Parlamento aprova na generalidade mudança do TC para Coimbra. Oito socialistas votaram a favor

António Cotrim / Lusa

A proposta passou com votos contra do Chega e PAN, abstenção do PCP, BE, PEV e maioria da bancada do PS e votos favoráveis do PSD, CDS, IL e de oito deputados socialistas.

O resultado já era de esperar, mas a surpresa foi o voto a favor de oito deputados do PS. Em causa está a proposta do PSD de transferir a sede do Tribunal Constitucional, da Entidade das Contas e Financiamentos Políticos e do Supremo Tribunal Administrativo de Lisboa para Coimbra.

O projecto passou na generalidade com votos a favor do PSD, CDS, Iniciativa Liberal e de oito socialistas, apesar do PS ter anunciado que se ia abster na votação. Entre os oito deputados estão os cinco eleitos pelo círculo eleitoral de Coimbra, sendo eles Raquel Ferreira, Pedro Coimbra, João Gouveia, Cristina de Jesus e Tiago Martins.

Os outros três são Ascenso Simões, Carla Sousa e Pedro Bacelar de Vasconcelos, sendo este último um constitucionalista formado em Coimbra.

O PCP absteve-se, apesar do deputado António Filipe ter criticado bastante a proposta nos últimos dias, dizendo que “não trazia nenhuma vantagem” nem para o país nem para a cidade visada e que era apenas um trunfo do PSD para tentar ganhar votos na corrida autárquica, que se mostra renhida entre Manuel Machado, socialista e actual Presidente da Câmara, e José Manuel Silva, que encabeça uma coligação liderada pelo PSD.

António Filipe chegou mesmo a dizer no debate parlamentar que a iniciativa do PSD é “um tesourinho deprimente das autárquicas”.

O Bloco de Esquerda também teve críticas semelhantes – e também se absteve. Catarina Martins afirmou é “brincar com as pessoas” querer decidir agora a mudança do Constitucional, mas não fechou a porta a “debater”. “É preciso ser sério, isto é só um número eleitoral para o município de Coimbra”, criticou a líder bloquista.

Os Verdes também se abstiveram e o deputado José Luís Ferreira chegou ao debate com “dúvidas”, tendo deixado o desafio ao PSD para explicar ao certo como é que o projecto contribuiria para aproximar os serviços dos cidadãos, um dos argumentos usados pelos sociais-democratas.

Já o PAN e o Chega votaram contra por ambos acreditarem que a mudança dos tribunais não é uma medida que indique uma descentralização do poder e é apenas uma deslocalização singular de dois órgãos. As deputadas não inscritas Joacine Katar Moreira e Cristina Rodrigues também se abstiveram

A proposta está ainda longe de ser concretizada, já que precisa de uma maioria absoluta para ser aprovada na votação final global, depois do debate na especialidade, o que só vai acontecer depois das autárquicas.

As alterações às leis orgânicas precisas para assegurar a mudança do TC e também do Supremo Tribunal Administrativo e da Entidade de Contas e Financiamento Políticos exigem uma maioria absoluta, de acordo com a Constituição, pelo que o PSD vai precisar de converter muitos mais votos socialistas do que os oito conquistados.

Os argumentos usados pelos juízes do Palácio Ratton para serem contra a mudança têm também dado que falar. Recorde-se que os membros do Constitucional referiram-se a uma eventual saída de Lisboa como “desprestigiante“.

  Adriana Peixoto, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Carta de trabalhadores denuncia produtos Google e Amazon. "Negam direitos a palestinianos".

Centenas de trabalhadores das duas empresas tecnológicas assinaram uma carta em conjunto onde condenam a decisão de fornecer serviços ao governo de Israel e apelam ao apoio da comunidade internacional. Numa carta anónima publicada no jornal …

Salários entre 3500 e 6500 euros são os mais beneficiados com novos escalões do IRS

As alterações nos escalões de IRS vão beneficiar mais de um milhão e meio de famílias, segundo estimativas do Governo. Mas quem mais vai poupar são as classes média e média-alta, em especial quem ganhar …

O "toma lá, dá cá" à Esquerda promete continuar. Mas até onde está o Governo disposto a ceder para aprovar o OE?

Bloco de Esquerda e Partido Comunista anunciaram ontem, após a entrega e apresentação do Orçamento do Estado para 2022, que votarão contra a aprovação do documento caso, nas próximas semanas, não lhe sejam incorporadas alterações …

Mundial 2022: violência nas bancadas (e não só) em Inglaterra e na Albânia

Em jogos do mesmo grupo, o empate entre Inglaterra e Ucrânia e a vitória da Polónia na Albânia não tiveram acção apenas no relvado. Nove anos depois, a Inglaterra não ganhou em casa, num jogo de …

Leão diz que OE prevê uma redução de impostos (e garante que Pedro Nuno não é uma "pedra no sapato")

O ministro das Finanças esteve na TVI, esta terça-feira, tendo abordado várias questões sobre a proposta do Orçamento do Estado para 2022 (OE2022), apresentado no mesmo dia aos portugueses. Inicialmente questionado sobre os impostos atualizados à …

Não foi só Cristiano: 12 números interessantes do Portugal-Luxemburgo

Goleada portuguesa contra uma selecção que tem dado trabalho aos adversários. Cristiano, Rui Patrício e João Palhinha são três dos nomes em destaque na análise ao jogo. Portugal transformou um jogo que poderia ser complicado numa …

"O luto de uma vida não cabe em 5 dias". PS quer aumentar faltas justificadas de pais que perdem filho

O PS entregou esta terça-feira no parlamento um projeto para estender o período de luto parental dos atuais cinco para 20 dias, considerando esta mudança da legislação laboral essencial perante casos em que há perda …

Há cinco jogos sem vencer, Palmeiras cai do pódio. Abel culpa calendário "desumano"

O Palmeiras volta a não conseguir vencer para o Brasileirão e caiu do pódio. Com quatro jogos nos últimos dez dias, Abel Ferreira criticou o calendário "desumano". Na passada madrugada, o Palmeiras visitou o terreno do …

Abbott desafia Biden. Governador do Texas proíbe empresas de exigirem vacinação aos funcionários

A decisão surge numa altura em que vários estados estão a desafiar legalmente o plano de vacinação de Biden. Apenas 66% dos americanos elegíveis para se vacinarem o fizeram. O governador Republicado no Texas, Greg Abbott, …

Sem apoios e com despesas a subir, empresas estão à beira do precipício

Adivinham-se dificuldades para uma grande parte das pequenas e médias empresas portuguesas, com um Orçamento que poucos apoios prevê para elas. Se o Orçamento do Estado para 2021 — motivado pela crise pandémica que tinha acabado …