“A fatura vem em janeiro”. Incerteza associada ao Natal não deixa Norte livre de nova subida

Yuri Kochetkov / EPA

As medidas de combate à covid-19 continuam a resultar a Norte, afirmou esta terça-feira um especialista da Universidade do Porto, alertando, contudo, que a incerteza e liberdade associadas ao Natal não deixam a região livre de uma nova subida.

A fatura vem em janeiro. Só estamos à espera para perceber ao certo qual foi o resultado do Natal, sendo que neste momento há, acima de tudo, um risco”, afirmou Óscar Felgueiras, matemático especialista em epidemiologia da Universidade do Porto.

Em declarações à agência Lusa, o especialista afirmou que a situação da evolução epidemiológica a Norte “é francamente melhor do que há um mês”, mas que as medidas já anunciadas para o Natal e Ano Novo, ao darem “espaço de liberdade e acarretar incertezas”, não deixam a região livre de uma “arrancada”, à semelhança do que está a acontecer noutros países europeus, como a Alemanha e Holanda.

Se, porventura, a região Norte estacionar num patamar de incidência muito elevado, por exemplo nos 500 novos casos por 100 mil habitantes a cada 14 dias, “o potencial de subida pode ser grande”, alertou o especialista.

“O risco existe e, acima de tudo, é importante que a população perceba que ele existe. No Natal, temos de nos proteger a nós e aos outros, principalmente aqueles com quem não costumamos estar, assim como temos de evitar contactos de risco. Se houver um esforço geral nesse sentido, pode ser que o efeito do Natal não seja tão sentido”, disse.

No entanto, tal permanece “uma incógnita” que só será possível analisar e perceber em janeiro.​​​​​​​

Apesar disso, o matemático da Universidade do Porto afirma que se “conseguiu colocar um travão, evitando a medida mais forte que se poderia tomar [confinamento geral]” e que tal está a resultar a Norte.

“O exemplo do Norte dá pelo menos algum sinal de esperança de que é possível conciliar a atividade económica com uma situação que não é de confinamento geral”, referiu, acrescentando que tal melhoria é reflexo “da mudança muito importante do comportamento das pessoas”.

À Lusa, Óscar Felgueiras adiantou que para a semana do Natal são esperados na região Norte cerca de 1.100 novos casos diários de infeção pelo SARS-CoV-2, bem como uma diminuição do número de internamentos e óbitos.

“A diminuição está a existir e está a ser essencialmente aqui no Norte, sendo que para já não é evidente uma clara descida no resto do país“, afirmou, acrescentando, no entanto, que podem surgir “impactos contraditórios” como o do segundo fim de semana de confinamento com feriados e os concelhos que tiveram o levantamento de medidas.

“Nada vai fazer com que a tendência agora mude, nem que as pessoas tivessem um comportamento muito incorreto, isso não ia acontecer logo, é algo que demora e que se reflete com o tempo“, disse.

E acrescentou: “Não é de esperar grandes surpresas, claro que já há muita gente a fazer compras, mas não se nota que haja aqui uma situação problemática”.

Os dez concelhos com maior risco de contágio

Portugal tem 25 concelhos considerados de risco extremo, o que significa que têm uma taxa de incidência de casos de covid-19 superior a 960 por cada 100 mil habitantes no acumulado dos últimos 14 dias.

Mas, de acordo com os dados avançados pela Direção-Geral da Saúde (DGS) na segunda-feira, os concelhos nos quais o risco de contágio é maior são Mondim de Basto, com 2.663 casos por cada 100 mil habitantes, Marvão e Chaves.

  1. Mondim de Basto, Vila Real – 2.663 casos por 100 mil habitantes
  2. Marvão, Portalegre – 2.097
  3. Chaves, Vila Real – 2.084
  4. Trofa, Porto – 1.616
  5. Armamar, Viseu – 1.577
  6. Vila Pouca de Aguiar, Vila Real – 1.471
  7. Crato, Portalegre – 1.470
  8. Vila Nova de Famalicão, Braga – 1.424
  9. Vimioso, Bragança – 1.392
  10. Esposende, Braga – 1.346

Esta sexta-feira, o Governo deverá proceder à reavaliação dos quatro escalões (risco extremo, muito elevado, elevado e moderado) e é esperado que a lista de concelhos de maior risco encolha, perdendo uma dezena de municípios onde a situação pandémica aliviou ligeiramente nas últimas duas semanas, relata o Eco.

Portugal contabiliza pelo menos 5.815 mortos associados à covid-19 em 358.296 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da DGS.

O país está em estado de emergência desde 9 de novembro e até 23 de dezembro, período durante o qual há recolher obrigatório nos concelhos de risco de contágio mais elevado.

Durante a semana, o recolher obrigatório tem de ser respeitado entre as 23 e as 5 horas, enquanto nos fins de semana e feriados a circulação está limitada entre as 13 horas de sábado e as 5 horas da manhã de domingo, e entre as 13 horas de domingo e as 5 horas de segunda-feira.

Sofia Teixeira Santos Sofia Teixeira Santos, ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

Costa imune ao descontrolo da pandemia. Popularidade de Marcelo dispara

A sondagem TSF/JN/DN regista uma avaliação positiva do primeiro-ministro e do Presidente da República, com este a atingir um novo pico de popularidade. Os líderes do PSD e do Chega surgem empatados como principais figuras da …

Mais seis mortos nos protestos em Myanmar. Embaixador na ONU afastado

Seis manifestantes foram mortos em Myanmar, este domingo, por forças de segurança que dispersavam com violência as manifestações pró-democracia. Três manifestantes foram mortos em Dawei (no sul do país), enquanto dois adolescentes, de 18 anos, morreram …

Siza Vieira anuncia que Programa Apoiar vai ser reforçado e alargado

O programa Apoiar, destinado a empresas afetadas pela pandemia da covid-19, vai ser reforçado e alargado a novas situações, anunciou o ministro da Economia, indicando que as medidas vão ser anunciadas na próxima semana. "Queremos reforçar …

Embaixadora deixa Venezuela na terça-feira. UE chama embaixador em Cuba

A embaixadora da União Europeia na Venezuela vai sair do país na terça-feira, informou à agência Lusa fonte diplomática europeia, sem adiantar mais detalhes. Na última quarta-feira, a Venezuela decidiu expulsar Isabel Brilhante Pedrosa, em retaliação …

EUA aprovam vacina unidose da Johnson & Johnson. Nova Zelândia volta ao confinamento

O regulador do medicamento norte-americano aprovou, este sábado, a vacina contra a covid-19 da Johnson & Johnson, a terceira autorizada nos Estados Unidos. A vacina em causa da Johnson & Johnson é de dose única e junta-se …

Estes traços psicológicos podem ajudar a identificar pessoas vulneráveis ao extremismo

As características dos cérebros das pessoas podem oferecer pistas sobre as suas crenças políticas, sugere um novo estudo científico. Num estudo com cerca de 350 cidadãos norte-americanos, uma equipa de investigadores examinou a relação entre as …

Fóssil de lula vampiro perdido durante a Revolução Húngara foi redescoberto

Em 2019, uma equipa de investigadores encontrou o fóssil que estava perdido nas coleções do Museu de História Natural da Hungria, enquanto procurava fósseis de ancestrais de chocos. Contudo, o fóssil foi descoberto originalmente em 1942 …

Após escalada de suicídios, Japão nomeia Ministro da Solidão

O Japão nomeou um Ministro da Solidão após um recente aumento no número de suicídios, exacerbado pela crise provocada pela pandemia de covid-19. Estudos recentes mostraram que o Japão tem altos níveis de isolamento social, em …

Grande carruagem cerimonial descoberta quase intacta em Pompeia

Uma grande carruagem cerimonial de quatro rodas, com elementos de ferro, decorações de bronze e estanho, restos de madeira mineralizada e vestígios de elementos orgânicos, como cordas, foi encontrada quase intacta na área arqueológica de …

FC Porto 0-0 Sporting | Nulo com sabor a vitória para o "leão"

O “clássico” do Dragão, entre FC Porto e Sporting, terminou sem golos, sem grande futebol, e com um “leão” cada vez mais perto do título, apesar de ainda faltar muito campeonato.  A igualdade permite à formação …