Marcelo veta “lei da Uber”

José Sena Goulão / Lusa

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa

O Presidente da República solicitou este domingo ao parlamento que volte a apreciar a lei que irá regular a atividade das plataformas eletrónicas de transporte de passageiros como a Uber e a Cabify, modernizando ainda a legislação dos táxis.

“O Presidente da República enviou hoje uma mensagem à Assembleia da República, indicando que decidiu devolver, sem promulgação, o decreto n.º 201/XIII, relativo ao regime jurídico de transporte individual e remunerado de passageiros em veículos descaracterizados a partir de plataforma eletrónica”, o chamado TVDE, informa uma nota publicada no site da Presidência.

O objetivo de Marcelo Rebelo de Sousa é que o parlamento “mostre abertura para reponderar a mencionada solução, por forma a ir mais longe do que foi – nomeadamente nas tarifas ou na contribuição -, na obtenção desse equilíbrio no tratamento de operadores de transportes em domínio socialmente tão sensível, idealmente regulando o TVDE em simultâneo com a modernização da regulação dos táxis“, refere a mesma informação.

A Federação Portuguesa do Táxi e a Associação Nacional dos Transportes Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL) aplaudiram o veto do Presidente da República à lei que regularia a atividade das plataformas eletrónicas de passageiros, considerando-a desequilibrada.

Aplaudimos a posição do Presidente da República. Aliás, faço lembrar que no dia em que o parlamento votou aquela lei, eu disse que tinha sido criado um monstro e que, se fosse promulgada, essa lei levava à falência milhares de empresários e, felizmente, que há pessoas de bom senso e o senhor Presidente da República percebeu isso e fez muito bem em vetar a lei e em mandá-la para o parlamento”, disse à agência Lusa o presidente da FPT, Carlos Ramos.

Por seu lado, o presidente da ANTRAL, Florêncio Almeida, disse ver “com alguma alegria” a posição de Marcelo Rebelo de Sousa, argumentando que, a ser promulgada, seria “uma lei prejudicial em relação ao setor do táxi“.

“Não podemos, de forma alguma, permitir que haja um setor paralelo ao setor do táxi através de uma concorrência sem regras e sem lei”, acrescentou.

Para o chefe de Estado, a lei gera “reservas políticas de fundo”, desde logo ao nível da concorrência.

O regime jurídico de transporte individual e remunerado de passageiros em veículos descaracterizados a partir de plataforma eletrónica, o chamado TVDE, foi aprovado pelo parlamento no final de março, em votação final global.

Cabify garante colaboração com parlamento para lei “progressista” após do veto do PR

A plataforma eletrónica de transporte privado de passageiros Cabify assegurou que vai colaborar com a Assembleia de República para “uma regulação progressista” após o veto do Presidência da República ao diploma que regularia a atividade.

Para a Cabify, “alcançar este objetivo só será possível com a consideração de todas as partes envolvidas”.

“Acreditamos que, em breve, estaremos a operar em Portugal, num setor regulado e justo, bem como num ecossistema que favoreça a inovação e as necessidades dos utilizadores”, adianta.

A nova lei deixa de fora a definição, pelas autarquias, do número de veículos ao serviço das plataformas, os chamados contingentes, defendidos pelas associações dos táxis.

O facto de veículos de transporte de passageiros através de plataformas eletrónicas se encontrarem a operar desde 2014 sem regulamentos tem sido contestado pelo setor do táxi.

A Uber disse, por sua vez, esperar a “breve aprovação” de uma lei “moderna e transparente”.

“Continuaremos a acompanhar o processo legislativo e aguardamos pela breve aprovação de um quadro regulatório moderno e transparente para a mobilidade nas cidades portuguesas, que traga a devida clareza jurídica à atividade de mais de cinco mil motoristas”, indicou a Uber, numa curta reação enviada à agência Lusa.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Curso de educação e boas maneiras, bem como a transparecia nos percursos nos táxis, algo que a nova lei devia de comtemplar.
    Se querem igualdade nas taxas, então dar também a possibilidade de os condutores da nova plataforma poderem deduzir os mesmos montantes que os taxistas e circular na faixa de BUS

    Vivo em Barcelona mas nasci e cresci em Lisboa, vim este fim de semana visitar a família, cheguei na quinta feira ao aeroporto, a minha mulher as miúdas (ambas espanholas) entraram no táxi primeiro e enquanto eu entrava e punha o cinto as miúdas a minha mulher deu a direção ao condutor (em um papel impresso com a direção e código postal) Saímos do aeroporto para Odivelas, e eu e minha mulher seguimos a conversar em espanhol e distraídos.
    Quando eu reparei onde estava, tinha a estação de Santa Apolónia á minha direita.
    Perguntei, agora em Português, e de uma forma educada que caminho estava a fazer e se seguia algum GPS, ele respondeu que este era o caminho mais rápido, eu então respondi que o caminho mais rápido era no sentido inverso, sair do aeroporto, apanhar o túnel do grilo e descer á póvoa / Odivelas.
    Nessa altura a reação mal educada do taxista foi, se sabia ou queria outro caminho devia ter dito logo de início.
    Nesse momento estávamos a chegar ao cais das colunas, mandei parar na polícia, recusei a pagar e chamei o polícia para apresentar queixa. O taxista teve a lata de responder que mandei ir para o Rossio.
    Enfim, o meu advogado vai agora seguir com a queixa contra o motorista.

    Sei que não são todos iguais, alguns taxistas são bastante educados e sérios, mas na Uber seguem um GPS, e eu recebo uma factura com o percurso efectuado.
    Transparência.

    • Os taxistas do aeroporto de Lisboa são especialmente ladrões. Todos têm os taxímetros adulterados. Qualquer percurso custa sempre 20 euros no mínimo. Quanto o taxí pára, desligam a chave e carregam num botão escondido, ligam a chave de novo e o taxímetro mostra o valor que eles querem. A PSP sabe e não faz nada. Uma vez fui atentamente a olhar para o taxímetro a viagem toda e ao parar o condutor não teve coragem de aplicar o truque e no fim atirou-me as moedas do troco e insultou-me. Lisboa no seu pior… Quanto à Uber, desde que pagem impostos e segurança social e cumpram as normas de segurança na estrada, fazem um favor a todos.

  2. um politico inteligente ,sensato e equilibrado ,infelizmente existem poucos como ele, em portugal,sao uma especie em vias de extinçao,para mal de todos nos : (

RESPONDER

Alemanha. Funcionário de posto de combustível abatido a tiro por cliente que se recusou a usar máscara

Um homem de 49 anos matou um funcionário de um posto de combustível na Alemanha, após tentar comprar cerveja sem utilizar a máscara. No país, o uso deste equipamento de proteção é obrigatório para entrar …

Um violino gigante flutuou no Grande Canal de Veneza (ao som de Vivaldi)

No passado fim de semana, um violino gigante, com quase 12 metros de comprimento, desceu o Grande Canal de Veneza. A bordo estava um quarteto de cordas, que tocou Four Seasons de Vivaldi. O Noah's Violin …

Assembleia de credores aprova recuperação da Groundforce

Esta quarta-feira, os credores da Groundforce aprovaram a recuperação da empresa. Em causa está uma dívida de 154 milhões de euros. Os credores da Groundforce, reunidos esta quarta-feira em assembleia de credores, no tribunal de Monsanto, …

Europeus acreditam numa "guerra fria" entre os EUA e a China e Rússia

A maioria dos cidadãos da União Europeia (UE), 62%, considera que os Estados Unidos (EUA), com apoio das instituições comunitárias, estão numa nova "guerra fria" com a China, mas recusam envolvimento nacional, revelou um inquérito …

Desenho de Van Gogh esteve guardado mais de 100 anos. Agora, é exibido pela primeira vez

O Museu de Amesterdão, nos Países Baixos, ganhou um novo inquilino: Study for 'Worn Out', um desenho recém-descoberto de Vincent van Gogh. O holandês Vincent van Gogh ainda continua a impressionar o mundo inteiro com a …

No Afeganistão, as professoras estão prontas para desafiar o regime talibã

No Afeganistão, as professoras estão prontas para desafiar o regime talibã, com receio de que os avanços dos últimos 20 anos tenham sido conquistados em vão. A Vice falou com algumas professoras afegãs que garantem continuar …

Apenas um terço das crianças em 91 países tem acesso a uma alimentação adequada, alerta UNICEF

Apenas um terço das crianças com menos de dois anos em 91 países em desenvolvimento têm acesso aos alimentos que necessitam para um crescimento saudável, revelou um relatório da UNICEF, apontando que nenhum progresso foi …

Preços das casas voltaram a aumentar no segundo trimestre

Entre abril e junho, o índice de Preços da Habitação (IPHab) cresceu 6,6% em termos homólogos. A revelação foi feita esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). O Índice de Preços da Habitação (IPHab) cresceu …

China anuncia fim de novas centrais a carvão no estrangeiro

Segundo os especialistas, o impacto da medida deverá depender da forma como será implementada, podendo ter um grande impacto na luta contra as alterações climáticas. Num anúncio bem recebido por ativistas e organizações ambientes, a China …

Roménia vai distribuir €200 mil a quem tiver vacinação completa contra a covid-19

A Roménia anunciou uma "lotaria de vacinação" que distribuirá prémios de até 200.000 euros entre aqueles que tiverem a vacinação completa, na tentativa de elevar a taxa de imunização, a segunda mais baixa da União …