/

Nuvem de fumo dos incêndios na Austrália “viajou” até ao Chile e Argentina

1

Fully Handoko / EPA

O fumo dos gigantescos incêndios na Austrália atingiu o Chile e a Argentina após terem percorrido mais de 12 mil quilómetros sobre o Pacífico, anunciaram os serviços meteorológicos dos dois países latino-americanos.

No início do dia, “o Sol registava tons vermelhos devido a uma nuvem de fumo proveniente dos incêndios”, indicou à agência noticiosa AFP Patricio Urra, um responsável do instituto meteorológico chileno. A nuvem de fumo situa-se a seis mil metros de altitude e não está previsto nenhum fenómeno meteorológico que possa fazê-la descer em direção à superfície da terra, explicou.

Em simultâneo, o Serviço Meteorológico Nacional da Argentina (SMN) difundiu imagens de satélite que mostram uma nuvem de fumo “transportado por sistemas das frentes que se deslocam de oeste para leste”. “Que consequências pode ter? Nada de verdadeiramente importante, apenas um Sol um pouco mais avermelhado”, indicou o SMN no Twitter.

O serviço meteorológico Metsul, uma referência na região, indicou que os fumos poderão igualmente atingir o Rio Grande do Sul, o estado mais meridional do Brasil.

A Austrália enfrenta desde setembro gigantescos incêndios que provocaram pelo menos 24 mortos e devastaram uma superfície equivalente à ilha da Irlanda. O início precoce e devastador dos incêndios florestais, este verão, levou as autoridades a classificar esta temporada como a pior de que há registo. Há cerca de 17 pessoas ainda desaparecidas e mais de 1.300 casas foram destruídas.

O estado de Nova Gales do Sul tem sido o mais afetado pelos fogos, onde já arderam cerca de cinco milhões de hectares, uma área maior que a Bélgica. Ao todo, já arderam quase oito milhões de hectares em todo o território australiano.

A devastação levou Scott Morrison a criar um fundo de recuperação no valor de dois mil milhões de dólares australianos (cerca 1,24 mil milhões de euros. O fundo, que poderá ser reforçado, servirá, de acordo com o Jornal Económico, para investir na reconstrução das comunidades, com especial enfoque nos governos locais, agricultores e produtos do setor primário e pequenos comerciantes.

“Este dinheiro será canalizado para os pequenos negócios, as pequenas localididades, para providenciar apoios na saúde mental, investir em infraestruturas sociais e económicas, e ainda na promoção da proteção ambiental e da vida selvagem nativa, que têm sido terrivelmente afetados por estes fogos trágicos”, explicou o primeiro-ministro australiano.

O fundo será gerido pelo National Bushfire Recovery Agency, que será liderardo pelo ex-líder da Polícia Federal Australiana, Andrew Colvin. A sociedade civil mundial angariou 25 milhões de dólares australianos (15,5 milhões de euros)

  ZAP // Lusa

1 Comment

  1. Isto é tão surreal que por vezes acho que estou a ver um filme de terror.
    Doi-me o coração só de pensar quantas vidas já se perderam.
    Isto é só uma amostra do que aí vem se não fizermos nada!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE