Partidos que aprovaram lei Uber farão alterações pedidas por Marcelo

Mário Cruz / Lusa

Depois do veto do Presidente da República à lei das plataformas eletrónicas de transportes de passageiros, como a Uber e a Cabify, PS, PSD e CDS vão proceder às alterações pedidas por Marcelo.

O Presidente do PS, Carlos César, disse que o partido fará “um esforço para acomodar as preocupações do Presidente” da República. As declarações surgiram após o anúncio do veto ao diploma que regulamenta as plataformas eletrónicas de transportes de passageiros, como a Uber e a Cabify.

Numa declaração enviada à agência Lusa, citada pela revista Sábado, Carlos César acrescentou: “Não confirmaremos, por isso, o diploma e procuraremos essas alterações”.

Tal como os socialistas, o PSD também afirmou que iria prestar “toda a atenção” ao veto presidencial, levando em conta as recomendações deixadas por Marcelo Rebelo de Sousa. “Ainda não tive oportunidade de ler o texto do senhor Presidente, mas tenho uma noção do que diz. E, portanto, o PSD vai com atenção, com toda a atenção, olhar àquilo que são os reparos do senhor Presidente da República e, quando a lei voltar a ser apreciada no parlamento, ter em conta essas recomendações”, disse Rui Rio na Guarda.

“Ainda não vi com atenção o veto do Presidente da República, mas pelo que vi, dá-me ideia que há alguma razão da parte do senhor Presidente da República“, concluiu Rio.

Apesar de assumir, logo de início que terá em consideração as apreciações deixadas pelo Presidente ao diploma, o CDS reagiu com “alguma surpresa” ao anúncio do veto.

“Reconhecemos que é preciso, ao mesmo tempo que se moderniza ou se dá a oportunidade de haver enquadramento legal a um novo modelo, que o modelo tradicional tenha também as capacidades de ter as mesmas armas“, explicou Hélder Amaral, em declarações à agência Lusa.

Assumindo “alguma surpresa” pelo veto de Marcelo Rebelo de Sousa, o deputado diz que o CDS vai fazer aquilo que pede o Presidente da República. “Vamos estar muito atentos e tentar corrigir, ou seja, tentar ser mais claros e mais precisos na separação do modelo, o que, para nós, continua a não se confundir: uma coisa são plataformas eletrónicas, outra coisa é serviço público de táxi; e, obviamente, modernizar, como pede o senhor Presidente da República, ou criar condições para que o setor do táxi se modernize, naquilo que é compatível, coincidente e comum às plataformas, o que é muito pouco”, defendeu o deputado.

Hélder Amaral espera que o Presidente da República “perceba que o espírito do legislador nunca foi mudar a lei do táxi, foi fazer um negócio novo”, o que, no seu entender, “é uma mensagem que o parlamento terá de saber interpretar e responder em conformidade”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Marco António Costa apoia Pinto Luz. Cavaco também era “improvável e desconhecido”

O antigo vice-presidente do PSD declarou, esta segunda-feira, o seu apoio ao candidato Miguel Pinto Luz, afirmando que, em 1985, Cavaco Silva também foi um vencedor "improvável e desconhecido". "Em maio de 1985, o Governo de …

Veneza com "centenas de milhões" de euros de prejuízo por causa das cheias

A cidade de Veneza, com inundações nos últimos dias, voltou este domingo a registar uma maré alta, mas de menor magnitude, tendo as chuvas intensas que afetam Itália levado a alertas para as cidades de …

Vila Galé abandona projeto que ameaçava reserva indígena no Brasil

O Vila Galé anunciou que vai abandonar o projeto para a instalação de um resort na região da Bahia, que tem estado debaixo de críticas por estar previsto para um local de potencial reserva indígena. Em …

Depois de ter sido expulsa da Hungria, universidade criada por George Soros reabre na Áustria

A Universidade da Europa Central, criada pelo bilionário George Soros em Budapeste, na Hungria, em 1991, foi expulsa do país depois que o primeiro-ministro Viktor Orbán a acusou de promover valores liberais no país, incluindo …

Bloco defende fim de portagens nas ex-Scut do interior

A coordenadora do BE defendeu esta segunda-feira, no Porto, o fim das portagens nas ex-Scut do interior do país e a necessidade de "rever" as parcerias público-privadas rodoviárias por serem "absolutamente lesivas para os cofres …

Jovem muçulmana de Tavira já tem equipamento para jogar basquetebol

A jovem atleta do Clube de Basquetebol de Tavira, impedida de alinhar num jogo no passado domingo, já possui o equipamento que lhe permite jogar segundo as regras da modalidade e da religião muçulmana. Fátima Habib …

Presidente da Catalunha começa a ser julgado por desobediência

O presidente do Governo regional da Catalunha reconheceu, esta segunda-feira, que não cumpriu a ordem da comissão nacional de eleições espanhola de remover os símbolos separatistas alegando ser "ilegal" e de cumprimento "impossível". "Sim, eu desobedeci", …

Um restaurante acabou de abrir a um quarteirão da Casa Branca. Chama-se "Comida de Imigrante"

Um restaurante chamado "Immigrant Food" ("Comida de Imigrante") abriu a um quarteirão da Casa Branca. O local quer fazer com que ajudar imigrantes seja tão fácil como pedir comida de um menu. Assim, além de comida, …

Trump admite testemunhar no inquérito para a sua destituição

O Presidente dos EUA admitiu, esta segunda-feira, "considerar seriamente" a possibilidade de testemunhar por escrito no inquérito para a sua destituição, que decorre no Congresso. "Embora não tenha feito nada de errado e não goste de …

INE espanhol está a "espiar" telemóveis para estudo estatístico

Um estudo do INE espanhol está a receber duras críticas por alegadamente infringir a privacidade de dados dos cidadãos. O gabinete irá monitorizar os telemóveis dos espanhóis. O Instituto Nacional de Estatística (INE) de Espanha deu …