Militares da GNR feridos em Mourão “foram abandonados no meio do incêndio”

Paulo Cunha / Lusa

Nesta segunda-feira, cinco militares da GNR ficaram feridos num incêndio rural em Évora, em circunstâncias ainda não conhecidas. O representante dos militares da GNR diz que a situação tem de ser “muito bem explicada”, afirmando que os militares foram “abandonados” no meio das chamas.

O vice-presidente Associação Sócio-Profissional Independente da Guarda (ASPIG), Adolfo Clérigo, disse, em declarações à TSF, que vai ser necessário explicar muito bem o que se passou no incêndio que feriu cinco militares em Mourão, três dos quais em estado grave.

Adolfo Clérigo, também ele militar do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS) da GNR, revelou que foram contrariadas as regras básicas.

“Nunca tinha acontecido um comandante largar ou ‘despejar’ os homens no terreno e não voltar a aparecer. Eles tiveram de literalmente correr enquanto conseguiram porque ficaram entregues à sua sorte. Foram largados e abandonados no meio do incêndio”, frisou Afonso Clérigo à TSF.

O vice-presidente da Associação cita relatos de populares e de militares que estiveram próximos da operação em Mourão e sublinha que o comandante do helicóptero vai ter de explicar “muito bem” o que o levou a deixar os militares sozinhos. Com isto, o comandante deixou-os sozinhos na cabeça de incêndio, contrariando “todas as práticas” utilizadas neste tipo de operações.

Para Adolfo Clérigo, se as regras tivessem sido cumpridas os homens não teriam sido apanhados de surpresa pelo fogo, pois “não é possível colocar os militares em frente ao fogo e ficar à espera dele”, afirmou.

A empresa de meios aéreos que alugou o helicóptero ao Estado, citada pela RTP, garante que a decisão de sair do local foi do chefe da brigada dos cinco militares colocados no terreno. No relatório, o piloto garante que alertou os militares para o avanço das chamas, mas que foram estes que decidiram continuar a combater o fogo em terra.

As explicações deverão agora ser dadas pelo inquérito já anunciado nesta terça-feira pelo Ministério da Administração Interna.

MAI abriu inquérito

Face ao incidente, o ministro da Administração Interna (MAI) determinou a abertura, pela Inspeção-Geral da Administração Interna, de um inquérito para apurar as circunstâncias em que ocorreu o acidente que envolveu os militares da GNR.

O ministro Eduardo Cabrita quer saber em que circunstâncias ocorreu o acidente que feriu os militares.

O incêndio rural, numa área de pasto, deflagrou na segunda-feira à tarde, no Monte do Canhão, no concelho de Mourão, e foi considerado dominado às 18h57. No combate às chamas estiveram envolvidos 74 operacionais, apoiados por 25 viaturas e cinco meios aéreos, segundo a ANPC.

Destes operacionais, cinco elementos do GIPS da GNR sofreram queimaduras na sequência do combate às chamas. Dos feridos, todos do sexo masculino, com idades entre os 30 e 39 anos, três sofreram queimaduras graves, enquanto os outros dois “foram assistidos no local e não necessitaram de mais cuidados”, revelou à Lusa o INEM.

Um deles foi encaminhado para os Hospitais Universitários de Coimbra, outro para o Hospital de S. João, no Porto, e outro para Hospital de S. José, em Lisboa. Todos ficaram feridos com gravidade, mas não correm risco de vida.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Simples,
    O SIRESP grava as comunicacoes na rede, e so consultar e ja se sabe ao certo se as afirmacoes do piloto estao correctas!!!!!

  2. Engraçado, no incendio em que ficou conhecida uma situaçao como (estrada da morte) pelo que se soube foi a GNR que encaminhou os populares por essa via a qual veio resultar numa das maiores tragedias em incendios de que á conhecimento o MAI ficou em silencio, o ministerio publico ficou em silencio, o governo estava de ferias…e como ja algume um dia disse “ a culpa nao morre solteira”….

  3. No caso dos GNR creio que trabalham com poucos meios e neste caso largados por um helicóptero nem sequer água teriam por perto apenas talvez uns paus com uma espécie de tecido para bater as chamas, largá-los isolados nestas situações penso que é irresponsabilidade a mais e total falta de conhecimento se foi assim de facto que as coisas aconteceram.

Igrejas evangélicas cultivam violência doméstica ao defender a supremacia dos homens sobre as mulheres

O facto de a igreja evangélica defender que o homem deve controlar a mulher apenas agrava o problema de violência doméstica, justificando os atos dos homens. Jane (nome fictício) era membro da comunidade cristã evangélica da …

A Cidade do México está a pagar aos seus polícias para que percam peso

A Polícia da Cidade do México está a levar a cabo um programa para combater o excesso de peso e a obesidade no seu efetivo através de incentivos financeiros.  Ao todo, escreve a agência AFP que …

Há um novo método para medir buracos negros

Os buracos negros supermassivos são os maiores buracos negros, com massas que podem exceder mil milhões de sóis. Apenas esta primavera foi divulgada a primeira imagem do buraco negro supermassivo no centro da galáxia M87, …

E Tudo o Vento Levou… há 80 anos

E Tudo o Vento Levou celebra este domingo 80 anos de vida, marcando a data da sua estreia nos Estados Unidos. Oito décadas depois, o filme mantém-se como uma das maiores obras primas do cinema …

O problema impossível mais simples do mundo está a levar matemáticos à loucura

Matemáticos avisam os seus colegas para se manterem longe da conjetura de Collatz. No entanto, Terence Tao decidiu arriscar, e está muito perto de resolver aquele que muitos chamam de o problema impossível mais simples …

Soldados da Guerra Civil dos EUA pintavam o cabelo para ficar melhor nas fotografias

Investigadores encontraram evidências que indicam que soldados da Guerra Civil norte-americana pintavam o cabelo para ficar melhor nas fotografias. Escavações em Camp Nelson, no Kentucky, revelaram restos de um estúdio de fotografia com 150 anos, o …

Chuva, vento forte e neve. Mau tempo vai agravar-se nas próximas 48 horas

A Proteção Civil alertou este domingo para um agravamento do estado do tempo nas próximas 48 horas, com períodos de chuva, possibilidade da queda de neve nas terras alta do norte e centro e ainda …

Descoberta nova espécie de aranha-violinista no Vale do México

Cientistas identificaram, no México, uma nova espécie de aranha com um veneno que, apesar de não ser fatal, é capaz de causar necrose na pele humana. Uma equipa de cientistas da Universidade Nacional Autónoma do México …

Já sabemos sobre o que conversam os orangotangos

Um novo estudo da Universidade de Exeter, em Inglaterra, desvendou a linguagem secreta dos orangotangos, descobrindo o que significam 11 sinais vocais e 21 gestos. Os investigadores passaram dois anos a filmar mais de 600 horas …

COP25 aprovou conclusões. Não há acordo para regulação dos mercados de carbono

A cimeira da ONU sobre o clima terminou hoje em Madrid assinalando a urgência para conter as alterações climáticas, mas a mais longa cimeira sobre o clima de sempre sem chegar a acordo nos pontos …