Parlamento vai ter 94 estreantes e (pela primeira vez) três deputadas negras

Livre

Joacine Katar Moreira, Partido Livre

Nas eleições deste domingo, das quais o PS saiu vitorioso sem maioria, fez-se história no que toca a representatividade no Parlamento: pela primeira vez, foram eleitas três deputadas negras, por três partidos diferentes e por Lisboa.

As três recém-eleitas defendem o combate ao racismo e partilham raízes na Guiné-Bissau.

Joacine Katar Moreira (Livre), Beatriz Gomes Dias (Bloco de Esquerda) e Romualda Fernandes (Partido Socialista) são as mulheres que protagonizam esta mudança no paradigma da Assembleia da República, escreve o jornal Público esta segunda-feira, dando conta que todos os partidos que estas deputadas vão representar têm nos seus programas eleitorais o combate ao racismo.

Joacine Katar Moreira, 37 anos, é a primeira mulher negra a assumir a liderança da lista de um partido político em legislativas. Em entrevista ao ZAP, no âmbito das eleições e ainda antes de ser eleita, frisou que a AR precisa de maior representatividade.

“Estava na hora de avançarmos no sentido de a Assembleia da República começar a ser a imagem das nossas sociedades. Necessitamos de uma Assembleia da República onde todas as vozes são representadas, onde todas as reivindicações estão representadas”, afirmou Joacine, que é formada em História e tem histórico no ativismo anti-racismo.

Também Beatriz Gomes Dias, de 48 anos, eleita como número três da lista do Bloco Esquerda e professora de Biologia, vem do ativismo anti-racismo.

Ao Público, recordou que “a representatividade”, uma das reivindicações dos movimentos sociais, “não se esgota com a eleição de três deputadas”: “Faltam outros representantes das comunidades racializadas (…) Esta é uma conquista histórica que acontece na sequência das lutas emancipatórias”, sublinhou.

Já Romualda Fernandes, jurista de 65 anos, tem um percurso ligado às políticas da imigração. “A partir de agora nós, mulheres negras, cada vez que olharmos para a escadaria da Assembleia da República não nos iremos ver apenas com baldes e esfregonas para limpar: estamos lá dentro, temos voz e podemos sonhar”, relatou ao Público uma mensagem que recebeu de uma amiga após a eleição.

O Público recorda ainda que a deputada social democrata Nilza de Sena, também afrodescendente, esteve noutras legislaturas, mas não participou nas eleições deste domingo. Da cena política saiu também o deputado centrista Hélder Amaral. Nenhum destes partidos tem na agenda medidas de combate ao racismo.

Mais mulheres, mais partidos e quase 100 estreantes

Também a Rádio Renascença traça o perfil daquela que será a nova constituição da Assembleia da República, que vai contar com muitas caras novas e mais mulheres – apesar de os homens continuarem em maioria.

Ao todo, há 94 estreantes na Assembleia da República, contra 132 repetentes. O PSD, enumera a RR, quase se estreou por completo: tem mais novos deputados (44) do que repetentes (33). O PAN apresenta três caras novas – três mulheres – que se vão juntar a André Silva. Já o PS conta com 35 estreantes para 71 repetentes e a CDU três para nove.

Por sua vez, o Bloco tem seis novos deputados e 13 repetentes. O CDS é o único partido que não tem uma única cara nova, todos os cinco deputados já estiveram antes na Assembleia da República.

A RR frisa que esta é ainda uma Assembleia da República ainda masculina e com uma média de idades a rondar os 48 anos.

As eleições deste domingo aumentaram também o número de partidos com assento parlamentar: Iniciativa Liberal, Chega e Livre vão estrear-se no Parlamento, que passa agora a contar com nove formações políticas.

ZAP //

PARTILHAR

12 COMENTÁRIOS

  1. Não se percebe qual é a novidade. A ainda atual ministra da justiça também é negra e teve de trabalhar para uma justiça equitativa para todos os portugueses, quer fossem brancos ou negros; sem discriminar ou privilegiar alguém.
    Qual é a novidade que estas senhoras deputadas negras vão trazer? Luta contra o racismo? Isso também os deputados/as brancos fazem há já muito tempo.
    Se é para falar de mulheres, falta também referir quais são os ideais das deputadas brancas. Isto até parece racismo!

  2. “…no Parlamento, que passa agora a contar com sete formações políticas.”
    7?!
    Eu conto 9 (PS, PSD, BE, CDU, CDS, PAN, IL, Chega, Livre).

      • Já agora: são 10! A CDU é uma coligação eleitoral, na AR existem dois partidos, o PCP e o PEV. Na legislatura anterior havia a PaF, ou sempre se falou de PSD e CDS?

          • Ignorância! Basta aceder ao site da Assembleia da Republica para ver que existe um grupo parlamentar do PCP E um do PEV. As coligações eleitorais terminam com a publicação dos resultados eleitorais, por isso que na legislatura que agora terminou existia um grupo parlamentar do PSD e um grupo parlamentar do CDS, apesar de nas eleições de 2015 terem concorrido numa unica lista.
            Quando não sabemos do que falamos mais vale estarmos calados para não dizer asneiras

            • Sim, ignorância tua!
              Para começar, ninguém falou em “grupo parlamentar”, mas sim em “formações políticas”!
              Depois, desde que foi formada a coligação CDU (1987), o PCP e o PEV concorrerem SEMPRE coligados; daí ser considerada a mesma “formação política”!!
              Se não sabes, pergunta a qualquer analista politico antes de mostrares a tua ignorância (e arrogância) nos comentários na Internet!..

  3. Não vejo a necessidade de dar relevo a cor da pele, para assinalar a entrada de novas e novos deputados !…… não sei qual foi o objectivo, num País Democrático de diferenciar representantes Políticos por a cor da pele, senão para incentivar certas “mentes fracas” a vomitar xenofobia !..

RESPONDER

Ministra da Saúde quer enfermeiro de família para todos os portugueses

A ministra da Saúde, Marta Temido, quer que todos os portugueses tenham um enfermeiro de família atribuído até ao final da próxima legislatura, à semelhança da meta traçada para os médicos de família. Na abertura do …

Rei de Marrocos indulta jornalista marroquina condenada por aborto

O rei de Marrocos, Mohamed VI, indultou a jornalista Hajar Raissouni, recentemente condenada a um ano de prisão por "aborto ilegal" e "relações sexuais fora do casamento", segundo um comunicado oficial. A mulher, de 28 anos, …

Morreu Elijah Cummings, um dos democratas que investigava Trump

O congressista norte-americano Elijah Cummings, uma das figuras do Partido Democrata mais respeitadas na oposição pela sua frontalidade e por acalmar protestos violentos e desentendimentos entre adversários, morreu esta quinta-feira, aos 68 anos. A notícia da …

Risco de pobreza em Portugal é o mais baixo de sempre. Mas há 330 mil menores em risco

O ano de 2017 trouxe melhorias às condições de vida da população, com o risco da pobreza a atingir 17,3% dos residentes em Portugal. É a taxa mais baixa desde que este indicador é tratado, …

Maria Martins conquista bronze nos Europeus de ciclismo de pista

Maria Martins venceu nesta quarta-feira a medalha de bronze no “scratch” feminino dos Europeus de ciclismo de pista, que nesta quarta-feira arrancaram em Apeldoorn, na Holanda. Depois de várias medalhas em Europeus sub-23, a ciclista de …

Carlos César: Firmar um acordo com o Bloco descriminaria os restantes partidos de esquerda

O dirigente socialista Carlos César mostrou-se esta quarta-feira confiante que o novo Governo será para quatro anos, considerando ainda que firmar um acordo com o Bloco de Esquerda seria discriminar os restantes partidos de esquerda. …

Médico que deixou bebé nascer sem rosto tem quatro processos na Ordem

O obstetra que não detetou malformações graves num bebé que acabou por nascer sem rosto no início deste mês, em Setúbal, tem quatro processos em curso no conselho disciplinar da Ordem dos Médicos. A informação foi …

Tensão na Catalunha afeta realização do Barcelona-Real Madrid

A violência dos protestos na Catalunha está a fazer com que a Liga e a Federação de futebol espanholas repensem a ideia de o clássico entre Barcelona e Real Madrid se realizar em Camp Nou. O …

Assis critica novo Governo do PS. É "muito António Costa" e feito só para dois anos

O ex-eurodeputado do Partido Socialista (PS) Francisco Assis não poupou nas críticas ao novo Governo, que António Costa apresentou ao Presidente da República na terça-feira ao final do dia, considerando que este é um executivo …

PSD considera que não há novo Governo, mas "remodelação" com alargamento

O PSD defendeu na quarta-feira que "não há um novo Governo", mas "uma remodelação com alargamento", com um executivo aumentado e "mais partidário", considerando "uma desilusão" a continuidade em pastas como Saúde, Educação e Justiça. "Não …