“Fascismo” cheira a democracia. Ministra israelita é a estrela de (falso) anúncio a perfume

A ministra da Justiça israelita, Ayelet Shaked, líder do partido Nova Direita, protagonizou um invulgar e provocador vídeo de campanha que está a confundir os israelitas, a cerca de duas semanas de o país ir a eleições.

Ayelet Shaked é a protagonista de um vídeo provocador que imita o anúncio de um perfume. Aqui, a preto e branco, a ministra da Justiça aparece de forma sensual a promover um perfume chamado “Fascismo”.

Ao fundo, uma narradora sussurra em hebraico frases como “revolução judicial”, “separação de poderes”, “limitar os poderes do supremo tribunal” e “redução do ativismo”. “A mim, cheira-me a democracia”, acaba por dizer a ministra, diretamente para a câmara, dando a entender no final do anúncio que o frasco do perfume foi mal denominado.

O objetivo deste anúncio era promover as reformas judiciais que a ministra defende e, de forma original, responder com ironia àqueles que a acusam de ser fascista. Mas o resultado, contudo, confundiu ainda mais os israelitas, que vão a votos a 09 de abril.

Aqueles que não dominam o hebraico interpretaram o anúncio de forma literal (a única palavra em inglês é mesmo o nome do perfume) — uma ministra da Justiça a perfumar-se com fascismo. Outros consideraram que a piada estava demasiado próxima da verdade, salientando que a mesma defende políticas ultra nacionalistas e autoritárias.

Segundo o New York Times, os anúncios políticos israelitas fazem com que até mesmo os americanos pareçam “mais estáveis”: perto da dia da votação, as redes sociais dos eleitores foram fustigadas por anúncios, incluindo um que mostra um carro a explodir, causando a morte de Ahmed Jabari, membro do Hamas.

“Talvez fosse apenas uma questão de tempo até que alguém transformasse fascismo no nome de um perfume” – inspirado em Ayelet Shaked, “cuja combinação de atratividade juvenil e zelo para conter a influência do poder judiciário liberal” fez da própria o “legislador que a esquerda israelita mais ama odiar”, lê-se no jornal norte-americano.

Na verdade, continua o artigo, tal anúncio teria feito sentido vindo da esquerda ou de um programa de televisão satírico, como “Saturday Night Live”, que, certa vez, criou um anúncio com uma falsa Ivanka Trump, a publicitar um perfume designado “Complicit”. No anúncio, a personagem de Ivanka Trump era interpretado pela atriz Scarlett Johansson.

Com o tempo a esgotar-se antes das eleições, alguns analistas, como Anshel Pfeffer – colunista do jornal Haaretz – acreditam que o anúncio tenha sido criado justamente para ganhar atenção para a Nova Direita, que estava a cair nas sondagens. “Pelas reações, está a funcionar”, afirmou, numa publicação no Twitter.

Barak Ravid, correspondente diplomático da Channel 13, escreveu no Twitter: “Este é um dos anúncios eleitorais mais bizarros que já se viu… Viktor Orban em esteróides”, numa referência ao primeiro-ministro da Hungria, que é da extrema-direita.

Em dezembro, Viktor Orban aprovou na Hungria uma lei que visa criar tribunais supervisionados pelo ministro da Justiça, uma medida que, segundo os críticos, permite a interferência política em questões judiciais.

Ayelet Shaked, de 42 anos, é membro do partido Nova Direita, um grupo nacionalista, religioso e secular, que lidera em conjunto com o ministro da Educação, Naftali Bennett. O partido, que tem vindo a recuar nas sondagens – segundo as quais conquistará seis lugares em 120  -, é parte do governo de coligação de direita de Benjamin Netanyahu.

Naftali Bennett rejeita a criação de um estado palestiniano independente e quer anexar a Cisjordânia já ocupada. Os membros do grupo têm vindo a tentar suprimir organizações de direitos humanos e a reduzir a possibilidade de os tribunais julgarem soldados acusados de abusos.

Os tribunais israelitas, sobretudo o Supremo Tribunal, têm sido vistos pela direita como demasiado liberais e intervencionistas — e, portanto, uma barreira às reformas judiciais que Ayelet Shaked defende, indica o artigo do Sapo.

No domingo, o maior tribunal do país afastou da corrida eleitoral um político judeu racista e permitiu a candidatura de um partido árabe. Ayelet Shaked considerou a decisão “uma interferência crassa e equivocada, no coração da democracia israelita”.

Taísa Pagno TP, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Cavaco fala em "democracia amordaçada" (e na "vergonha" dos números da pandemia)

Este sábado, numa participação na Academia de Formação Política das Mulheres Sociais-Democratas, Cavaco Silva deixou duras críticas ao Executivo de António Costa, sublinhando que a pandemia mostrou um "SNS fragilizado por decisões erradas do governo". O …

Remédio contra piolhos está a ser usado contra covid-19. Infarmed e DGS investigam

"Centenas" de doentes de covid-19, em Portugal, têm sido tratados com o antiparasitário Ivermectina que é usado contra piolhos e lombrigas. Há médicos que o prescrevem e que também o tomam a título preventivo, embora …

Sporting bate recorde histórico, mas até o do 6-3 era melhor (quando Amorim não estava "do lado certo")

O Sporting não perde há 22 jogos e bateu o recorde de invencibilidade dos leões em jogos do campeonato que pertencia à equipa de 1981/1982. Um dado que deixa Ruben Amorim orgulhoso, mas o treinador …

"Estou a morrer." Constança luta por um medicamento para se salvar, Infarmed diz que não recebeu pedido do Hospital

Constança Bradell fez um apelo nas redes sociais, numa publicação em que descreve a luta que está a travar contra a fibrose quística. A jovem, de 24 anos, pede a aprovação do medicamento que lhe …

Um século de luta comunista comemorado com 100 ações pelo país

O mais antigo partido político comemora, esta sábado, 100 anos de existência. PCP vai festejar o aniversário com 100 ações pelo país. O PCP assinala, este sábado, os seus 100 anos com 100 ações, em mais …

Relações esfriadas. Moedas consultou Marcelo, mas dispensou conselhos de Passos

Antes de anunciar a sua candidatura a Lisboa, Carlos Moedas consultou Marcelo Rebelo de Sousa e falou com Paulo Portas. Com Pedro Passos Coelho só falou um dia depois de o seu nome ter sido …

Portugal não pode perder o comboio da Europa. Para Marcelo, é hora de aproveitar o novo ciclo

A crise que assolou o nosso país tem de ser aproveitada para "olhar para os problemas estruturais". A mensagem foi deixada pelo Presidente da República, nesta sexta-feira, na conferência de abertura do Festival P, com …

Santana não desiste e admite candidatar-se à Figueira (mesmo à revelia do PSD local)

Pedro Santana Lopes não fecha totalmente a porta e admite vir a candidatar-se à Figueira da Foz como independente. Mesmo que a concelhia do PSD já tenha tomado uma decisão e avance com Pedro Machado, Pedro …

Um Papa na "Terra de Abraão" pela primeira vez na História. Francisco em viagem inédita ao Iraque

Depois de 15 meses em Itália, o Papa Francisco regressou às viagens pastorais com uma visita de quatro dias ao Iraque, uma viagem inédita de um líder da Igreja Católica ao Iraque.  O Papa Francisco desafiou …

Jesus não "perdoa" Vlachodimos pelo erro no dérbi. Vieira já definiu preço para o guardião

O jornal O Jogo escreve este sábado que o treinador do Benfica, Jorge Jesus, ainda não esqueceu o erro do guardião Odysseas Vlachodimos frente ao Sporting, numa partida para o campeonato que acabou com a …