/

Nova explosão em Cabul. ISIS reclama ataques bombistas

Akhter Gulfam / EPA

Afegãos tentam fugir do país e amontoam-se à entrada do aeroporto de Cabul.

Há relatos de uma terceira explosão em Cabul, depois de terem sido mortos 72 civis em dois ataques durante a tarde. O ISIS já reivindicou as explosões.

A tarde desta quinta-feira ficou marcada por duas explosões e, possivelmente, um tiroteio junto ao aeroporto de Cabul. O Ministério da Saúde afegão confirmou os relatos de que morreram nas explosões 60 civis afegãos, além de 12 militares norte-americanos. Além disso, 140 pessoas ficaram feridas, entre as quais 15 militares dos EUA.

O ataque bombista ocorreu em dois pontos distintos: um, junto a um hotel da capital afegã, e outro, junto a um dos portões do aeroporto de Cabul, onde se aglomeram milhares de afegãos tentando fugir do país antes do final da ponte aérea organizada pelos Estados Unidos e seus parceiros da NATO.

O comandante central das Forças Armadas dos EUA, Kenneth McKenzie, confirmou que o ataque foi realizado por dois bombistas suicidas que serão membros do Estado Islâmico. Depois das explosões, vários homens ligados ao ISIS disparam sobre a civis e militares, disse ainda o militar citada pelo Observador.

O general McKenzie diz que prevê que os “ataques do ISIS continuem”, havendo outras ameaças “extremamente ativas” aos EUA em Cabul.

Entretanto, o próprio autoproclamado Estado Islâmico reivindicou os ataques desta quinta-feira. Em causa está uma uma comunicação no Telegram, citada pela Sky News, onde o ISIS afirma ser o responsável.

Já esta noite, por volta das 20h30, muitos jornalistas em Cabul dizem ter ouvido uma terceira explosão. Ainda não houve confirmação por parte de nenhuma entidade oficial.

Entretanto, caças da Força Aérea dos EUA foram avistados a sobrevoar Cabul após os ataques.

O Presidente da República adiantou que “os portugueses estão seguros em Cabul, nomeadamente os quatro que foram em missão”.

O porta-voz dos talibãs, Zabihullah Mujahid, disse que o seu grupo “condena veementemente” o ataque e que os seus autores “serão severamente dissuadidos”.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE