Projeto Mutante. Governo chinês terá apoiado secretamente criação de bebés editados geneticamente

(dr) Xinhua

Vários altos funcionários do Partido Comunista Chinês terão apoiado a criação de bebés geneticamente modificados, apesar de o Governo do país ter condenado He Jiankui, cientistas que criou os primeiros no final de 2018.

No final de 2018, o mundo científico foi abalado pela notícia de que um cientista chinês chamado He Jiankui havia criado secretamente os primeiros bebés humanos geneticamente modificados do mundo.

Num livro chamado “O Projeto Mutante: Por Dentro da Corrida Global para Modificar Geneticamente Humanos”, segundo o jornal norte-americano The Wall Street Journal, o antropólogo cultural Eben Kirksey examinou o impacto desses estudos.

Segundo Kirksey, o projeto tinha vários apoiantes e colaboradores – e até obteve o apoio de vários funcionários importantes do Partido Comunista durante o seu trabalho inicial.

Kirksey revelou ainda que estas experiências eram um “segredo aberto” na comunidade académica.

Até certo ponto, isso não é surpreendente. Em fevereiro de 2019, o STAT relatou que a China provavelmente tinha financiado algumas das investigações de He Jiankui. Além disso, um grupo de cientistas internacionais tinha conhecimento do trabalho do cientista chinês.

Em 2018, Jiankui revelou como deu origem a duas gémeas resistentes ao VIH, desativando um gene que codifica uma proteína que permite que o vírus entre nas células, salientando que se encontram num estado “normal e saudável”. Na mesma conferência, também acrescentou que havia um terceiro bebé que pode nascer igualmente alvo de embriões geneticamente modificados.

Porém, o apoio não durou muito tempo. He desapareceu depois de as suas experiências terem recebido atenção internacional, tendo o Governo chinês rapidamente distanciado-se do seu trabalho. He foi condenado a três anos de prisão em dezembro de 2019.

A comunidade científica também denunciou rapidamente o seu trabalho, que pretendia garantir aos bebés imunidade ao VIH. Colegas disseram que He tinha “ido por atalhos” e até mesmo forjado avaliações éticas das suas experiências.

O consenso é que é muito cedo para dizer quais são as consequências a longo prazo de mexer no código genético em embriões humanos vivos.

Outros estudos já descobriram que a edição de genes pode induzir mudanças indesejadas em embriões humanos. Um deles estudo, por exemplo, descobriu que uma pequena edição para reparar um gene em embriões humanos para tratar a cegueira hereditária resultou na eliminação de grandes faixas de um cromossomo inteiro.

No seu livro, Kirksey argumentou que pode ser demasiado tarde para interromper totalmente a investigação de edição de genes. Porém, o que ainda está em debate é quanto tempo demorará até que os efeitos de tais esforços sejam sentidos pela população em geral.

Kirksey também discute as pressões sociais subjacentes que podem levar ao desejo de editar doenças geneticamente – e, eventualmente, talvez levar a bebés projetados que foram editados por genes para serem mais inteligentes, fortes ou saudáveis.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Governo tem margem de 1600 milhões de euros nas negociações do Orçamento

Os dados são de um relatório do Conselho das Finanças Públicas, que deixa alertas para que o executivo não se estique muito no aumento da despesa e no corte à receita. Segundo escreve o Público, o …

Mundial de Futsal. Portugal esmaga as Ilhas Salomão por 7-0 e tem um pé nos oitavos

Portugal lidera o grupo C e pode garantir o apuramento caso Marrocos não perca contra a Tailândia. A seleção portuguesa de futsal, campeã europeia em título, somou hoje o segundo triunfo em dois jogos no grupo …

"Dezenas de pessoas" da comitiva de Putin infetadas com covid-19

O Presidente russo, Vladimir Putin, informou que dezenas de pessoas da sua comitiva testaram positivo para o coronavírus, doença que afetou mais de 7 milhões de habitantes no país. Putin entrou em isolamento no início desta …

Uber investe 90 milhões em novo ‘hub’ e sede em Lisboa e espera contratar mais 200 pessoas

A Uber está a investir 90 milhões de euros num novo ‘hub’ e sede de operações em Lisboa, hoje inaugurados, criando mais de 400 empregos diretos e pretendendo contratar mais 200 pessoas até final do …

Máscara nos espaços fechados e eventual terceira dose em massa - as conclusões da reunião no Infarmed

Terminou há momentos a reunião do governo com especialistas no Infarmed sobre o balanço da evolução da pandemia e as recomendações das medidas que devem ser adoptadas nesta nova fase. A reunião começou com as …

"Cruzeiro espacial" da SpaceX com quatro civis já está em órbita

Voo espacial terá a duração de três dias e cada um do seus tripulantes (quatro civis) terá uma tarefa na missão. Ainda assim, viagem tem um objetivo nobre e social. Passo a passo, Elon Musk parece …

Líder do PAN faz queixa no Ministério Público depois de ser ameaçada de morte

A deputada mostrou no Twitter o tipo de insultos e ameaças que tem recebido e avisa que não se vai calar ou permitir que o desrespeito continue. Inês Sousa Real foi insultada e ameaçada nas redes …

Árbitro foi muito "benévolo" com o FC Porto

O golo de Taremi e a expulsão de Mbemba originaram protestos portugueses. Os espanhóis têm uma visão diferente. O Atlético de Madrid-FC Porto contou com duas boas equipas em campo e uma "que esteve menos bem", …

Buraco na camada de ozono ultrapassa o tamanho da Antártida

A dimensão do buraco na camada de ozono no hemisfério sul ultrapassou o tamanho da Antártida, continente com cerca de 14 milhões de quilómetros quadrados, anunciou hoje o serviço europeu Copernicus, de monitorização da atmosfera. “O …

Políticos e especialistas querem legalizar canábis (com impostos para prevenir o consumo)

Um grupo de 65 personalidades, entre especialistas médicos e ex-ministros, apela à legalização da canábis, considerando que é a melhor forma de prevenir o consumo desta droga, nomeadamente através dos impostos aplicados ao sector. Esta carta …