Nasceu mais um Sindicato na PSP (já é o 17.º e só tem dirigentes)

Numa altura em que PSD e PS estão a ultimar uma nova Lei Sindical da Polícia de Segurança Pública (PSP), a força de segurança acaba de ganhar mais um Sindicato. É já o 17.º, o que constitui um recorde absoluto em toda a administração pública.

O novo Sindicato foi criado nas vésperas da aprovação da nova Lei Sindical da PSP que pretende limitar as folgas atribuídas para o exercício da actividade sindical dos elementos desta força policial.

Denominado Sindicato de Defesa dos Profissionais de Polícia (SDPP), a nova estrutura é composta por 27 agentes do Comando de Lisboa da PSP e todos são dirigentes, como reporta o Diário de Notícias (DN).

Como dirigentes do Sindicato, estes agentes da PSP podem gozar de folgas especiais destinadas ao exercício da actividade sindical. A medida tem sido criticada pelo facto de estar a ser usada de forma abusiva pelo elevado número de Sindicatos existentes, a grande maioria deles com diversos dirigentes e delegados. Em muitos casos, há mais dirigentes do que associados.



A actual Lei Sindical da PSP determina que cada dirigente pode gozar 4 folgas mensais para a actividade sindical, enquanto os delegados têm direito a 12 horas.

Anualmente, a PSP está a conceder mais de 36 mil dias de folga, abrangendo “um total de 3680 dirigentes e delegados” sindicais, como refere o DN. O novo Sindicato alargará esses números a mais 27 agentes.

Esta realidade causa elevado impacto na actividade operacional da PSP que também se queixa da falta de recursos humanos.

Para pôr cobro à situação, está na gaveta desde 2016 a nova Lei Sindical da PSP, num processo que foi iniciado pela anterior ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa.

O processo está agora, finalmente, na recta final, e deverá ser aprovado durante o mês de Maio, no Parlamento, depois de PSD e PS terem “cozinhado” um acordo nos bastidores da Assembleia da República.

A nova Lei Sindical vai “cortar drasticamente as folgas para a actividade sindical”, “reduzindo para 33 dias por ano os créditos para dirigentes (agora são 48)” e “fazendo depender o número de dirigentes e delegados com direito às mesmas da representatividade de cada sindicato”, como destaca o DN.

Estas medidas podem acabar por levar à extinção dos Sindicatos mais pequenos.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Nem de outra forma poderia ser em portugal, algo constituído apenas por basicamente ninguém!Os sindicatos só existem porque o tacho é bom!

  2. “Em muitos casos, há mais dirigentes do que associados.” ainda gostava que me explicassem esta afirmação, se todos os dirigentes, delegados ou seja lá que funções exercem num qualquer sindicado, têm obrigatoriamente de ser associados, logo é impossível haver um sindicato com mais dirigentes que associados, no minimo serão tantos dirigentes quanto os associados, um pouco mais de coerência nas afirmações, eheheheh

RESPONDER

Vulcão, La Palma

Aeroporto de Las Palmas inoperacional devido à acumulação de cinzas

O aeroporto de La Palma, na Ilha de Tenerife, nas Canárias, está inoperacional por acumulação de cinzas, resultante da erupção do vulcão Cumbre Vieja, informou hoje a empresa gestora dos aeroportos e do tráfego aéreo …

Siza Vieira reforça que é "trabalho" dos Bancos discutir com os clientes o reembolso das moratórias

O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, reforça que cabe aos Bancos "discutir com os seus clientes que têm moratórias nos sectores mais afectados" pela pandemia o reembolso das dívidas após o fim destes mecanismos …

Domingos Soares de Oliveira de saída do Benfica

Além de João Varandas Fernandes e José Eduardo Moniz, o administrador Domingos Soares de Oliveira também não vai integrar a lista de Rui Costa para as próximas eleições. Rui Costa confirmou na terça-feira que é candidato …

Depois do Bayern, Barcelona também está atento a Luis Díaz

Luis Díaz continua a somar boas exibições e clubes interessados na sua contratação. Agora fala-se do desejo do Barcelona em contratar o colombiano em janeiro. Luis Díaz atravessa um momento de forma excecional ao serviço do …

Fuse Valley, Matosinhos

Está a nascer em Matosinhos a Silicon Valley portuguesa (e até Siza Vieira está "espantado")

O "Fuse Valley" promete ser a Silicon Valley portuguesa, em Matosinhos, num empreendimento inovador da Farfetch e da Castro Group que até deixa o ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, "espantado". A abertura está prevista …

Portugal aguarda "luz verde" da EMA para avançar com terceira dose aos idosos

Portugal aguarda a autorização da Agência Europeia de Medicamentos para avançar com a administração da terceira dose da vacina contra a covid-19 a maiores de 65 anos. Com base nos resultados de dois grandes estudos científicos …

E depois de Merkel? Alemanha já sente falta da Chanceler que saiu da sombra para salvar o seu "delfim"

Angela Merkel tinha prometido ficar afastada das eleições legislativas deste domingo, na Alemanha, mas saiu da sombra para apoiar o seu "delfim", o candidato da CDU, Armin Laschet, que deverá disputar a vitória com o …

Já há refugiados afegãos a realizarem entrevistas de emprego em Portugal

Já há refugiados afegãos a realizarem entrevistas de emprego em Portugal, disse a secretária de Estado para a Integração e as Migrações, Cláudia Pereira. Em três semanas, chegaram 178 refugiados afegãos a Portugal. A secretária de …

Arranca hoje a conferência dos Trabalhistas - num clima de "guerra civil" entre Starmer e os Corbynistas

A proposta de Starmer de mudar a sistema de eleição do líder dos Trabalhistas tem suscitado muitas críticas, num partido que já estava profundamente dividido entre os membros mais conservadores e os membros leais a …

Multinacional oferece emprego qualificado em Portugal mas não tem candidatos

Um engenheiro de Mirandela regressou à terra para instalar na cidade transmontana o polo principal de uma nova multinacional na área da energia que está a recrutar, mas não consegue candidatos para emprego qualificado. Manuel Lemos …