Marcelo veta “lei da Uber”

José Sena Goulão / Lusa

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa

O Presidente da República solicitou este domingo ao parlamento que volte a apreciar a lei que irá regular a atividade das plataformas eletrónicas de transporte de passageiros como a Uber e a Cabify, modernizando ainda a legislação dos táxis.

“O Presidente da República enviou hoje uma mensagem à Assembleia da República, indicando que decidiu devolver, sem promulgação, o decreto n.º 201/XIII, relativo ao regime jurídico de transporte individual e remunerado de passageiros em veículos descaracterizados a partir de plataforma eletrónica”, o chamado TVDE, informa uma nota publicada no site da Presidência.

O objetivo de Marcelo Rebelo de Sousa é que o parlamento “mostre abertura para reponderar a mencionada solução, por forma a ir mais longe do que foi – nomeadamente nas tarifas ou na contribuição -, na obtenção desse equilíbrio no tratamento de operadores de transportes em domínio socialmente tão sensível, idealmente regulando o TVDE em simultâneo com a modernização da regulação dos táxis“, refere a mesma informação.

A Federação Portuguesa do Táxi e a Associação Nacional dos Transportes Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL) aplaudiram o veto do Presidente da República à lei que regularia a atividade das plataformas eletrónicas de passageiros, considerando-a desequilibrada.

Aplaudimos a posição do Presidente da República. Aliás, faço lembrar que no dia em que o parlamento votou aquela lei, eu disse que tinha sido criado um monstro e que, se fosse promulgada, essa lei levava à falência milhares de empresários e, felizmente, que há pessoas de bom senso e o senhor Presidente da República percebeu isso e fez muito bem em vetar a lei e em mandá-la para o parlamento”, disse à agência Lusa o presidente da FPT, Carlos Ramos.

Por seu lado, o presidente da ANTRAL, Florêncio Almeida, disse ver “com alguma alegria” a posição de Marcelo Rebelo de Sousa, argumentando que, a ser promulgada, seria “uma lei prejudicial em relação ao setor do táxi“.

“Não podemos, de forma alguma, permitir que haja um setor paralelo ao setor do táxi através de uma concorrência sem regras e sem lei”, acrescentou.

Para o chefe de Estado, a lei gera “reservas políticas de fundo”, desde logo ao nível da concorrência.

O regime jurídico de transporte individual e remunerado de passageiros em veículos descaracterizados a partir de plataforma eletrónica, o chamado TVDE, foi aprovado pelo parlamento no final de março, em votação final global.

Cabify garante colaboração com parlamento para lei “progressista” após do veto do PR

A plataforma eletrónica de transporte privado de passageiros Cabify assegurou que vai colaborar com a Assembleia de República para “uma regulação progressista” após o veto do Presidência da República ao diploma que regularia a atividade.

Para a Cabify, “alcançar este objetivo só será possível com a consideração de todas as partes envolvidas”.

“Acreditamos que, em breve, estaremos a operar em Portugal, num setor regulado e justo, bem como num ecossistema que favoreça a inovação e as necessidades dos utilizadores”, adianta.

A nova lei deixa de fora a definição, pelas autarquias, do número de veículos ao serviço das plataformas, os chamados contingentes, defendidos pelas associações dos táxis.

O facto de veículos de transporte de passageiros através de plataformas eletrónicas se encontrarem a operar desde 2014 sem regulamentos tem sido contestado pelo setor do táxi.

A Uber disse, por sua vez, esperar a “breve aprovação” de uma lei “moderna e transparente”.

“Continuaremos a acompanhar o processo legislativo e aguardamos pela breve aprovação de um quadro regulatório moderno e transparente para a mobilidade nas cidades portuguesas, que traga a devida clareza jurídica à atividade de mais de cinco mil motoristas”, indicou a Uber, numa curta reação enviada à agência Lusa.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Curso de educação e boas maneiras, bem como a transparecia nos percursos nos táxis, algo que a nova lei devia de comtemplar.
    Se querem igualdade nas taxas, então dar também a possibilidade de os condutores da nova plataforma poderem deduzir os mesmos montantes que os taxistas e circular na faixa de BUS

    Vivo em Barcelona mas nasci e cresci em Lisboa, vim este fim de semana visitar a família, cheguei na quinta feira ao aeroporto, a minha mulher as miúdas (ambas espanholas) entraram no táxi primeiro e enquanto eu entrava e punha o cinto as miúdas a minha mulher deu a direção ao condutor (em um papel impresso com a direção e código postal) Saímos do aeroporto para Odivelas, e eu e minha mulher seguimos a conversar em espanhol e distraídos.
    Quando eu reparei onde estava, tinha a estação de Santa Apolónia á minha direita.
    Perguntei, agora em Português, e de uma forma educada que caminho estava a fazer e se seguia algum GPS, ele respondeu que este era o caminho mais rápido, eu então respondi que o caminho mais rápido era no sentido inverso, sair do aeroporto, apanhar o túnel do grilo e descer á póvoa / Odivelas.
    Nessa altura a reação mal educada do taxista foi, se sabia ou queria outro caminho devia ter dito logo de início.
    Nesse momento estávamos a chegar ao cais das colunas, mandei parar na polícia, recusei a pagar e chamei o polícia para apresentar queixa. O taxista teve a lata de responder que mandei ir para o Rossio.
    Enfim, o meu advogado vai agora seguir com a queixa contra o motorista.

    Sei que não são todos iguais, alguns taxistas são bastante educados e sérios, mas na Uber seguem um GPS, e eu recebo uma factura com o percurso efectuado.
    Transparência.

    • Os taxistas do aeroporto de Lisboa são especialmente ladrões. Todos têm os taxímetros adulterados. Qualquer percurso custa sempre 20 euros no mínimo. Quanto o taxí pára, desligam a chave e carregam num botão escondido, ligam a chave de novo e o taxímetro mostra o valor que eles querem. A PSP sabe e não faz nada. Uma vez fui atentamente a olhar para o taxímetro a viagem toda e ao parar o condutor não teve coragem de aplicar o truque e no fim atirou-me as moedas do troco e insultou-me. Lisboa no seu pior… Quanto à Uber, desde que pagem impostos e segurança social e cumpram as normas de segurança na estrada, fazem um favor a todos.

  2. um politico inteligente ,sensato e equilibrado ,infelizmente existem poucos como ele, em portugal,sao uma especie em vias de extinçao,para mal de todos nos : (

RESPONDER

Depois da polémica, Hank Azaria deixa de dar voz a Apu dos "Simpsons"

O ator que dá voz à personagem indiana Apu Nahasapeemapetilon, da série "Os Simpsons", anunciou que vai deixar de o fazer, depois de vários anos de polémica. Segundo a BBC, Hank Azaria anunciou, este fim-de-semana, que …

"Parasite" vence prémio principal do Sindicato dos Atores dos EUA

O filme do realizador sul-coreano Bong Joon-ho venceu, no domingo, o prémio mais importante do Sindicato dos Atores dos Estados Unidos (SAG), tornando-se o primeiro filme em língua estrangeira a receber tal distinção. A comédia negra …

Cientistas criam método inovador para tratamento de lesões agudas da pele

Investigadores do Centro de Neurociências e Biologia Celular (CNC) de Coimbra desenvolveram um método “inovador e sensível à luz”, que poderá ser útil no tratamento de lesões agudas da pele. Um grupo de investigadores do CNC …

Elon Musk quer enviar 10 mil pessoas a Marte até 2050

O CEO da Space X, Elon Musk, quer construir cem naves por ano e levar pelo menos dez mil pessoas a Marte até 2050, embora os protótipos das naves espaciais Starship ainda estejam sujeitos a …

Como será um iPhone daqui a um milhão de anos? Artista mostra o impacto de lixo eletrónico

https://vimeo.com/386000590 A exposição The World After Us: Imaging techno-aestethic futures tem instalações onde se pode ver a natureza a tomar conta de telemóveis, computadores, tablets e outros dispositivos, mostrando que dificilmente se desintegrarão nos próximos anos. Os …

Marca japonesa acusada de apropriação cultural por perucas de modelos

A marca japonesa Comme Des Garçons foi acusada de apropriação cultural devido às perucas usadas pelos seus modelos caucasianos num desfile na Paris Fashion Week, em França. De acordo com a BBC, as perucas com tranças …

Índia suspende a construção da primeira linha do comboio ultra-rápido Hyperloop

As autoridades estatais do estado indiano de Maharashtra decidiram suspender a construção da primeira linha do comboio ultra-rápido Hyperloop, que iria ligar as movimentadas cidades de Bombaim e Pune. O Governo local decidiu não avançar para …

Regina Duarte inicia "período de testes" na Secretaria da Cultura do Brasil

A atriz brasileira afirmou, esta segunda-feira, que iniciou um "período de testes" na Secretaria Especial da Cultura, pasta que foi convidada a liderar após a exoneração de um governante que parafraseou um discurso nazi. "Nós vamos …

Malásia devolve 150 contentores ilegais de lixo a países desenvolvidos

As autoridades da Malásia anunciaram, esta segunda-feira, que devolveram 150 contentores ilegais de lixo para os seus países de origem e afirmaram que não se querem tornar num "aterro sanitário" dos países desenvolvidos. Os países da …

Vietname contorna Huawei ao desenvolver tecnologia própria para o 5G

O maior grupo de telecomunicações do Vietname vai implementar este ano o 5G com recurso à sua própria tecnologia, contornando os chineses da Huawei, num sinal das implicações geopolíticas da rede de quinta geração. A empresa …