Milagre de Berna ou fim do comunismo. Afinal, o que levou à queda do futebol húngaro?

Nos anos 50, a Hungria tinha uma das seleções mais talentosas do mundo. Do Milagre de Berna ao fim do comunismo, afinal, o que levou à queda do futebol húngaro?

Quando pensamos nas maiores potências do futebol mundial, a Hungria é um país que certamente não nos vem à cabeça. Perdida no 40.º lugar do ranking da FIFA, a seleção húngara é maioritariamente composta por jogadores da liga doméstica que, também ela, não tem uma reputação de destaque.

A verdade é que nem sempre foi assim e, se recuarmos algumas décadas, a Hungria era uma das seleções mais fortes na cena europeia e mundial. Em 1938, chegou à final do Campeonato do Mundo, onde acabaria derrotada pela Itália, por 4-2. Mas a sua era dourada surgiria alguns depois.

Nos anos 50, a equipa que ficou conhecida para a História como “Os Mágicos Magiares”, encantava o mundo com o seu futebol.

Treinada por Gusztáv Sebes, a seleção contava com estrelas como Ferenc Puskás, Zoltán Czibor, Sándor Kocsis, Nándor Hidegkuti, József Bozsik e Gyula Grosics. A equipa esteve imbatível durante 32 jogos consecutivos, um recorde que ainda permanece até hoje a nível de seleções.

No Mundial de 1954, a Hungria perdeu, por 3-2, na final contra a Alemanha Ocidental, equipa que tinham derrotado por 8-3 na fase de grupos. O encontro ficou conhecido como “O Milagre de Berna”.

O percurso da Hungria na competição estava a ser imaculado, tendo despachado nações como o Brasil e o Uruguai para chegar até à final. A Alemanha Ocidental jogava o seu primeiro Mundial desde que tinham sido banidos após a 2.ª Guerra Mundial. A Hungria entrava em campo com confiança e como clara favorita.

A partida não podia ter começado de melhor forma para a Hungria, que volvidos oito minutos, já vencia por 2-0, com golos de Puskás e Czibor. No entanto, a réplica germânica não tardou e, em apenas dez minutos, a Alemanha Ocidental empatou o encontro. A machada final chegou já aos 84 minutos, com um golo de Helmut Rahn que deu a vitória aos alemães.

“Ainda não tinha caído em mim quando estávamos juntos a ouvir o hino nacional. Estávamos todos de mãos dadas, tamanha era a amizade profunda de toda a equipa”, disse o central alemão Jupp Posipal, citado pela FIFA, nos minutos que se seguiram à conquista do troféu.

O desgosto da Hungria foi ainda mais intenso quando, anos mais tarde, uma equipa de investigadores fez uma descoberta polémica.

Um estudo da história do doping no desporto alemão revelaria que a equipa vencedora do Mundial de 1954, que supostamente tomava vitamina C antes do jogo, na verdade, recebeu metanfetaminas, o “mesmo estimulante dado à tripulação de tanques e aos pilotos da Luftwaffe durante a 2.ª Guerra Mundial”.

Depois da conquista, a Alemanha entrou numa senda de grandes triunfos, enquanto a Hungria nunca mais recuperou do duro golpe.

Luz ao fundo do túnel?

Depois do fim do regime comunista, o futebol húngaro entrou em decadência. Os grandes clubes como Ferencvaros, Budapest Honved e Ujpestetc enfrentaram problemas financeiros. Como resultado deixaram de ter as instalações adequadas para continuar a produzir grandes talentos.

A geração de ouro da Hungria desapareceu e, com ela, não havia talento suficiente à altura do desafio. A seleção nunca mais chegou a um Mundial desde 1986 e o Ferencvaros, um dos clubes mais históricos do país, esteve recentemente na segunda divisão devido a problemas financeiros.

Só recentemente, em 2016, é que a Hungria conseguiu pôr fim a um jejum de 44 anos sem se qualificar para o Campeonato Europeu. O percurso terminou nos oitavos de final, mas a Hungria conseguiu ficar no topo do grupo F, que contava com Portugal, Islândia e Áustria. O encontro frente à Seleção das Quinas terminou em 3-3.

Embora continue com um conjunto de jogadores humildes, há uma luz ao fundo do túnel. Dominik Szoboszlai, avançado húngaro de 20 anos, é um dos maiores talentos do futebol mundial. O antigo jogador do Red Bull Salzburgo estava a ser perseguido por meio mundo, mas este inverno decidiu assinar pelo RB Leipzig, da Alemanha. Benfica e FC Porto foram dois dos clubes que tentaram a contratação do “Cristiano Ronaldo húngaro”.

Daniel Costa, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas encontram galáxias massivas primitivas "sem combustível"

As primeiras galáxias massivas - aquelas que se formaram nos três mil milhões de anos após o Big Bang - deveriam conter grandes quantidades de gás hidrogénio frio, o combustível necessário para fabricar estrelas. Contudo, os …

Cientistas criam frango impresso em 3D (e que é cozinhado através de lasers)

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Columbia mostrou que diferentes tipos de lasers podem ser usados ​​para cozinhar frango impresso em 3D. De acordo com um comunicado de imprensa, o frango impresso a 3D passou …

"Contra tudo e contra todos". Moedas fez história em Lisboa

O cabeça de lista da coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM/Aliança à Câmara de Lisboa, Carlos Moedas, afirmou hoje ter vencido “contra tudo e contra todos”, porque “a democracia não tem dono”, agradeceu o “voto de confiança” e comprometeu-se …

Ventura admite que “vitória não foi total” ao falhar objetivo de ficar em terceiro

O líder do Chega admitiu hoje que a “vitória não foi total” nas autárquicas de domingo, ao falhar o objetivo de ser a terceira força política, mas defendeu que se “fez história” em Portugal, recusando …

Liveblog Autárquicas. Carlos Moedas ganha Lisboa

Realizam-se este domingo Eleições Autárquicas em Portugal, nas quais está em jogo a eleição de 308 presidentes de câmaras municipais, os seus vereadores e assembleias municipais, bem como 3091 assembleias de freguesia. Acompanhe tudo no …

Contra a "vigarice" das sondagens, "o PSD teve um excelente resultado"

O PSD conseguiu todos os objectivos a que se propôs nestas eleições autárquicas, segundo Rui Rio. O presidente do PSD considera que o partido teve "um excelente resultado" contra a "vigarice" das sondagens e "contra …

Medina assume derrota em Lisboa. "É uma indiscutível vitória de Carlos Moedas"

Fernando Medina acaba de assumir a derrota nas eleições autárquicas, felicitando Carlos Moedas pela vitória na Câmara de Lisboa. "É uma indiscutível vitória pessoal e política de Carlos Moedas", sublinha Medina. "Foi um privilégio servir esta …

Costa: "PS continua a ser o maior partido autárquico nacional"

António Costa canta vitória nas eleições autárquicas, apesar de ainda não se conhecerem os resultados finais de Lisboa, Sintra e Loures. Para o secretário-geral socialista, não há dúvida de que o "PS continua a ser …

O "primeiro amarelo" para Costa e o "CDS superou todos os objectivos"

"O CDS superou todos os objectivos a que se propôs nestas autárquicas". É assim que Francisco Rodrigues dos Santos, líder do CDS-PP, canta vitória, considerando que António Costa "viu o seu primeiro cartão amarelo". Na reacção …

Pegadas provam que as Américas foram povoadas milhares de anos antes do que pensávamos

Investigadores descobriram evidências da presença de humanos nas Américas: pegadas com, pelo menos, cerca de 23.000 anos. A nossa espécie começou a migrar para fora de África há cerca de 100.000 anos. Além da Antártida, as …