Morreu o soldado que não acreditava que a guerra tinha acabado

Government of Japan / Wikimedia

Hiroo Onoda, o soldado que não acreditou que a guerra tinha acabado

Hiroo Onoda, o soldado que não acreditou que a guerra tinha acabado

Um soldado japonês que ao longo de três décadas esteve escondido na selva nas Filipinas por não acreditar que a Segunda Guerra Mundial tinha terminado, morreu em Tóquio aos 91 anos.

Hiroo Onoda encetou uma campanha de guerrilha na ilha de Lubang, perto de Luzon, até que em 1974 foi convencido que a guerra tinha terminado.

Panfletos espalhados no local onde se encontrava e outro tipo de esforços nunca convenceram Onoda do fim da guerra e só a visita de um seu antigo comandante, que lhe ordenou que baixasse as armas, colocou fim à ‘sua’ guerra.

Hiroo Onoda foi treinado como oficial de informações e instrutor de tácticas de guerrilha e quando foi deixado em Lubang tinha orientações para nunca se render, nunca participar em ataques suicidas e resistir até à chegada de reforços.

Mesmo depois do fim da guerra em 1945, Onoda e outros três soldados mantiveram-se firmes nas suas missões.

O caso de Onoda ficou conhecido em 1950, após o regresso ao Japão de um dos soldados que estava na mesma região.

/Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Colômbia condenada por não ter investigado agressões "verbais, físicas e sexuais" a jornalista

De acordo com a sentença, o Estado colombiano não investigou devidamente o caso de sequestro, tortura e violação da jornalista Jinedth Bedoya, que estava a trabalhar numa reportagem sobre a guerra civil em 2000. O Tribunal …

Rio diz ter "obrigação" de avançar com recandidatura à liderança do PSD

O presidente do PSD justificou a sua recandidatura à liderança, esta quarta-feira, pela "obrigação" de colocar o interesse do país e do partido à frente da sua vida pessoal. No final de uma audiência com o …

Fenprof e FNE convocam greve nacional de professores para 5 de novembro

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) e a Federação Nacional da Educação (FNE) anunciaram, esta quarta-feira, que vão convocar uma greve nacional de professores para 5 de novembro. Em comunicado, a Fenprof refere que a greve …

PCP reconhece aproximação do Governo, mas diz que ainda é insuficiente

O líder parlamentar do PCP considerou, esta quarta-feira, que houve uma aproximação do Governo às propostas do partido, mas que ainda não é suficiente para alterar a avaliação feita sobre o Orçamento do Estado para …

Alemanha pode falhar objetivo de doação de vacinas contra a covid-19 (e culpa fabricantes)

A Alemanha pode falhar o seu objetivo de doar 100 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 a países mais pobres. Um funcionário do ministério da saúde alemão revelou, numa carta a Bruxelas, que a …

Alexei Navalny vence Prémio Sakharov 2021

O opositor russo Alexei Navalny é o vencedor do Prémio Sakharov para a Liberdade de Pensamento 2021, anunciou o Parlamento Europeu, esta quarta-feira. Alexei Navalny foi nomeado pelos grupos políticos PPE e Renovar a Europa devido …

Extinção do SEF aprovada na especialidade no Parlamento

A proposta do PS e do Bloco de Esquerda sobre a extinção do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) foi aprovada na Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, esta quarta-feira. Segundo o jornal Público, …

Steve Bannon deve ser investigado por envolvimento no ataque ao Capitólio, indica Comissão responsável

Antigo conselheiro de Donald Trump foi aconselhado pelo antigo presidente e pela respetiva equipa de advogados a não colaborar com a comissão especial designada para investigar os ataque. A Comissão responsável por investigar o ataque ao …

Trânsito em Lisboa regista valores mais altos do que em pré-pandemia - e há uma razão para isso

O trânsito na capital tem registado valores que ultrapassaram os da pré-pandemia. O receio que as pessoas ainda têm de usar transportes públicos é visto como o principal fator. Se durante o período de confinamento circular …

Qualificações mais elevadas já não garantem salários altos aos jovens. Contratos a prazo triplicam face às gerações anteriores

Estudar mais anos em Portugal já não é representativo de remunerações mais elevadas. Esta é a principal conclusão de um estudo desenvolvido pela Fundação Calouste Gulbenkian, centrado nas diferenças e semelhanças entre as gerações de …