/

Miguel Relvas assume que foi maçom (e “afastou-se voluntariamente”)

7

José Sena Goulão / Lusa

Miguel Relvas, ex-ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares

Na noite em que o PSD discutiu o seu futuro num Conselho Nacional Extraordinário, onde foi votada uma moção de confiança à atual direção do partido, Miguel Relvas assumiu que pertenceu à maçonaria.

Em entrevista ao programa da TSF “Às Onze no Café de São Bento”, o antigo ministro dos Assuntos Parlamentares admitiu ter sido maçom e esclareceu essa ligação.

“Deixei de ter essa ligação há alguns anos voluntariamente e nunca em momento algum vi alguma preocupação com a vida interna dos partidos“, frisou Miguel Relvas, sublinhando que se “afastou voluntariamente.”

“Nunca fui pressionado no sentido de tomar uma decisão numa determinada perspetiva”, disse ainda o ex-político, que integrou a maçonaria através da Loja Universalis do Grande Oriente Lusitano.

O Grande Oriente Lusitano é a mais antiga obediência maçónica portuguesa, fundada em 1802. A sua fundação terá tido como um dos principais dignatários Gomes Freire de Andrade e o patrocínio de Augusto Frederico, Duque de Sussex.

Em noite decisiva para o seu partido, onde foi votada uma moção de confiança à atual direção – da qual Rui Rio saiu vencedor – Miguel Relvas deixou fortes críticas aos que companheiros do partido que o acusam de influenciar a oposição a Rui Rio.

Miguel Relvas foi secretário-geral do PSD, ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares no governo de Passos Coelho até 2013, pedindo a demissão no seguimento do escândalo que envolveu a Universidade Lusófona. Em junho de 2016, viu anulado o seu grau de licenciado. Hoje em dia, é diretor de Política e Sustentabilidade na empresa norte-americana Dorae, especializada em blockchain.

  ZAP //

7 Comments

  1. Este traste é um morto politico, ele bem pode esquecer a politica porque para ele acabou! Os Portugueses sabem bem o que ele é… Maçonaria… Lojas… Obediências maçónicas… Uma verdadeira palhaçada! Que vergonha alheia!
    Este animal é dos tipos mais corruptos que existe na politica, ao lado do socas e tantos outros, na escola era dos mais burros e foi passando de ano com dificuldade e muitas ajudas se é que me entendem. Quem o conhece dos tempos de escola sabe bem caracterizar esta peste!
    É pena ver como tipos sem qualquer valor conseguem chegar a lugares de decisão com influencia. Num mundo perfeito isto nunca deveria acontecer…
    Neste momento está a receber os dividendos do que semeou enquanto politico corrupto, e a ajudar esse grupo económico com o seu trafico de influencias que ainda consegue ter… Não se esqueçam que esta ave rara sabe muitos podres de muita gente, e isso dá-lhe poder!
    Ah, e o seu amiguinho Montenegro é mais do mesmo… Tudo uma corja!

  2. A maçonaria ” vomita” certos tipos de gente. Tem muitos que se dizem maçom, mas somente um maçom legítimo sabe o que se passa lá dentro. Somente, somente e mais ninguém. SFU.

  3. Concordo. Muitos querem ser maçons, e entram de alguma forma para a instituição porém a maçonaria não entrou em seus corações, e acabam se auto-excluíndo.
    SFU

  4. Se é tão mau como os “comentadores” supra querem fazer crer, como é que uma grande empresa norte-americana o contrata? Não leram? É atualmente “diretor de Política e Sustentabilidade na empresa norte-americana Dorae, especializada em blockchain”. Além disso, para os invejosos e maldizentes, fiquem sabendo que o senhor concluiu entretanto a sua licenciatura. Ver https://www.jornaldenegocios.pt/economia/detalhe/miguel-relvas-voltou-a-estudar-e-ja-tem-licenciatura. Tomara vocês terem 1/100 da cabecinha dele.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.