Museu britânico deixa de exibir coleção de cabeças humanas

Pitt Rivers Museum, University of Oxford

O Museu Pitt Rivers em Oxford, no Reino Unido, decidiu retirar da sua exposição permanente crânios e cabeças humanas encolhidas (tsantsas), que terão sido encontradas por exploradores europeus nas suas viagens às Américas e à Índia.

A mudança entrou em vigor na passada terça-feira, data em que o espaço abriu depois de ter sido obrigado a encerrar por causa da pandemia. Ao todo, foram retirados 120 restos mortais das exibição com parte do “processo de descolonização” do museu, conta a BBC.

Entre os restos mortais retirados estão as tsantsas, cabeças encolhidas humanas ou de animais, como macacos e preguiças, que foram especialmente preparadas para servirem como troféus ou para serem incluídas em rituais.

A BBC detalha que as tsantsas são feitas por tribos da Amazónia com os corpos dos seus inimigos derrotados e crânios de prisioneiros capturados pelo povo Naga, na Índia.

“As cabeças eram uma das maiores atrações do museu mas, em vez de fornecerem uma compreensão mais profunda sobre as outras culturas, estavam a reforçar estereótipos sobre estes povos serem ‘selvagens’, ‘primitivos’ ou ‘horríveis'”, disse a diretora do museu, Laura Van Broekhoven, citada pela emissora britânica.

E rematou, questionando: “A questão é: muita coisa aconteceu aqui mesmo na nossa terra. Ingleses foram enforcados e esquartejados e nunca mostramos isso. Mulheres foram queimadas vivas e não mostramos isso. Então porque é que estamos a exibir as chamadas atrocidades de outras culturas e muito pouco das nossas próprias atrocidades”.

Fundado em meados de 1884, muito dos primeiros objetos exibidos no Museu Pitt Rivers podem ser atualmente associados à expansão imperial britânica.

Tendo em conta este passado, a instituição disse em comunicado: “Esta história difícil levou o museu a envolver-se mais no reconhecimento das suas práticas do passado e na natureza da sua recolha, exibição e interpretação, bem como nos efeitos que têm”.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Ou, visto de outra maneira, passamos a esconder parte da realidade para que idiotas não pensem que é toda a realidade. Vi, em Paris, uma exposição de instrumentos de torturas medievais e modernas, em Lisboa, uma de instrumentos de tortura da Santa Inquisição, outra, em Óbidos, de instrumentos e peças de bruxaria. Pessoas de outros continentes, com culturas diferentes, também viram e não ficaram convencidas de que a Europa é aquilo. Porque razão esta gente resolveu passar um atestado de estupidez aos outros?

Há uma planta que evoluiu para se "esconder" do Homem

Uma planta utilizada na medicina tradicional chinesa evoluiu, mudando a própria pigmentação, para se tornar menos visível ao Homem, sugere uma nova investigação, dando conta que em causa está uma estratégia de sobrevivência. O estudo, …

Luz verde. PAN abstém-se e garante aprovação do OE2021

A votação final global do Orçamento do Estado para 2021 acontece esta quinta-feira no Parlamento. A sua aprovação está garantida devido à abstenção do PCP, PEV e PAN, apesar do voto contra do Bloco de …

Mais de 500 funcionários públicos vão ajudar SNS. Camas de cuidados intensivos podem chegar às 1.000

A ministra da Saúde, Marta Temido, anunciou, em entrevista ao Público e à Renascença, que mais de 500 funcionários públicos vão integrar as equipas de rastreio do Serviço Nacional de Saúde (SNS). Na entrevista conjunta ao …

Erro de fabrico levanta questões sobre vacina de Oxford

A AstraZeneca e a Universidade de Oxford reconheceram esta quarta-feira um erro de fabrico que está a levantar questões sobre os resultados preliminares e a eficácia da sua vacina experimental contra a covid-19. O comunicado, onde …

Partiu o "mais humano dos deuses" quando tentava mudar de vida. 9 ambulâncias socorreram Maradona, mas foi em vão

A Argentina está em choque com a morte de Diego Armando Maradona. O coração de El Pibe não aguentou numa altura em que estava a tentar mudar de vida, com exercícios físicos, dieta e a …

Manter o ar de casa limpo pode reduzir a probabilidade de propagar covid-19

Além das precauções atualmente recomendadas, garantir que o ar em espaços interiores esteja o mais limpo possível também pode ajudar a reduzir a probabilidade de propagar o novo coronavírus. A grande maioria da transmissão do SARS-CoV-2 …

Navio australiano filma meteoro a desintegrar-se no céu da Tasmânia

O navio de pesquisa científica da CSIRO capturou imagens surpreendentes de um meteoro a desintegrar-se no oceano, muito perto da Tasmânia. Na quarta-feira, o navio de pesquisa científica da CSIRO capturou um meteoro a desintegrar-se no …

Afinal, o Espaço não é assim tão escuro. Há brilho de origem desconhecida

Uma equipa de cientistas usou a New Horizons para medir a luminosidade do Espaço profundo e os resultados surpreenderam-na. Há muito tempo que os cientistas tentam perceber qual a luminosidade do Espaço, se lhe retirarmos todas …

Meteorito atinge casa de homem indonésio e transforma-o em milionário

O caso insólito aconteceu em Kolang, na Sumatra do Norte, Indonésia. Um fabricante de caixões de 33 anos encontrou um meteorito no seu jardim, depois deste atingir o telhado da sua casa em agosto. O protagonista …

Há 20 anos que ninguém sabe do paradeiro de dois cadernos de Charles Darwin

Dois dos cadernos do naturalista Charles Darwin, um dos quais com o rascunho da “Árvore da Vida” (1837), estão desaparecidos há cerca de 20 anos e terão sido muito provavelmente roubados, anunciou esta terça-feira a …