/

Operação Icebergue. Cinco inspetores da ASAE detidos por suspeita de corrupção passiva

2

Mário Cruz / Lusa

A Polícia Judiciária (PJ) deteve hoje cinco inspetores da Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica (ASAE) por suspeita do crime de corrupção passiva, disse à agência Lusa fonte ligada ao processo.

A mesma fonte adiantou que os atos de corrupção estão relacionados com ações de fiscalização. Um comunicado conjunto do Ministério Público e da PJ, que não identifica os detidos como inspetores da ASAE, adianta que em causa está a transmissão de informações privilegiadas a donos de estabelecimentos comerciais.

O comunicado refere que, alem das detenções, a operação policial – denominada “Icebergue” – visou cumprir sete mandados de busca, de que resultou a recolha de “vastos elementos probatórios relacionados com a prática criminosa sob investigação”.

“Está em causa a suspeita de transmissão de informações privilegiadas a proprietários e trabalhadores de estabelecimentos comerciais, designadamente de restauração, recebendo contrapartidas monetárias e outros tipos de gratificações”, refere o comunicado, adiantando que a operação foi executada pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ, no âmbito de dois inquéritos dirigidos pelo Departamento de Investigação e Ação penal (DIAP) Regional de Lisboa.

A ação policial desenrolou-se em Lisboa, Vila Franca de Xira, Amadora, Cacém e Fernão Ferro, no concelho do Seixal, e contou com a participação de cerca de 40 inspetores e peritos da Polícia Judiciária. Os cinco suspeitos serão ouvidos em primeiro interrogatório na quarta-feira no DIAP Regional de Lisboa.

“A investigação, que se encontra em segredo de justiça, prossegue agora no sentido de apurar a dimensão cabal das situações de benefício ilícito e das respetivas contrapartidas desta prática criminosa e, bem assim, da existência de outros comparticipantes”.

  // Lusa

2 Comments

  1. se essa gente fosse bem controlada apanhavam muitos mais principalmente nesta zona e famalicao mais ao norte comem todos da mesma gamela e os comerciantes fazem o que querem muitos nem màquinas erigistadoras tem è todo em dinheiro para nao ser visto se fizerem alguns controles de certeza que em poucas freguesias enchem os sacos

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE