exercício de cargos autárquicos é socialmente reconhecido”.

Segundo o matutino, para estas eleições autárquicas, houve conversas entre o partido e elementos do movimento independente. A ideia passava por ser o PSD a abdicar de uma candidatura ao Porto, indicando o candidato à Assembleia Municipal do Porto e apresentando candidaturas às juntas de freguesia do concelho. As negociações não envolviam diretamente o líder do partido, mas Rio estava informado.

Questionado sobre a simpati que Paulo Rangel recolhe junto das estruturas do PSD, o dirigente nacional atirou: “Paulo Rangel é um político experimentado, tem um currículo enorme em todos os aspectos, mas não ganha as eleições a Rui Moreira”.

  ZAP //

1 Comment

  1. Seria mau demais para o Porto se uma coisa como o Rangel fosse sequer opção para Presidente da Câmara do Porto!…
    Pior só o manfioso Big Mac…

  2. Espero e desejo que o Rui Moreira não aceite o apoio do PPD ou de outro partido do sistema, se aceita a dependência passa a ser dependência partidária, não voto em gente com apoio dos partidos políticos.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.