Ministério Público acusa ex-autarcas de Portimão de burla e corrupção

António Cotrim / Lusa

-

Os antigos vice-presidente e vereador da Câmara de Portimão foram acusados pelo Ministério Público, num total de 21 arguidos, no âmbito da investigação a contratações feitas por empresas municipais de Portimão, entre 2009 e 2013.

O Ministério Público (MP) deduziu acusação contra 21 arguidos, nove pessoas singulares e 12 colectivas, como consta da acusação publicada no site do Departamento Central de Investigação e Ação Penal de Lisboa.

O vice-presidente da Câmara de Portimão, Luís Carito, o vereador Jorge Campos e mais três arguidos, foram detidos em 2013 por suspeitas de corrupção, administração danosa, branqueamento, participação económica em negócio e associação criminosa, mas um não chegou a ser acusado.

No despacho publicado nesta quinta-feira, o Ministério Público refere que à data dos factos, dois dos arguidos eram autarcas do município de Portimão e membros de órgão social das empresas municipais, conselho de administração e comissão executiva.

Foram acusados de administração danosa, burla qualificada, branqueamento, danificação ou subtração de documento e nota técnica e usurpação de obra, de acordo com a informação.

“Foram igualmente acusados dos crimes de abuso de poder e participação económica em negócio”, refere o MP, acrescentando que o caso envolve a Portimão Turis e a Portimão Urbis.

Em causa estão as contratações realizadas pela Portimão Turis em 2009 e entre 2010 e 2013, “relativas à requalificação do Estádio de Portimão e ao designado cluster do cinema”, lê-se na informação.

De acordo com a acusação, tais procedimentos decorreram “à revelia das normas da gestão racional, em violação dos princípios, normas constitucionais e administrativas em vigor” à data dos acontecimentos.

“Ficou indiciado que esta actuação tinha em vista o enriquecimento, o que foi conseguido, designadamente de um autarca e dos diversos contratantes privados que intervieram nos procedimentos levados a cabo pelas referidas empresas municipais”, acrescenta o mesmo texto.

Tais condutas, segundo o documento, causaram “elevado prejuízo ao Estado”, num valor global calculado em 4,6 milhões de euros, pelo que foi também pedida uma indemnização em nome do Estado português neste montante.

Em Junho de 2013, o presidente da Câmara de Portimão anunciou uma auditoria externa à empresa municipal Portimão Urbis, na sequência da investigação policial que resultou na detenção do vice-presidente e de um vereador da autarquia.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Alguém apostou no Placard num café fechado. Santa Casa perdeu dois milhões de euros

Durante quatro dias, a Santa Casa da Misericórdia registou o valor de dois milhões de euros em apostas, a partir de um café encerrado em Odivelas. Entre 9 e 12 de fevereiro, alguém apostou dois milhões …

Bairro da Jamaica. Novas suspeitas reabrem queixa contra agentes

Os moradores envolvidos nos confrontos de janeiro de 2019, no Bairro da Jamaica, pedem a reabertura do processo contra os agente da PSP. A defesa quer ver anulada a decisão do Ministério Público que acusou …

"Cuidados de morte." Governo acusado de cortar em cuidados paliativos para poupar dinheiro

A Associação Nacional dos Cuidados Continuados (ANCC) acusa o Governo de estar a cortar nos cuidados paliativos para poupar dinheiro. A TSF avança esta sexta-feira que a Associação Nacional dos Cuidados Continuados (ANCC) não tem dúvidas …

Novo Banco contrata detetives para seguir ex-líder da Ongoing

O Novo Banco contratou equipas especializadas compostas por investigadores privados para fazer o levantamento de todos os bens que possam ser associados a Nuno Vasconcellos, ex-líder da Ongoing. Segundo avança o Correio da Manhã esta sexta-feira, …

Eurobic nega que Teixeira dos Santos esteja a ser investigado pelo Banco de Portugal

Na quinta-feira, o jornal Público deu conta de uma investigação do Banco de Portugal (BdP) ao papel de Teixeira dos Santos no Eurobic no âmbito do caso Luanda Leaks. Agora, o banco vem a público …

"Comigo, não acontecerá." Ferro Rodrigues decide que castração química não será debatida no Parlamento

Admitindo que as responsabilidades pela decisão de não admissibilidade do projeto de lei do Chega eram suas, Ferro Rodrigues deixou claro que, consigo na presidência da Assembleia da República, projetos de lei (provavelmente) inconstitucionais como …

Eleições para o Tribunal Constitucional suspensas. Boletins de voto estavam ilegais

A votação dos nomes para ocuparem as duas vagas no Tribunal Constitucional foi suspensa porque os boletins de votos que foram entregues aos deputados não estavam conforme manda a lei. De acordo com o jornal ECO, …

Chega já é a 5.ª força política em Portugal. CDS ultrapassado pelo PAN e Iniciativa Liberal

O PS mantém a distância para o PSD em fevereiro, segundo o Barómetro Político da Aximage para o Jornal Económico, que dá ainda conta que o CDS está em queda, posicionando-se apenas à frente do …

Eliminação da Liga Europa dita fim de linha para Silas

O desportivo Record escreve esta sexta-feira que a eliminação do Sporting da Liga Europa ditou o fim de linha para Silas no comando dos leões. De acordo com a publicação, os dirigentes leoninos ficaram desagradados …

Covid-19. Voos cancelados, máscaras à venda por mil euros e turismo "à beira do colapso" em Itália

Voos cancelados, máscaras à venda online por mil euros e turismo "à beira do colapso" em Itália. Estas são algumas das mais recentes consequências do novo coronavírus, a epidemia oriunda da cidade chinesa de Wuhan que …