ONU pede 301 milhões de dólares para apoiar Filipinas após a passagem de tufão

RJ Luckyone / Facebook

foto: RJ Luckyone / Facebook

foto: RJ Luckyone / Facebook

A ONU pediu hoje uma verba de 301 milhões de dólares (224 milhões de euros) para responder, nos próximos seis meses, à situação de emergência nas Filipinas após a passagem do tufão Haiyan.

O apelo foi hoje feito em Genebra pelo porta-voz do Gabinete das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA), Jens Laerke.

O representante indicou que a verba será utilizada para ajudar os 11,3 milhões de pessoas afetadas pelo violento tufão, que devastou a zona central do arquipélago das Filipinas na sexta-feira, com ventos de mais de 250 quilómetros por hora e ondas de mais de cinco metros de altura.

“Muitas zonas são inacessíveis. Ainda não sabemos a magnitude da catástrofe e não temos números definitivos sobre as vítimas mortais”, explicou Laerke.

A ONU estimou na segunda-feira que mais de 10 mil pessoas terão morrido nas Filipinas na sequência da passagem do tufão Haiyan, alertando, no entanto, que o mundo deve “esperar pelo pior” em relação ao número final de vítimas.

Segundo os dados do OCHA e do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), o tufão provocou o deslocamento interno de cerca de 800 mil pessoas que perderam as respetivas casas.

Do valor total solicitado, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) vai precisar de 34 milhões de dólares (cerca de 25 milhões de euros) para prestar assistência humanitária às crianças filipinas que, segundo o porta-voz da organização, Marixie Mercado, representam 40% da população do país.

O Programa Alimentar Mundial (PAM) pede 83 milhões de dólares (61 milhões de euros) para fornecer alimentos a 2,5 milhões de pessoas durante os próximos seis meses.

A organização enviou para a cidade de Tacloban, uma das mais afetadas pelo tufão, um avião com um carregamento de 40 toneladas de bolachas energéticas.

A agência da ONU prevê enviar durante esta semana outros três aviões, provenientes do Dubai, com 2,4 toneladas de arroz, segundo avançou a porta-voz, Elisabeth Byrs, que destacou as “dificuldades logísticas” para aceder às zonas mais afetadas, uma vez que “mais de 600 quilómetros de costa foram destruídos”.

O ACNUR, que tem a responsabilidade de proteger as pessoas que perderam as respetivas casas, vai enviar na quarta-feira um avião com tendas de campanha e artigos de emergência, como mantas, colchões e lanternas, para 16 mil famílias.

“A atual situação apresenta sérios riscos para as pessoas mais vulneráveis. A falta de luz é uma ameaça para a segurança das mulheres e das crianças, que ficam expostos a eventuais abusos”, alertou o porta-voz do ACNUR, Adrian Edwards.

Por sua vez, a Organização Mundial de Saúde (OMS) expressou a sua preocupação perante a falta de água potável, “um risco para a propagação de doenças depois de uma catástrofe desta dimensão”, indicou o porta-voz da agência, Tarik Jasarevic.

“A nossa prioridade é a instalação de centros de saúde temporários, já que muitas destas instalações foram destruídas”, acrescentou o representante da OMS.

Tarik Jasarevic avançou ainda que as previsões apontam para o nascimento de 12 mil bebés nas Filipinas durante o próximo mês nas zonas afetadas, o que representa uma “necessidade sanitária adicional”.

A Federação Internacional da Cruz Vermelha fez um apelo para a angariação de 78 milhões de dólares (58 milhões de euros), enquanto o Comité Internacional da Cruz Vermelha pediu 15 milhões de dólares (cerca de 11 milhões de euros).

No terreno, a Cruz Vermelha conta com 2.000 voluntários e cerca de 300 funcionários. A organização enviou, até ao momento, uma equipa de apoio para a ilha de Samar, outro dos locais mais afetados pelo tufão Haiyan.

O arquipélago filipino voltou hoje a ser atingido por condições meteorológicas adversas.

A tempestade tropical Zoraida chegou a terra na região de Davao Oriental, na ilha de Mindanao, no sul das Filipinas, com ventos máximos de 55 quilómetros por hora.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Era como se a morte estivesse num copo." No século XVIII, o gin estava a arruinar a Inglaterra

A bebida alcoólica tornou-se tão popular no Reino Unido que os empresários começaram a utilizar todo o tipo de aditivos para enriquecerem. No século XVIII, o gin tornou-se a maior droga que o homem poderia consumir …

Vacinar animais contra a covid-19? Dezenas de zoos nos EUA estão a avançar com a ideia

Cerca de 70 jardins zoológicos e espaços de conservação nos Estados Unidos estão a administrar a vacina da farmcêutica veterinária Zoetis aos seus animais. Não são só os humanos que estão a ser vacinados contra a …

Lewis Hamilton: "Eu não disse que estava a morrer"

Acidente com Max Verstappen originou dores no campeão; Helmut Marko disse que já era "espectáculo" a mais. Troca de palavras entre os dois candidatos ao título. Como se esperava, o acidente que envolveu Lewis Hamilton e …

Autorretrato de Frida Kahlo deverá ser vendido por um valor recorde de 30 milhões de dólares

A Sotheby’s espera ultrapassar os 30 milhões de dólares (mais de 25 milhões de euros) com o autorretrato da pintora mexicana Frida Kahlo, no qual aparece também o seu marido Diego Rivera. O autorretrato Diego y …

David Luiz: "Um dos dias mais especiais da minha vida" - e ainda se fala sobre Jorge Jesus

Flamengo ficou mais próximo de mais uma final da Libertadores, depois de derrotar o Barcelona de Guayaquil. David Luiz estreou-se. O Flamengo venceu o Barcelona de Guayaquil por 2-0, na primeira "mão" das meias-finais da Copa …

Iémen. Escassez de alimentos empurra 16 milhões de pessoas para a fome, revela ONU

Pelo menos 5 milhões de pessoas no Iémen estão à beira da fome e outros 16 milhões estão "a caminhar para a fome", num país dilacerado pela guerra civil. O Programa Mundial de Alimentos (WFP, na …

Presidente da Tunísia governará por decreto, ignorando partes da constituição

O Presidente da Tunísia, Kais Saied, declarou que governará por decreto e ignorará partes da constituição, enquanto se prepara para mudar o sistema político, gerando críticas imediatas da oposição. Desde 25 de julho, dia em que …

Alemanha deixa de pagar quarentena a trabalhadores não vacinados

A Alemanha vai deixar de indemnizar trabalhadores não vacinados que forem forçados a quarentena devido ao coronavírus, por ser "injusto pedir aos contribuintes que subsidiem aqueles que se recusam a ser vacinados", disse na quarta-feira …

Governo acaba com recomendação do teletrabalho

O Conselho de Ministros decidiu acabar com a recomendação da opção pelo teletrabalho e eliminar a testagem em locais de trabalho com mais de 150 trabalhadores. Estas medidas integram a terceira e última fase do plano …

Cansado de denúncias, Betis pede aos seus sócios: "Portem-se bem"

Clube onde jogam dois portugueses quer que os adeptos tenham um "comportamento adequado" durante os jogos no Benito Villamarín. O Betis de Sevilha jogou seis vezes até agora, nesta época. Quatro desses encontros foram disputados em …