Obras de Miró. Ex-gestor do BPN acusado de burla em negócio milionário

José Sá Freire / YouTube

O Ministério Público acusou o ex-diretor-geral do departamento de private banking do Banco Português de Negócios (BPN) José Viamonte de Sousa de burla relacionada com obras de arte.

Em 2003, o antigo Banco Português de Negócios (CPN) comprou 41 quadros de Joan Miró por 17 milhões de euros, mas os vendedores das obras receberam apenas 5,1 milhões, com o restante valor a ser distribuído como comissões por várias pessoas.

Segundo a edição desta quinta-feira do jornal Público, este negócio deu agora origem a duas acusações do Ministério Público (MP), com um ex-responsável do banco e um dos intermediários do negócio a serem acusados de burla.

José Viamonte de Sousa, antigo diretor-geral do departamento de private banking do BPN, representou o BPN no negócio, tendo tratado do mesmo junto de dois intermediários espanhóis, da empresa Meridonal. Contudo, apenas um destes dois intermediários, Julian Cierva la Calle, intermediou a transação junto dos proprietários da coleção de Miró, e através de uma outra empresa, a Negotrade.

Todas as partes concordaram em executar o negócio através de uma offshore detida pelo BPN. Apesar da venda ter sido faturada diretamente ao banco, a fatura foi emitida pela Negotrade, com o Ministério Público a avaliar que os proprietários da coleção receberam 5,13 milhões de euros da Negotrade, mas que esta empresa enviou também perto de cinco milhões de euros para contas detidas por outras empresas.

De acordo com o Ministério Público, o beneficiário último destas contas era Cierva la Calle que, acusa, acabou por se apropriar de 5,5 milhões euros neste negócio.

Depois de fechada a compra, o BPN colocou as obras de arte à venda através de outros dois intermediários, tendo assinado um contrato de exclusividade com os mesmos, cuja rescisão obrigaria o banco a pagar-lhes 2,5 milhões em indemnização.

Os dois intermediários eram detentores uma empresa, a Meridional Gestion de Activos, que pouco depois iria contrair créditos junto do BPN, numa operação autorizada por Viamonte de Sousa, apesar de não ter poderes para o fazer.

Este crédito chegou a um total de 8,7 milhões de euros e nunca foi pago pela Meridional, que atualmente deve mais de 12 milhões de euros à Parvalorem.

Graças à autorização deste crédito, Viamonte de Sousa terá recebido luvas de 450 mil euros, de acordo com a acusação do Ministério Público citada pelo diário. Este dinheiro terá passado por uma conta do irmão do ex-gestor.

No âmbito deste processo, não foi possível interrogar nem constituir como arguidos Julien Cierva de La Calle e José Enrique Navarro de La Rosa, porque não foi possível localizar o seu paradeiro.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Renato Sanches a prazo no Lille. Chovem propostas pelo ex-Benfica

Renato Sanches voltou a encontrar a sua boa forma no Lille. As boas exibições do internacional português levaram-no a receber propostas volumosas de vários clubes. O presidente do Lille confirmou que tem recebido várias propostas avultadas, …

Ação judicial contra ordem executiva de Trump de restrição às redes sociais. Viola a Primeira Emenda

O Centro para a Democracia e Tecnologia (CDT) apresentou uma ação judicial contra a ordem executiva de Donald Trump cujo alvo eram as redes sociais, alegando que viola a Primeira Emenda da Constituição norte-americana. O The …

Grécia suspende voos com o Qatar após chegada de 12 passageiros infetados

A Grécia anunciou, esta terça-feira, a suspensão dos voos de e para o Qatar até 15 de junho, depois de ter detetado vários casos de coronavírus numa ligação de Doha para Atenas. Pelo menos 12 dos …

Norte e Porto são demasiado importantes para que TAP não olhe para região "com respeito"

Pedro Nuno Santos adiantou, esta quarta-feira, que o novo plano de retoma da atividade da TAP está a ser trabalhado e o objetivo é que a TAP "dê resposta às necessidades nacionais". O ministro das Infraestruturas …

Se Chega vencer eleições, "ofender polícias, magistrados ou guardas prisionais vai dar prisão"

Tal como Donald Trump, André Ventura abriu guerra contra o Twitter e deixou um aviso: "Se o Chega vencer as eleições, ofender polícias, magistrados ou guardas prisionais vai dar mesmo prisão". Numa altura em que os …

Reestruturação do Novo Banco é para terminar este ano, garante António Ramalho

António Ramalho, presidente do Novo Banco, garante que o processo de reestruturação ficará concluído ainda este ano. Desde a venda do Novo Banco ao fundo Lone Star a história repete-se todos os anos: a administração ativa …

Dívida pública pode atingir 141,8% do PIB em 2020

Esta quarta-feira, o Conselho das Finanças Públicas (CFP) apresentou dois cenários para a evolução da economia e das finanças públicas no período 2020-2022. De acordo com as estimativas divulgadas esta quarta-feira pelo Conselho das Finanças Públicas …

Portugal entre incumpridores de recomendações anti-corrupção do Conselho da Europa

No final de 2019 Portugal só tinha implementado integralmente uma das 15 recomendações emitidas pelo Grupo de Estados contra a Corrupção (GRECO). Das restantes 14 recomendações, oito foram implementadas parcialmente e seis recomendações não foram …

André Ventura "é declaradamente uma pessoa racista", atira socialista Isabel Moreira

Numa discussão na comissão parlamentar de Assuntos Constitucionais, esta quarta-feira, a deputada socialista Isabel Moreira afirmou que o líder do Chega "é declaradamente uma pessoa racista". Esta quarta-feira, numa discussão na comissão parlamentar de Assuntos Constitucionais, …

Chegaram 108 ventiladores da China esta quarta-feira

Do total de 1.151 ventiladores comprados pelo Ministério da Saúde à China, só 264 é que terão chegado a Portugal até esta quarta-feira, avança o Correio da Manhã. O secretário de Estado da Internacionalização garantiu, …