Passos Coelho não tinha regime de exclusividade

EPP / Flickr

Pedro Passos Coelho

Pedro Passos Coelhopassos coelho

Pedro Passos Coelho não teve entre novembro de 1995 e de 1999 qualquer regime de exclusividade enquanto exerceu funções de deputado, garantiu hoje à agência Lusa o gabinete do secretário-geral da Assembleia da República.

Na sequência de um pedido efetuado hoje pela Lusa, o esclarecimento do gabinete do secretário-geral da Assembleia da República (AR) surge após Pedro Passos Coelho, atualmente nas funções de primeiro-ministro, ter defendido, em declarações à comunicação social durante o fim de semana, que o parlamento se pronunciasse sobre as condições em que ele exerceu funções de deputado há cerca de 15 anos.

O gabinete do secretário-geral da AR informou hoje à Lusa, numa nota em resposta a perguntas efetuadas pela agência, de que “não existe qualquer declaração de exclusividade entre novembro de 1995 e 1999” em nome de Pedro Passos Coelho.

“E, neste mesmo período, também não lhe foi pago o montante de 10% do regime de exclusividade. Existe uma declaração de exclusividade de 1992”, acrescentou o gabinete do secretário-geral.

Na semana passada, a revista Sábado noticiou que a procuradora-geral da República, Joana Marques Vidal, recebeu este um ano uma denúncia sobre alegados pagamentos do grupo Tecnoforma a Pedro Passos Coelho quando este desempenhou funções de deputado em exclusividade entre 1995 e 1999 (e que ascenderiam a 150 mil euros).

De acordo com a revista, essa situação violaria a lei em vigor, que impede os deputados que optem pela exclusividade de funções de acumular outros rendimentos no Estado e em empresas e associações públicas e privadas.

No fim de semana, Passos Coelho defendeu que o parlamento deveria pronunciar-se sobre as condições em que exerceu funções de deputado há cerca de 15 anos, quando questionado sobre alegados pagamentos que recebeu da Tecnoforma nessa altura.

“Estamos a falar de um período em que eu desempenhei funções e acho que era importante que o próprio parlamento pudesse esclarecer as condições em que esse exercício teve lugar”, referiu Pedro Passos Coelho, quando questionado sobre se recebeu ou não pagamentos do grupo Tecnoforma enquanto desempenhou funções de deputado em exclusividade entre 1995 e 1999.

Falando à margem da celebração dos 25 anos da Fundação de Serralves, no Porto, o atual chefe do executivo considerou ser-lhe difícil recordar-se de todas as responsabilidades que exerceu há 15 anos ou mais, enquanto deputado.

“Não tenho presente todas as responsabilidades que desempenhei há 15 anos, 17 e 18. É-me difícil estar a detalhar circunstâncias que não me estão, nesta altura, claras, nem mesmo nas supostas denúncias que terão sido feitas”, salientou.

Passos Coelho recordou que, até ao momento, não foi questionado pelo Ministério Público sobre esta matéria, mas assegurou que, caso o venha a ser, dará a sua “total colaboração”.

/Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Não quero saber se tinha ou não exclusicidade… recebeu tem que declarar, não isso que diz o código do IRS. Ou isso é sóa para os merdas como eu… Porrado nos gajos.

  2. o problema não está na exclusividade de funções está sim ro recebimento de verbas sem ser declaradas, ainda por cima de uma empresa subsidiada pela cee. coitado do passos que já nem se lembra de ter recebido o guito…. era pouco….

Julgamento de Rui Pinto arranca dia 4 de setembro

O pirata informático português Rui Pinto vai a julgamento no dia 4 de setembro, escreve a Sábado. O alegado autor do Football Leaks responde por 90 crimes de acesso indevido, violação de correspondência, acesso ilegítimo, …

PCP anuncia voto contra no Orçamento Suplementar

Apesar da abstenção na votação inicial, o PCP anunciou que vai votar contra o Orçamento Suplementar na votação final marcada para esta sexta-feira. "Concluída a votação na especialidade verifica-se que os aspetos negativos da proposta do …

Figura em pedra com mais de dois mil anos descoberta em Miranda do Douro

O acaso colocou a descoberto em Duas Igrejas, no concelho de Miranda do Douro, uma figura zoomórfica que representa um berrão (porco) e que os arqueólogos datam entre os séculos IV e I a.C., foi …

FBI prende Ghislaine Maxwell, ex-namorada de Jeffrey Epstein

A ex-namorada de Jeffrey Epstein, Ghislaine Maxwell, foi esta quinta-feira detida pelo FBI. A mulher de 58 anos é acusada de ajudar a montar uma rede de tráfico de mulheres. O FBI deteve, esta quinta-feira, Ghislaine …

Polícia italiana apreendeu 14 toneladas de anfetaminas. Droga foi produzida pelo Estado Islâmico

As autoridades italianas apreenderam na quarta-feira 14 toneladas de anfetaminas produzidas na Síria por membros do Estado Islâmico, cujos lucros serviriam para reativar as suas operações. "É um facto que o Daesh [Estado Islâmico] utiliza a …

Câmara de Lisboa defende fim do financiamento público às touradas

A Câmara de Lisboa defendeu hoje a criação de legislação que impeça o financiamento público de espetáculos que "causem sofrimento animal", salientando que as touradas incluem "atos de violência". Numa moção “pelo fim de espetáculos com …

Acordo entre Neeleman e Governo já só depende da confirmação da Azul

O acordo entre David Neeleman e o Governo está prestes a concretizar-se, escreve o Expresso. Aparentemente já só falta a confirmação da Azul para garantir o acordo. Depois de a nacionalização da companhia ter sido dada …

Medina recua e diz que "há convergência total" com Governo no combate à pandemia

O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, disse hoje que “há convergência total” com o Governo no combate à pandemia de covid-19, recusando que as críticas que fez à atuação das autoridades de saúde …

Parlamento vai debater o teletrabalho por iniciativa do PAN

O PAN considera que "o teletrabalho é uma ferramenta que pode ajudar a conciliar a vida profissional e a vida familiar", ainda que apresente fragilidades como a "invasão da vida pessoal". O PAN agendou para sexta-feira …

PSP também queria prémio semelhante ao dos profissionais de saúde

O Sindicato dos Profissionais de Polícia (SPP) manifestou-se esta quinta-feira “desiludido” com “a falta de respeito” que o Governo demonstra em relação à PSP e a outras forças de segurança que estão na “linha da …