Passos pediu a Cavaco que convide o PS a formar Governo

Manuel de Almeida / Lusa

Pedro Passos Coelho na audiência com o Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, no Palácio de Belém

Pedro Passos Coelho assume que, depois do PS ter de forma “irresponsável” derrubado o executivo, cabe-lhe agora construir uma solução de Governo com “uma maioria estável, duradoura e credível”, que, no entanto, “ainda não tem”.

O PSD foi o primeiro dos sete partidos com assento parlamentar a ser recebido pelo Presidente da República esta sexta-feira para debater sobre a situação política criada após a demissão do XX Governo Constitucional, depois do PR ter consultado patrões, sindicatos, banqueiros e economistas.

No fim da audiência com Cavaco Silva, o presidente do PSD e primeiro-ministro afirmou que transmitiu a Cavaco Silva que agora “cabe ao PS construir uma solução de Governo que corresponda àquilo que o próprio PS disse que era indispensável e sem o que não derrubaria o Governo que saiu das eleições, ter uma maioria estável, duradoura e credível que ainda não tem”.

À saída do Palácio de Belém, numa declaração aos jornalistas sem direito a perguntas, Passos ressalvou que se as circunstâncias constitucionais o permitissem o PSD defenderia a convocação de eleições antecipadas, mas, “uma vez que essa possibilidade está vedada”, cabe nesta fase ao PS “apresentar ao país e ao Presidente da República uma tal alternativa”.

Rodeado pelos vice-presidentes do partido Jorge Moreira da Silva e Marco António Costa, pelo secretário-geral do PSD José Matos Rosa, e pelo líder parlamentar, Luís Montenegro, Pedro Passos Coelho reforçou a ideia: “O PS tem a obrigação política e moral de apresentar uma solução de Governo“.

“É muito importante que o PS exerça essa responsabilidade de forma plena”, afirmou o líder do PSD, que no entanto alertou que “o PS não pode voltar-se para os partidos que derrubou no Parlamento pedindo-lhes ajuda no futuro, mas também não pode, com certeza, acreditar que os partidos mais à esquerda parlamentar que se têm mostrado sempre anti-europeus e anti-atlantistas sejam um suporte para um Governo estável, duradouro e credível que o país precisa”.

PS diz que acordos garantem “boas condições de governabilidade”

Por sua vez, o secretário-geral do PS assegurou que os acordos estabelecidos com BE, PCP e PEV garantem um Governo socialista com “condições de estabilidade na perspetiva da legislatura e boas condições de governabilidade”.

“É a solução necessária para aquilo que se impõe e para poupar ao país um arrastamento de uma situação de incerteza, uma situação de indefinição, que colocaria o país numa situação de crise política desnecessária”, afirmou o líder socialista, António Costa, à saída da audiência com o Presidente de República, que se seguiu à do PSD.

Sublinhando que os acordos estabelecidos entre o PS, o BE, o PCP e o PEV foram negociados com “boa-fé” e “rigor”, António Costa disse que está garantida “a existência de um Governo do PS com apoio maioritário na Assembleia da República, com condições de governar com o programa que está já aprovado [pela Comissão Nacional do PS], com condições de estabilidade na perspetiva da legislatura e boas condições de governabilidade”.

ZAP

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. Lá nisso tem P. Coelho razão:
    – Ao o PS cabe agora apresentar uma alternativa.
    É bom que o faça e que resulte. O país precisa e os portugueses merecem uma alternativa BOA.

    • Anda muita “gente” a discutir o sexo dos anjos porque além da legitimidade que António Costa tem para formar governo, após o acordo com os partidos à sua esquerda, que garante uma maioria de 62% dos votos expressos, convém recordar aos “fanáticos” dos atuais ocupantes do poder que, a maioria demitida até se propôs dar o lugar de vice-PM a António Costa caso este entrasse num governo coligado com PSD/CDS, fórmula que durante 40 anos levou o País à atual situação e a uma abstenção 40%. Entrou-se numa nova era, é a democracia a funcionar o resto, nem merece classificação.

  2. “O PS tem a obrigação política e moral de apresentar uma solução de Governo“. Esta afirmação, leva-nos aperguntar: Então, não tem sido esse o propósito do líder do PS, após os acordos com BE, CDU, PAN, em que garante uma maioria absoluta de apoio a um governo liderado pelo PS? Convém recordar que, nas eleições de 2011 PSD e CDS formaram um governo com maioria absoluta, após o ato eleitoral, tiveram legitimidade semelhante àquela que hoje é corporizada por uma maioria de 62% dos votos expressos por isso, o Sr. Presidente da República só tem que cumprir a Constituição da República e indigitar o Dr. António Costa a formar governo o resto, são ações reacionárias que em nada prestigiam quem as pratica porque são antidemocráticas.

RESPONDER

SEF oficialmente extinto. Serviço de Estrangeiros e Asilo entra em funções esta quinta-feira

O processo de reestruturação do SEF foi publicado em Diário da República, esta quarta-feira, entrando em vigor no dia seguinte, ou seja, esta quinta-feira. O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) foi oficialmente extinto esta quarta-feira, …

União Europeia não vai renovar contrato com AstraZeneca e Johnson & Johnson

A União Europeia não vai renovar os contratos da vacina contra a covid-19 com empresas como Astrazeneca e Johnson & Johnson no próximo ano. A notícia da decisão de não renovação dos contratos da vacina contra …

Entre um Porto "dominante" e "ineficaz", a bicicleta de Taremi foi um "inútil golo de bandeira"

A imprensa internacional realça a boa prestação do FC Porto e o golo de bandeira de Taremi, que acabou por revelar-se insuficiente para dar continuidade às aspirações portistas. O FC Porto está fora da Liga dos …

Eventual criação do indicador "incidência vizinha" pode influenciar planos do Governo

Esta terça-feira, na reunião no Infarmed, o matemático Óscar Felgueiras defendeu a criação de um novo indicador, "incidência vizinha", que teria como vantagens sinalizar risco associado à proximidade de zonas mais críticas e evitar a …

Relatório secreto de Costa Pinto defende que Banco de Portugal podia ter feito mais no BES

O "Relatório Costa Pinto" argumenta que o Banco de Portugal tinha conhecimento dos problemas do BES e tinha poderes para fazer mais, melhor e mais cedo. O "Relatório Costa Pinto" tem vindo a ser negado ao …

Lopetegui viu Corona em Sevilha e pode avançar com proposta

Julen Lopetegui, treinador do Sevilha, está atento a Tecatito Corona. O extremo portista mostrou-se em bom plano frente ao Chelsea. O antigo treinador dos 'dragões' Julen Lopetegui, atualmente no comando técnico do Sevilha, esteve esta terça-feira …

Especialistas aconselham Governo a não avançar no desconfinamento

Manuel Carmo Gomes, o epidemiologista que deixou de participar nas reuniões no Infarmed, aconselhou o Governo a não avançar para a terceira fase de desconfinamento. E não é o único a defender a suspensão. De acordo …

Oposição quer redução de portagens. Governo responde com cortes ou aumento de impostos

O Governo disse hoje que a redução de portagens nas ex-SCUT "é legal e constitucional", defendendo que a Assembleia da República deve ajudar a encontrar a compensação para encargos de até 149 milhões de euros …

Bispo do século XVII foi enterrado com um feto. Cientistas já sabem porquê

Cientistas já sabem porque é que foi encontrado o cadáver de um feto junto dos restos mortais de um antigo bispo de Lund, na Suécia. Peder Pedersen Winstrup foi um bispo de Lund, cidade na atual …

Detenção da autarca de Vila Real de Santo António surpreende PSD. Deputado do PS suspeito no negócio

Esta terça-feira, a presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, Conceição Cabrita, foi detida por suspeitas do crime de corrupção num negócio de imobiliário em Monte Gordo.  Fonte da direção do PSD disse, …