Parlamento iraquiano vota a favor da expulsão de tropas dos EUA

O parlamento iraquiano votou favoravelmente uma proposta no sentido de expulsar do Iraque as tropas norte-americanas, na sequência da decisão de matar o líder militar iraniano.

De acordo com a Reuters, a votação foi promovida por fações no Iraque que são apoiadas pelo Irão. A resolução, na prática, vai indicar ao Governo que deve ter interrompida a presença militar norte-americana no país, proibindo as tropas dos EUA de usar os seus recursos, desde o terreno ao espaço aéreo, até a água.

A proposta vai no sentido de revogar o pedido de assistência à coligação internacional contra o Estado Islâmico “devido ao final das operações militares no Iraque e a obtenção da vitória”, pode ler-se na resolução.

Não se trata de uma lei mas de uma resolução não-vinculativa. Ainda assim, o primeiro-ministro Adel Abdul Mahdi já pediu, no passado, ao parlamento que acabe com a presença de tropas dos EUA no país. Agora, reitera a mensagem porque “a confiança entre o Iraque os Estados Unidos foi abalada”, disse o líder do governo no parlamento, citado pela Bloomberg.

Também o líder do grupo xiita libanês Hezbollah, Hassan Nasrallah, pediu este domingo para que o Iraque seja libertado da “ocupação” dos EUA, dois dias depois da morte do general iraniano Qassem Soleimani, vítima de um ataque aéreo norte-americano. “O nosso pedido, a nossa esperança, o que é esperado dos nossos irmãos no parlamento iraquiano é […] adotar uma lei exigindo a saída das forças americanas do Iraque”, afirmou Nasrallhah, durante um discurso divulgado por uma estação libanesa.

O líder do grupo xiita libanês disse que a expulsão dos soldados norte-americanos do Iraque deve ser uma prioridade, no momento em que o Pentágono anunciou a chegada de 750 militares a Bagdade e se prepara para enviar mais cerca de cinco mil, para assegurar a proteção de instalações no Médio Oriente. Para Hassan Nasrallah, os EUA devem “pagar o justo preço” por terem matado o general iraniano Qassem Soleimani.

“Os combatentes suicidas que no passado forçaram os americanos a deixar a nossa região, ainda estão aqui e são até mais numerosos”, disse o líder do Hezbollah, referindo-se às equipas de ataques terroristas que atuam no Médio Oriente.

Sauditas não foram consultados sobre ataque

A Arábia Saudita não foi consultada por Washington sobre o ataque que matou o general iraniano Qassem Soleimani, disse este domingo uma autoridade saudita, enquanto o seu país tenta neutralizar as crescentes tensões na região.

A Arábia Saudita, aliada dos Estados Unidos e rival regional do Irão, está vulnerável a possíveis represálias iranianas prometidas por Teerão para vingar o general iraniano Soleimani, morto num ataque norte-americano a Bagdad, no Iraque, na sexta-feira. “O reino da Arábia Saudita não foi consultado sobre o ataque norte-americano”, disse uma autoridade saudita, que pediu anonimato à agência de notícias AFP.

“Visto os rápidos desenvolvimentos, o reino enfatiza a importância de tomar uma posição de contenção para se prevenir contra qualquer ato que possa levar a uma escalada” da tensão, acrescentou o funcionário.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Arábia Saudita pediu moderação na sexta-feira e o rei Salman apelou à diminuição da escalada da tensão durante uma entrevista por telefone com o Presidente do Iraque, Barham Saleh, de acordo com a agência de notícias oficial SPA.

Noutra entrevista por telefone com o primeiro-ministro iraquiano, Adel Abdel Mahdi, o príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman enfatizou “a necessidade de acalmar a situação”, segundo o SPA. O príncipe herdeiro instruiu o príncipe Khaled bin Salman, seu irmão mais novo e vice-ministro da Defesa, a viajar para Washington e Londres nos próximos dias para transmitir esse pedido de contenção, noticiou o jornal saudita Asharq al-Awsat.

A tensão entre os Estados Unidos e o Irão aumentou na sequência da morte do comandante da força de elite iraniana Al-Quds, Qassem Soleimani, vítima na sexta-feira de um ataque aéreo contra o aeroporto internacional de Bagdade que o Pentágono declarou ter sido ordenado pelo Presidente dos Estados Unidos.

O ataque ocorreu três dias depois de um assalto inédito à embaixada norte-americana que durou dois dias e apenas terminou quando Trump anunciou o envio de mais 750 soldados para o Médio Oriente.

O ataque já suscitou várias reações, tendo quatro dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança das Nações Unidas — Rússia, França, Reino Unido e China – alertado para o inevitável aumento das tensões na região e pedido às partes envolvidas que reduzam a tensão. O quinto membro permanente do Conselho de Segurança da ONU são os Estados Unidos.

No Irão, o sentimento é de vingança, com o Presidente e os Guardas da Revolução a garantirem que o país e “outras nações livres da região” vão vingar-se dos Estados Unidos. Também o líder supremo do Irão, o ayatollah Ali Khamenei, prometeu vingar a morte do general e declarou três dias de luto nacional, enquanto o chefe da diplomacia considerou que a morte como “um ato de terrorismo internacional”.

 

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

FC Porto 1-0 Guimarães | Dragão já vê Sporting no horizonte

O Porto venceu no fecho da 28ª jornada da Liga NOS pela margem mínima, na recepção ao Vitória SC, e conseguiu o principal objectivo, que passava por somar os três pontos e reduzir para quatro …

Italiano faltou ao trabalho durante 15 anos, mas ganhou quase 600 mil euros

Um funcionário de um hospital no sul de Itália recebeu o salário durante 15 anos, apesar de nunca ter aparecido para trabalhar. De acordo com a polícia italiana, citada pela cadeia televisiva CNN, Salvatore Scumace está …

Google ficou sem o domínio na Argentina (e Nicolás achou que ia ser o novo dono)

Na última quarta-feira, um jovem argentino achou que ia ficar rico à custa da distração da Google no seu país. Acabou por não acontecer e tudo ficou resolvido. "Que pague a dívida externa", "que compre vacinas", …

Lola, a robô humanóide, dá "passos de bebé" (e equilibra-se com as mãos)

Uma equipa de cientistas está a ensinar a robô humanóide Lola a dar "passos de bebé", equilibrando-se com as suas mãos em vários pontos de contacto. Há muito tempo que os investigadores estudam a locomoção de …

Presidente da República veta decreto sobre inseminação post mortem

O Presidente da República vetou, esta quinta-feira, o decreto do Parlamento sobre inseminação post mortem, considerando que suscita dúvidas no plano do direito sucessório e questionando a sua aplicação retroativa. Na mensagem dirigida à Assembleia da …

Primeiro-ministro francês está a receber centenas de peças de lingerie no correio

O primeiro-ministro francês tem estado a receber roupa interior feminina na sua caixa de correio. Foi a forma encontrada pelas lojas de lingerie para protestarem contra as restrições da pandemia que as obrigam a estar …

Inteligência artificial "identifica" autores dos Manuscritos do Mar Morto

Investigadores da Universidade de Groningen, nos Países Baixos, recorreram à inteligência artificial para concluir que os Manuscritos do Mar Morto foram redigidos por vários escribas, o que abre uma "nova janela" para o estudo do …

Inteligência Artificial vai ajudar a identificar fontes de poluição no Bangladesh

A produção de tijolos é uma fonte de poluição que ameaça a saúde da população e do planeta, mas regular esta indústria pode ser uma tarefa difícil para as autoridades. Para resolver o problema, uma …

Portimonense 1-5 Benfica | "Águia" arrasa em solo algarvio

O Benfica regressou aos triunfos depois de ter vencido o Portimonense por 5-1, numa partida relativa à 28.ª jornada da Liga NOS, após o desaire registado na recepção ao Gil Vicente.  Porém, não foi um duelo …

Vigaristas burlaram mulher de 90 anos em 32 milhões de dólares

Uma mulher de Hong Kong, de 90 anos, foi defraudada em 32 milhões de dólares por burlões que se fizeram passar por agentes policiais chineses, via chamada telefónica. A Agence France-Presse (AFP) escreve que um jovem …