Crianças indianas pagas para usarem o WC

Attila con la cámara / Flickr

-

Na Índia, onde mais de 500 milhões de pessoas fazem as suas necessidades a céu aberto, as autoridades estão a pagar às crianças para incentivá-las a usar as casas de banho públicas.

Em todo o mundo, mais de mil milhões de pessoas defecam ao ar livre porque não têm acesso a saneamento adequado, mas na Índia o problema é particularmente grave.

As pessoas aliviam-se nas matas, espaços abertos e valas, o que representa uma grave ameaça para a saúde das crianças. Milhares morrem a cada ano devido a doenças transmitidas através de dejetos humanos – só a diarreia mata cerca de 200 mil crianças por ano.

Mais da metade da população do país faz as suas necessidades a céu aberto. Para muitos, é um ritual diário – que muitos cumprem mesmo quando há casas de banho públicas por perto.

Agora, a cidade de Ahmedabad lançou um projeto em que as crianças estão a ser pagas para usar as casas de banho públicas.

Trilhos urbanos

As pessoas que vivem nos bairros de lata de Chandoliy, em Ahmedabad, usam os carris dos comboios para fazer as suas necessidades, em especial no início da manhã, antes das multidões e do calor.

“Fizemos casas de banho públicas, mas as pessoas ainda não as usam”, afirmou Anil Prajapati, presidente da Organização para o Desenvolvimento Sanitário de Gujarat, à BBC.

“Alguns pensam que há bruxas dentro da casa de banho, ou receiam que os filhos sejam sequestrados”, diz ele. “Estas pessoas vêm de pequenas aldeias, e por isso não estão habituados a esta prática.”

Quando as pessoas defecam ao ar livre, as moscas alimentam-se das fezes e transportam pequenas quantidades nos seus corpos. Depois, ao entrar em contacto com os alimentos, infectam-nos.

As fezes humanas também podem ir parar em poços e valas, contaminando a água usada para beber ou tomar banho. As bactérias ingeridas e vermes transmitem doenças, causando mal-estar e desnutrição.

Nova abordagem

As infecções transmitidas pelas fezes são também a principal razão pela qual quase metade das crianças indianas menores de cinco anos tem desenvolvimento abaixo do normal.

Por isso, os agentes de saúde tiveram a ideia de encorajar os moradores a utilizar as casas de banho.

Na comunidade, há 320 casas de banho, das quais 143 são gratuitas – para utilizar as outras, é preciso pagar.

“Mas observamos que algumas crianças ainda faziam cocó do lado de fora mesmo em frente às casas de banho gratuitas”, disse Bhavin Solanki, do conselho municipal.

“Percebemos que tínhamos que encontrar outro sistema, e agora estamos a dar uma rúpia (pouco mais de um cêntimo) para as crianças, todos os dias, ou damos-lhes chocolates para incentivar a utilização das casas de banho.”

A pequena Bhumi Datadia, de cinco anos, vive num pequeno quarto com os seus dois irmãos e os pais. Como muitos outros no seu bairro, só tem como opção para fazer as suas necessidades um rio próximo ou as casas de banho públicas.

“Olhe o tamanho da minha casa, onde eu teria espaço para construir uma casa de banho?” disse a mãe de Bhumi, Jayashree, à BBC.

Com o novo programa, Bhumi recebe uma rúpia cada vez que utiliza uma casa de banho pública. As visitas são marcadas num cartão e ela recebe o dinheiro no final do mês.

“As casas de banho são boas”, disse Bhumi. “Vou usar o dinheiro para a escola.”

Bom comportamento

O conselho da cidade planea estender o projeto e pode mesmo começar a remunerar os adultos que utilizem as casas de banho.

“A ideia é perceberem que existe uma recompensa pelo bom comportamento”, disse Thara, administrador da Corporação Municipal de Ahmedebad.

“Quando crianças começarem a utilizar as casas de banho, os adultos também poderão passar a usá-las com mais frequência. As crianças podem servir de motivação.”

Contudo, as pessoas de outras partes da cidade dizem que não será fácil convencer os adultos a mudarem os seus hábitos.

Eles dizem que as casas de banho não são limpas e que muitas vezes as crianças são impedidas de entrar nos WC porque gastam muita água.

Objetivo ambicioso

As necessidades a céu aberto também têm efeitos mais amplos no país, afetando a educação, rendimentos, segurança e dignidade feminina.

“Não é seguro para as mulheres irem à casa de banho a céu aberto”, diz Prajapati.

“Quando saem para ir ao WC à noite, qualquer coisa pode acontecer, e isto acontece por todo o lado na Índia. Queremos parar com isso.”

Uma das prioridades do governo do primeiro-ministro Narendra Modi é eliminar a defecação a céu aberto na Índia, com o objetivo de que toda a população tenha casas de banho até 2019.

Nos últimos anos, a Índia investiu em campanha sanitárias, mas poucas tiveram efeito.

Os ativistas dizem que construir casas de banho não é suficiente, e que outras medidas devem ser tomadas para mudar os hábitos da população.

ZAP / BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Espanha 1-1 Itália | Hino ao desperdício trama La Roja

A Polónia, comandada pelo treinador português Paulo Sousa, empatou hoje a um golo com a Espanha, em Sevilha, em encontro da segunda jornada do Grupo E do Euro2020, mantendo-se ambas sem vitórias. A formação espanhola, que …

Já pode ajudar a NASA a batizar o manequim que vai até à Lua

A agência espacial norte-americana está a pedir ajuda para batizar o "Moonikin", o manequim que vai a bordo da nave Orion, durante a missão lunar Artemis I, ainda este ano. Quando a nave espacial Orion, da …

Portugal em Europeus: as últimas três derrotas foram (todas) contra a Alemanha

Em 90 minutos, Portugal não era derrotado numa fase final de um Europeu desde a estreia no Europeu 2012. Recorde as seleções que bateram Portugal, até agora. "Já não posso ver os franceses à frente". Esta …

Spotify lança Greenroom (e abre concorrência ao Clubhouse)

O Spotify lançou na quarta-feira, dia 16 de junho, uma app de conversas por áudio em direto chamada Greenroom, uma resposta do gigante sueco de streaming de música à popular plataforma Clubhouse. O Greenroom permite que …

"Médicos de árvores" em Singapura ajudam a preservar os seus pacientes gigantes

Arboristas como Eric Ong são responsáveis pelo bem-estar das milhares de árvores em Singapura. O seu trabalho é essencial para a preservação da natureza. A Singapura é uma cidade-estado insular situada ao sul da Malásia, com …

Novo primeiro-ministro de Israel dá 14 dias a Netanyahu para deixar residência oficial

O novo primeiro-ministro de Israel, Naftali Benet, deu duas semanas ao antecessor Benjamin Netanyahu para abandonar a residência oficial do chefe de Governo, em Jerusalém, segundo adianta hoje a imprensa local. Benet terá enviado na sexta-feira …

Ponte inca com mais de 500 anos é reconstruída após cair durante a pandemia

Peruanos da comunidade Huinchiri, localizada na região de Cusco, estão a reconstruir uma ponte inca com 500 anos. Esta foi feita a partir de técnicas tradicionais de tecelagem para criar uma passagem sob o Rio …

Portugal 2-4 Alemanha | Reality check ao plano do engenheiro

A seleção portuguesa de futebol, campeã em título, caiu hoje para o terceiro lugar do Grupo F do Euro2020, ao perder por 4-2 com a Alemanha, em encontro da segunda jornada, disputado no Allianz Arena, …

Pandemia mostrou “falta de proteção das mulheres”

A pandemia de covid-19 mostrou “a vulnerabilidade e a falta de proteção das mulheres e quão pouco as sociedades se preocupam realmente em proteger elementos-chave em matéria de segurança”, considera Edit Schlaffer, diretora-executiva da Women …

Portugal vs Alemanha: Portugal perde por 2-4

A seleção portuguesa de futebol pode garantir hoje o apuramento para os oitavos de final do Euro2020, mas terá de vencer a poderosa Alemanha, ainda à procura dos primeiros pontos no Grupo F. O jogo …