Pablo Hasél não divide cela nem colabora nos trabalhos de limpeza da prisão

Ramon Gabriel / EPA

O rapper espanhol Pablo Hasél

A advogada do rapper espanhol divulgou, no último fim-de-semana, mais detalhes sobre a detenção do seu cliente, que traçou algumas “linhas vermelhas” por estar integrado no coletivo de presos políticos antifascistas.

Em entrevista à estação catalã CMMA, Alejandra Matamoros afirmou que Pablo Hasél foi transferido para o estabelecimento prisional de Ponent, em Lérida, e que já falou com ele, salientando que o músico se mantém “forte, animado e orgulhoso”.

“Neste momento, está sozinho (…) e integrado no coletivo de presos políticos antifascistas, que tem várias linhas vermelhas. Já que estão detidos, exigem condições dignas de vida e, entre elas, está por exemplo a recusa em dividir cela”, explicou.



“Isto porque as celas são minúsculas, as condições são muito más e não sabemos que tipo de recluso é que vão colocar lá”, acrescentou.

A advogada do rapper explicou que, inicialmente, não lhe foi posto qualquer problema relativamente a esta exigência e que, agora, devido àquilo a que chama de “pressões políticas”, disseram-lhe que, se quisesse estar numa cela sozinho, “tinha de colaborar nos trabalhos de limpeza da prisão”.

Tal como os outros presos, Matamoros explicou que o artista limpa a sua cela e os espaços comuns que utiliza, mas recusa-se a realizar tarefas tais como “servir jantares e limpar outros espaços, como o pátio, uma vez que são trabalhos que os outros presos fazem para aceder a benefícios penitenciários”.

“Essa é outra das linhas vermelhas que tem o coletivo de presos políticos. Eles não colaboram, em nenhum caso, com a manutenção da prisão”, disse, recordando que “estes direitos foram conseguidos nos anos 70 e 80, à base de greves de fome muito duras”.

Questionada sobre como é que o rapper reagiu à detenção na Universidade de Lérida, Matamoros disse que foi “uma jornada intensa, de muitas entrevistas, de muitos meios de comunicação, nacionais e internacionais, a cobrirem o assunto”, acrescentando que foi uma “noite bastante tensa”.

A advogada aproveitou ainda para criticar a “grande parte dos meios de comunicação que se está a esmerar muito para intoxicar a razão pela qual Pablo Hasél entrou na prisão”.

“Dizem que não foi por motivos de liberdade de expressão, mas sim porque tinha antecedentes prévios. É totalmente falso. Pode ver-se na sua folha de antecedentes penais. Neste momento, são duas condenações, mas, quando entrou na prisão, estava em causa apenas a condenação de 2014, pelos mesmos motivos, ou seja, por canções e tweets”.

Protestos pela sua libertação continuam

Esta segunda-feira, Barcelona, Girona e Tarragona foram novamente cenário de manifestações em favor da libertação do rapper. Foi o sétimo dia de protestos, que decorreram sem grandes incidentes e também com menor adesão.

Nos anteriores seis dias de mobilizações, os Mossos d’Esquadra e a polícia local prenderam 109 pessoas em manifestações que, nalguns casos, degeneraram em violência, tendo sido contabilizados mais de 100 feridos, 91 deles polícias catalães.

Pablo Hasél, detido na passada terça-feira na Universidade de Lérida, tornou-se um símbolo da liberdade de expressão em Espanha, depois de ter sido condenado a nove meses de prisão por, segundo a acusação, insultar as forças de ordem espanholas, glorificar o terrorismo e injuriar a monarquia.

Os factos pelos quais o rapper foi condenado remontam a 2014 e 2016, quando publicou uma canção no YouTube e dezenas de mensagens no Twitter, acusando as forças de ordem espanholas de tortura e de homicídios.

Posteriormente, um tribunal de Lérida confirmou outra sentença de dois anos e meio para o rapper por ameaçar uma testemunha num julgamento contra a polícia urbana da cidade. O tribunal ainda vai decidir se obriga Hasél a cumprir a nova pena, embora a sentença ainda possa ser objeto de recurso no Supremo Tribunal.

Filipa Mesquita Filipa Mesquita, ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Coragem hasel, é preciso resistir aos opressores. A razao está do teu lado, e deste lado estão milhões a teu lado contra a tirania. Era impensável um pais integrante na dita democracia dos 27, haver um país que tem presos políticos nas suas prisões. Quem diria.

RESPONDER

TAP vai pedir a insolvência da Groundforce

Pedro Nuno Santos, ministro das Infraestruturas, disse esta segunda-feira aos representantes dos trabalhadores que a TAP vai avançar com um pedido de insolvência da Groundforce. A TAP anunciou esta segunda-feira que vai avançar, ainda hoje, com …

Ida de Luís Filipe Vieira para o Benfica "foi um pedido de várias instituições financeiras"

Luís Filipe Vieira diz que os bancos quiseram, no início dos anos 2000, que fosse para o SL Benfica devido à sua situação financeira, pois estavam interessados na sua viabilização. Aos deputados, o presidente das …

Alemanha autoriza vacina da Johnson & Johnson a menores de 60 anos

A Alemanha recomenda a vacina da Johnson & Johnson (Janssen) contra o novo coronavírus a partir dos 60 anos, mas permitirá o seu uso em pessoas abaixo desta idade após consulta médica e decisão pessoal. O …

Livatino é o primeiro juiz a ser beatificado. Foi morto pela máfia italiana

A Igreja Católica beatificou este domingo o juiz italiano Rosario Livatino, assassinado em 1990 pela máfia em Agrigento, na Sicília, Itália. Rosario Livatino, que hoje teria 69 anos, foi assassinado em 21 de setembro de 1990 …

Castelo do Drácula oferece vacinas contra a covid-19 aos visitantes

O castelo do Drácula, na Roménia, está a oferecer vacinas contra a covid-19 a todos os que o visitem. Nas ilhas Baleares, os turistas vão poder contar com um seguro de repatriamento. Segundo conta a BBC, …

Trabalho ilegal. Bloco propõe alteração à lei para criminalizar "toda a cadeia"

Catarina Martins anunciou, esta segunda-feira, que o Bloco de Esquerda quer alterar a lei de 2016 para garantir uma melhor fiscalização e condenação dos responsáveis pela exploração de trabalhadores em Portugal. Em Odemira, a coordenadora do …

Laos regista primeira morte por covid-19 desde o início da pandemia

Uma mulher de 53 anos - que tinha diabetes e outros problemas de saúde - foi a primeira vítima mortal por covid-19 em Laos, em mais de um ano de pandemia. Segundo noticiou a agência …

Arábia Saudita vai impor vacinação aos funcionários que queiram voltar ao local de trabalho

A Arábia Saudita quer alcançar a imunidade de grupo o quanto antes. Para aumentar os esforços de vacinação, foram abertos mais de 580 locais de vacinação no país. Além disso, os residentes já podem reservar …

Elon Musk revela que tem síndrome de Asperger

O empresário Elon Musk, de 49 anos, revelou este fim de semana, no Saturday Night Live (SNL), que tem síndrome de Asperger. Musk foi convidado para apresentar o Saturday Night Live - um papel cobiçado que …

Poeta birmanês terá morrido após ser torturado por militares. Aung San Suu Kyi comparece em tribunal

O poeta birmanês Khet Thi, conhecido pelo trabalho que incita à resistência contra a Junta Militar, morreu este fim de semana, enquanto estava detido. O seu corpo foi devolvido com os órgãos removidos. Segundo a esposa …