/

Mesmo no pior cenário, Moody’s prevê que dívida de Portugal desça

4

André Kosters / Lusa

O ministro das Finanças, Mário Centeno

A agência de notação financeira Moody’s atribuiu um rating positivo a Portugal, muito graças ao facto de acreditar que, mesmo no cenário mais desfavorável, a dívida pública portuguesa deverá descer.

De acordo com o Jornal de Negócios, a analista da Moody’s Sarah Carlson considera que o nível da descida da dívida pública é um dos pontos fortes do perfil de risco da dívida em Portugal. “A perspetiva positiva [do rating] é o reconhecer do nível de descida da dívida“, realçou a especialista.

As melhorias conseguidas a nível da consolidação orçamental, no setor da banca e na redução da alavancagem são razões que podem justificar esta rating positivo. Ainda assim, Carlson salienta que está um “desafio significativo” para Portugal.

A analista tem, no entanto, algumas reservas. As “pressões orçamentais”, numa altura em que se discute o Orçamento do Estado para 2020, podem fazer com que Portugal não consiga fazer a dívida pública descer como seria esperado.

A especialista da Moody’s, que avaliou o risco de Portugal com uma nota de Baa3, prevê espaço para melhorias, mas reitera que há riscos devido a um aumento de despesa no setor da saúde devido ao envelhecimento da população portuguesa.

  ZAP //

4 Comments

  1. Para qualquer pessoa “normal” e com o mínimo sentido de patriotismo, isto é uma boa notícia, independentemente de se ser socialista ou não.

    Para quem nunca compreendeu que política não é futebol, isto deve ser altamente irritante porque se não forem deste clube partidário, o que importa é que o PS não fique bem visto, para poder ir para o poder um partido mais à direita. Esses, vão já começar a escrever aqui que isto é altamente negativo, por mootivos estapafúrdios que a mim nem me passam pela cabeça.

    Mas a verdade é que há uma percentagem esmagadora da população Portuguesa que nada percebe do que é política, e apenas joga ao “derby dos partidos” e discute nos cafés e nas tascas exactamente da mesma maneira que discute futebol: O clube deles é sempre melhor e se o outro clube ganhou, nunca é porque jogou melhor, mas sim porque o árbitro é ladrão.

    • O amigo esquece-se que isto não é mérito exclusivo do atual governo. Enquanto ataca a clubite dos comentadores demonstra bem a sua. Depois, e mais do que um esforço deste governo é o resultado de uma conjuntura muito favorável. Obviamente que tem de se reconhecer que a redução do investimento público para mínimos históricos, a manutenção dos salários da função pública, a redução de novas contratações são benéficas para as contas do estado. Apenas são piores quando nos dirigimos aos hospitais, centros de saúde, justiça e educação onde nada funciona e constatamos a realidade do desinvestimento progressivo (também aqui não é apenas fruto deste governo). Mas em números já estivemos pior.

      • Amigo a Azia ainda é alguma, a conjuntura o governo soube trabalhar para ela,e aplicar as politicas acertadas,até o Rio queria ter um Centeno lá no seu partido,mas no seu partido teve foi Gaspares e M.Albuquerque que nos ia deixando sem as calças porque o cinto já não seguravam,isto está tudo falido na sua opinião nada funciona,o que está bem não é fruto deste governo,o que está mal a culpa é do Costa,isto dá vontade de rir.

  2. è mais uma boa noticia. Depois de 4 anos de Geringonça, agora o governo minoritário do PS tem perespectivas de manter o rumo do crescimento, da estabilidade, do défice zero e ao mesmo tempo melhorar a vida de todos, um pouco. Sabemos que só assim teremos um futuro mais risonho. Sabemos que sem contas certas não há quem aguente, sejam as famílias, as empresas, os clubes… ou o Estado.
    Espero por iso, que apesar das diferenças, esta legislatura chegue ao fim, e depois os portugueses que decidam quem querem, e o que querem.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.