Passos pediu a Cavaco que convide o PS a formar Governo

Manuel de Almeida / Lusa

Pedro Passos Coelho na audiência com o Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, no Palácio de Belém

Pedro Passos Coelho assume que, depois do PS ter de forma “irresponsável” derrubado o executivo, cabe-lhe agora construir uma solução de Governo com “uma maioria estável, duradoura e credível”, que, no entanto, “ainda não tem”.

O PSD foi o primeiro dos sete partidos com assento parlamentar a ser recebido pelo Presidente da República esta sexta-feira para debater sobre a situação política criada após a demissão do XX Governo Constitucional, depois do PR ter consultado patrões, sindicatos, banqueiros e economistas.

No fim da audiência com Cavaco Silva, o presidente do PSD e primeiro-ministro afirmou que transmitiu a Cavaco Silva que agora “cabe ao PS construir uma solução de Governo que corresponda àquilo que o próprio PS disse que era indispensável e sem o que não derrubaria o Governo que saiu das eleições, ter uma maioria estável, duradoura e credível que ainda não tem”.

À saída do Palácio de Belém, numa declaração aos jornalistas sem direito a perguntas, Passos ressalvou que se as circunstâncias constitucionais o permitissem o PSD defenderia a convocação de eleições antecipadas, mas, “uma vez que essa possibilidade está vedada”, cabe nesta fase ao PS “apresentar ao país e ao Presidente da República uma tal alternativa”.

Rodeado pelos vice-presidentes do partido Jorge Moreira da Silva e Marco António Costa, pelo secretário-geral do PSD José Matos Rosa, e pelo líder parlamentar, Luís Montenegro, Pedro Passos Coelho reforçou a ideia: “O PS tem a obrigação política e moral de apresentar uma solução de Governo“.

“É muito importante que o PS exerça essa responsabilidade de forma plena”, afirmou o líder do PSD, que no entanto alertou que “o PS não pode voltar-se para os partidos que derrubou no Parlamento pedindo-lhes ajuda no futuro, mas também não pode, com certeza, acreditar que os partidos mais à esquerda parlamentar que se têm mostrado sempre anti-europeus e anti-atlantistas sejam um suporte para um Governo estável, duradouro e credível que o país precisa”.

PS diz que acordos garantem “boas condições de governabilidade”

Por sua vez, o secretário-geral do PS assegurou que os acordos estabelecidos com BE, PCP e PEV garantem um Governo socialista com “condições de estabilidade na perspetiva da legislatura e boas condições de governabilidade”.

“É a solução necessária para aquilo que se impõe e para poupar ao país um arrastamento de uma situação de incerteza, uma situação de indefinição, que colocaria o país numa situação de crise política desnecessária”, afirmou o líder socialista, António Costa, à saída da audiência com o Presidente de República, que se seguiu à do PSD.

Sublinhando que os acordos estabelecidos entre o PS, o BE, o PCP e o PEV foram negociados com “boa-fé” e “rigor”, António Costa disse que está garantida “a existência de um Governo do PS com apoio maioritário na Assembleia da República, com condições de governar com o programa que está já aprovado [pela Comissão Nacional do PS], com condições de estabilidade na perspetiva da legislatura e boas condições de governabilidade”.

ZAP

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. Lá nisso tem P. Coelho razão:
    – Ao o PS cabe agora apresentar uma alternativa.
    É bom que o faça e que resulte. O país precisa e os portugueses merecem uma alternativa BOA.

    • Anda muita “gente” a discutir o sexo dos anjos porque além da legitimidade que António Costa tem para formar governo, após o acordo com os partidos à sua esquerda, que garante uma maioria de 62% dos votos expressos, convém recordar aos “fanáticos” dos atuais ocupantes do poder que, a maioria demitida até se propôs dar o lugar de vice-PM a António Costa caso este entrasse num governo coligado com PSD/CDS, fórmula que durante 40 anos levou o País à atual situação e a uma abstenção 40%. Entrou-se numa nova era, é a democracia a funcionar o resto, nem merece classificação.

  2. “O PS tem a obrigação política e moral de apresentar uma solução de Governo“. Esta afirmação, leva-nos aperguntar: Então, não tem sido esse o propósito do líder do PS, após os acordos com BE, CDU, PAN, em que garante uma maioria absoluta de apoio a um governo liderado pelo PS? Convém recordar que, nas eleições de 2011 PSD e CDS formaram um governo com maioria absoluta, após o ato eleitoral, tiveram legitimidade semelhante àquela que hoje é corporizada por uma maioria de 62% dos votos expressos por isso, o Sr. Presidente da República só tem que cumprir a Constituição da República e indigitar o Dr. António Costa a formar governo o resto, são ações reacionárias que em nada prestigiam quem as pratica porque são antidemocráticas.

RESPONDER

Porsche e Boeing unem-se em projeto de táxi aéreo premium

A Porsche e a Boeing estão a unir esforços para explorar o mercado de mobilidade área urbana. Aproveitando os seus pontos fortes, as duas empresas prometem desenvolver um táxi aéreo para o futuro. Numa verdadeira fusão …

Fotografia com pombos? Na Tailândia, há "profissionais" contratados para assustá-los

A área de uma das portas da cidade, Tha Pae, parte do que resta da muralha vermelha que protegia a cidade antiga em Chiang Mai, na Tailândia, é uma das maiores atrações turísticas locais. Os turistas …

Sky News lança canal sem qualquer notícia sobre o Brexit

O canal Sky News Brexit-Free foi esta quarta-feira para o ar às 17h horas, sendo que os seus programas serão transmitidos até às 22h, de segunda a sexta-feira. O grupo de televisão britânico Sky vai lançou …

Vacina contra o cancro da mama pode estar disponível dentro de 8 anos

Investigadores da Clínica Mayo desenvolveram uma vacina contra o cancro ovário e da mama que poderá estar disponível comercialmente dentro de apenas oito anos. A ideia da vacina é estimular o próprio sistema imunológico dos pacientes …

Busca pelo avião de Amelia Earhart só encontrou chapéus, detritos de um naufrágio e uma lata de refrigerante

A mais recente busca pelos restos do avião de Amelia Earhart, a famosa aviadora americana que desapareceu sobre o Pacífico em 1937, terminou sem resultados. De acordo com o jornal norte-americano The New York Times, a investigação …

Protestos em Hong Kong. LeBron acusado de apoiar regime chinês

A super estrela do basquetebol LeBron James juntou-se à polémica entre a NBA e a China, após apelidar de “mal-informado” o treinador dos Houston Rockets, Daryl Morey, que expressou apoio aos manifestantes em Hong Kong …

Acordo para o Brexit está "prestes a ficar fechado"

A chanceler alemã, Angela Merkel, e o Presidente francês, Emmanuel Macron, disseram esta quarta-feira que um acordo para o Brexit está em finalização e poderá ser apresentado quinta-feira para aprovação no Conselho Europeu. "Quero acreditar que …

Em Chernobyl, estão a desaparecer "as memórias que as pessoas deixaram para trás"

Chernobyl é, atualmente, a maior atração internacional da Ucrânia e o novo presidente, Volodymyr Zelenski, já apresentou um projeto para trazer ainda mais turistas. No entanto, estão a desaparecer "as memórias que as pessoas deixaram …

Huawei afirma que a tecnologia 6G vai estar disponível daqui a 10 anos

O CEO da Huawei, Ren Zhengfei, assinalou, durante uma entrevista à CNBC, que a sua empresa está a trabalhar em redes móveis 6G, que estarão completamente desenvolvidas daqui a 10 anos.   "Trabalhámos em 5G e 6G …

Nazismo e comunismo classificados em pé de igualdade pelo Parlamento Europeu

No passado dia 19 de setembro, a União Europeia colocou comunismo e nazismo em pé de igualdade, depois de aprovar no Parlamento Europeu uma resolução condenando ambos os regimes por terem cometido "genocídios e deportações …