PSD, PCP, CDS, IL e Chega criticam “generalização” na vacinação dos políticos. Alguns deputados recusam ser vacinados

A partir da próxima semana há um novo grupo que começa a ser vacinado contra a covid-19: os titulares de cargos políticos. Mas já há vários deputados e líderes partidários a dizer que não querem ser vacinados mais cedo.

De acordo com um despacho, emitido na segunda-feira por António Costa e a que o Diário de Notícias teve acesso, políticos e membros de outros órgãos do Estado deverão ter prioridade na vacinação.

Também a Provedora da Justiça, os elementos do Conselho de Estado e a magistratura do Ministério Público também vão estar incluídos na vacinação que tem início na primeira semana de fevereiro.

No entanto, deputados do PSD, CDS e IL já disseram que abdicarão da prioridade.

Numa mensagem enviada a Eduardo Ferro Rodrigues, e a que a agência Lusa teve acesso, João Cotrim Figueiredo refere que tomou conhecimento pela comunicação social de que “o Governo teria enviado um despacho à Presidência da Assembleia da República para que esta indicasse as pessoas que, nesta Assembleia, deveriam ser prioritárias no acesso à vacinação contra o vírus SARS-Cov-2”.

“Se esta informação estiver correta, venho informar V.Exa. de que não pretendo ser incluído em qualquer grupo prioritário e de que, desde, já cedo a vacina que me pudesse vir a ser reservada a um profissional de saúde do setor social, privado ou público que não tenha ainda sido vacinado”, garante.

Mas não é caso único. Também Ricardo Baptista Leite, deputado e vice-presidente do PSD, escreveu esta terça-feira nas redes sociais que, para já, apenas “faz sentido vacinar as 3 primeiras figuras do Estado: Presidente da República, presidente da Assembleia da República e Primeiro-ministro”.

“Alargar aos demais titulares quando o país ainda não vacinou toda a população +80 anos ou profissionais de saúde parece-me de difícil compreensão. Pessoalmente irei esperar pelo meu lugar na 3.ª fase de vacinação”, assegurou.

Também Alexandre Poço e Cristóvão Norte se manifestaram nas redes sociais.

“Sou contra vacinarem-me antes dos demais, não sou idoso nem doente”, escreveu Cristóvão Norte no Twitter no dia 30 de dezembro, como fez questão de recordar esta terça-feira no Facebook.

Alexandre Poço concorda com a vacinação de António Costa mas enquanto deputado dispensa e aguardará pela fase a que tem direito, “como qualquer cidadão”.

De acordo com o Observador, o PCP também já reagiu, afirmando que a “prioridade dada a titulares de altos responsáveis do Estado” é “compreensível em situações concretas”, mas que “tem uma generalização que se afigura excessiva”.

André Ventura, que já em campanha tinha criticado a decisão do Governo, esta terça-feira, no Twitter, garantiu “não aceitar” ser vacinado antes de idosos e profissionais na linha da frente: “Cedo de bom grado a minha vacina a um polícia, um bombeiro ou um idoso”.

Priorizar vacinação de políticos é um “péssimo exemplo”

O presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, defendeu hoje que priorizar a vacinação contra a covid-19 de todos os titulares de cargos políticos “é um péssimo exemplo” e “um insulto” ao país.

Em comunicado, Francisco Rodrigues dos Santos sublinhou que a “prioridade na vacinação a todos os titulares de órgãos de soberania é um péssimo exemplo ao país” e também “um insulto” para os “que mais sofrem” com a pandemia.

“É indefensável colocar todos esses políticos à frente dos mais idosos, dos utentes dos lares, dos profissionais de saúde – tanto do público como do privado – e de outros grupos de risco que ainda não foram vacinados”, declarou.

Francisco Rodrigues dos Santos reiterou que se estivesse abrangido por este “direito prioritário” cederia a sua vacina a um idoso.

“Defendo há muitas semanas a revisão imediata do plano de vacinação, para que os mais idosos, acima dos 80 anos, sejam incluídos na primeira fase do plano”, acrescentou Rodrigues dos Santos.

Também na bancada do CDS, João Almeida demonstrou a intenção de aguardar pela sua vez de ser vacinado “como se não exercesse o mandato de deputado” considerando que foi “eleito em lista” e que “pode ser substituído”.

Ainda assim, destaca a necessidade de vacinar rapidamente “as principais figuras do Estado” – Presidente da República, Primeiro-ministro e presidente da Assembleia da República – criticando o “populismo se não se terem considerado prioritários” desde o primeiro momento.

Os titulares de órgãos de soberania, deputados, funcionários da Assembleia da República, membros dos órgãos das regiões autónomas da Madeira e dos Açores, assim como presidentes de câmara, enquanto responsáveis da proteção civil, vão começar a ser vacinados na próxima semana.

A pandemia da doença provocada pelo SARS-CoV-2 provocou 291 mortes e 10.765 infeções nas últimas 24 horas.

Sofia Teixeira Santos Sofia Teixeira Santos, ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Já pode "adotar" um pedaço de Notre-Dame para ajudar na sua reconstrução

Uma organização está a dar a oportunidade de o público ajudar na reconstrução de artefactos específicos da catedral de Notre-Dame, em França, que foi parcialmente destruída por um incêndio em 2019. De acordo com a cadeia …

Proporção divina identificada na gerbera

Descobrir como se formam os padrões distintos e omnipresentes das cabeças das flores tem intrigado os cientistas há séculos. Quando se pede a alguém que desenhe um girassol, quase todas as pessoas desenham um grande círculo …

Audi apresenta o novo Q4 e-tron que traz uma autonomia até 520 km

Ainda antes do verão, a Audi vai colocar no mercado o seu primeiro SUV elétrico concebido de raiz e não adaptado a partir de uma plataforma concebida para motores a combustão. O Q4 e-tron destaca-se pela …

Vanuatu em alerta depois de um corpo com covid-19 ter dado à costa

Vanuatu proibiu viagens de e para a sua principal ilha três dias depois de ter dado à costa um corpo de um pescador filipino, que testou positivo à covid-19. De acordo com a Radio New Zealand, …

Cientistas russos querem criar a primeira vacina comestível contra a covid-19

O Instituto de Medicina Experimental de São Petersburgo, na Rússia, anunciou o seu plano de concluir dentro de um ano os testes pré-clínicos da primeira vacina comestível do mundo contra o novo coronavírus. Em entrevista à …

Em plena crise política, o país mais pobre das Américas ainda não recebeu nenhuma vacina

Numa altura em que a maior parte dos países já têm o processo de vacinação a decorrer, o governo do Haiti ainda não garantiu uma única dose da vacina contra o coronavírus. O país mais pobre …

Afinal, Leonardo da Vinci não esculpiu o busto de Flora

Está terminada a controvérsia que durou mais de cem anos após a aquisição do Busto de Flora em 1909, por Wilhelm von Bode. A datação por radiocarbono revelou, recentemente, que a obra não foi …

Crise climática "implacável" intensificou-se em 2020, diz relatório da ONU

Houve uma intensificação "implacável" da crise climática em 2020, com a queda temporária nas emissões de carbono devido ao confinamento a ter um impacto pouco significativo nas concentrações de gases de efeito de estufa, revelou …

Já se sabe o que causou a misteriosa "tempestade de asma", que vitimou dez pessoas em 2016

Em 2016, na cidade de Melbourne, aconteceu o evento de "tempestade de asma" mais grave do mundo. Os cientistas descobriram agora o culpado. No dia 21 de novembro de 2016, as urgências de um hospital em …

Carlos César reivindica papel do PS na construção da democracia e no combate à corrupção

O presidente do PS defendeu, esta segunda-feira, que se deveu ao seu partido o aprofundamento da democracia e os avanços no combate à corrupção, embora admitindo desvios", "erros" e "omissões num ou outro momento da …