Mulher de Alexei Navalny deixou a Rússia e voltou à Alemanha

Alexei Navalny / Instagram

Navalny no hospital com a mulher e com os filhos.

A mulher do líder da oposição russa detido Alexei Navalny, Yulia Navalnaya, abandonou a Rússia e voltou para a Alemanha, indicou esta quarta-feira a agência noticiosa russa Interfax. Segundo as fontes da agência, Yulia apanhou um voo para Frankfurt no aeroporto moscovita de Domodedovo.

As advogadas da mulher de Navalny disseram às agências russas RIA Novosti e TASS desconhecerem se a sua cliente viajou para a Alemanha.

Yulia Navalnaya regressou a 17 de janeiro à Rússia, com o seu marido, depois de terem estado quase cinco meses na Alemanha, onde o opositor foi tratado e recuperou do envenenamento de que foi alvo em agosto de 2020.

Navalny diz ter sido envenenado por ordem do presidente russo, Vladimir Putin, e após regressar à Rússia foi detido e condenado a cumprir uma pena de três anos de prisão que tinha sido suspensa em 2014 e que foi classificada de arbitrária pelo Tribunal Europeu dos Direitos Humanos.

Nas recentes manifestações em apoio de Navalny, durante as quais foram detidas mais de 11.000 pessoas, Yulia Navalnaya também foi presa nas marchas de dia 23 e 31 de janeiro, refere a agência noticiosa espanhola EFE.

Além disso a sua casa foi alvo de buscas e um tribunal multou-a a 1 de fevereiro em 20.000 rublos (220 euros) por ter participado nos protestos.

Por outro lado, as autoridades russas emitiram esta quarta-feira um novo mandado de prisão contra um colaborador de Alexei Navalny, um militante que Moscovo classificou de traidor na terça-feira após o seu apelo a sanções europeias.

Léonid Volkov, que vive na Lituânia, já era alvo de uma ordem de detenção na Rússia.

O tribunal moscovita de Basmanny indicou à agência France-Presse que Volkov foi agora incluído na base de dados das pessoas procuradas da Comunidade dos Estados Independentes (CEI), que inclui a maior parte das ex-repúblicas soviéticas, aliados da Rússia.

A porta-voz do tribunal, Irina Morozova, precisou que Volkov é procurado por ter “incitado menores a cometerem atos ilegais”, numa referência às manifestações não autorizadas de janeiro em defesa de Navalny. O delito é passível de uma pena máxima de três anos de prisão.

“Eis como reagir: (…) não prestar atenção, continuar a trabalhar”, indicou o opositor após aquele anúncio através do serviço de mensagens Telegram.

Volkov disse na segunda-feira à noite ter discutido com representantes europeus a possível adoção de sanções contra altos responsáveis russos e próximos de Vladimir Putin.

“De um ponto de vista moral e ético, é uma traição”, reagiu na terça-feira a porta-voz da diplomacia russa, Maria Zakharova, em declarações à rádio Vesti FM.

A União Europeia pediu por diversas vezes a libertação de Navalny, além de acusar Moscovo de recusar investigar o envenenamento de que o adversário do Kremlin foi vítima em agosto e que levou os europeus a sancionarem vários responsáveis russo.

Na terça-feira, o Alto Representante da União Europeia para a Política Externa e de Segurança, Josep Borrell, informou que irá propor aos líderes europeus a adoção de sanções à Rússia, no Conselho Europeu de 25 e 26 de março.

Lusa // Lusa

 

PARTILHAR

RESPONDER

Não são só os humanos. Até os cães-guia podem vir a ser substituídos por robôs

A tecnologia de Inteligência Artificial (IA) não ameaça apenas automatizar o trabalho dos humanos. Os cães-guia, que ajudam pessoas com deficiência visual a navegar com segurança pelo mundo, podem ser os seus próximos alvos. Uma equipa …

Laboratório investigado em Madrid depois de vídeo mostrar maus tratos a animais

Um laboratório em Madrid, Espanha, está a ser investigado por alegados maus tratos a animais, depois de uma inspeção confirmar as suspeitas de abuso filmadas por um antigo funcionário. O vídeo divulgado pela Cruelty Free International …

Equipa realiza primeiro transplante de traqueia do mundo. Pode reverter danos causados pela covid-19

Uma equipa de cirurgiões realizou o primeiro transplante de traqueia humana do mundo. A cirurgia foi feita numa mulher com graves danos no órgão, revelou o Hospital Mount Sinai, em Nova Iorque. A recetora do transplante …

Em 2020, os mais velhos renderam-se aos "animais de estimação pandémicos"

Uma nova investigação revelou que as famílias com crianças não foram as únicas a aderir à tendência dos "animais de estimação pandémicos" em 2020. Os mais velhos também não resistiram. Segundo a National Poll on Healthy …

Tramado por uma turfeira. Homem confessa assassinato, mas corpo encontrado tinha 1600 anos

O que tinha tudo para ser um casamento feliz, acabou em tragédia. Num estranho caso em que uma simples planta ditou o desfecho de uma investigação criminal. Em 1959, a retratista e entusiasta de viagens Malika …

"Projeto Bernanke". Google terá usado programa secreto para dar vantagem ao seu sistema de anúncios

A Google terá usado durante anos um programa secreto que usava dados de lances anteriores na bolsa de publicidade digital da empresa para dar ao seu próprio sistema de compra de anúncios uma vantagem sobre …

Para "proteger a verdade histórica", Rússia divulga documentos que revelam atrocidades nazis em Stalingrado

O Ministério da Defesa da Rússia divulgou documentos desclassificados que detalham atrocidades cometidas por soldados e oficiais nazis durante a II Guerra Mundial. A divulgação destes documentos, que foram publicados no site do Ministério da Defesa …

Espanha. Funcionários públicos podem trabalhar três dias em casa sem perder direitos

O Governo espanhol e os sindicatos de funcionalismo público chegaram, esta segunda-feira, a um acordo que prevê que os trabalhadores da Administração Pública podem trabalhar três dias por semana em casa com os mesmos direitos …

Rara coleção de um dos primeiros fotógrafos da História vai a leilão nos EUA

Quase 200 imagens de um dos primeiros fotógrafos da história, William Henry Fox Talbot, vão a leilão, em Nova Iorque, já este mês. A coleção de William Henry Fox Talbot será parte do leilão "50 obras-primas …

Em greve de fome, Navalny é ameaçado ser alimentado à força. Ativistas falam em tortura

O opositor russo Alexei Navalny afirmou hoje na rede social Twitter que as autoridades penitenciárias estão a ameaçar alimentá-lo à força para quebrar a greve de fome que mantém na prisão desde 31 de março. “Ele …