Lusófona obrigada a anular 152 diplomas (incluindo o de Miguel Relvas)

PSD / Flickr

Miguel Relvas, ex-ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares

O Ministério da Educação deu à Universidade Lusófona (ULHT) um prazo até dia 8 para corrigir 152 processos relacionados com atribuições irregulares de créditos, depois de a instituição ter informado que anulara apenas 75 desses processos.

Inicialmente, segundo um comunicado divulgado esta quarta-feira pelo Ministério, foram dados 60 dias para a correção da totalidade de processos. A ordem do Governo foi dada em dezembro e segundo ela, diz-se no comunicado, a Universidade tinha de promover “a instrução de novos procedimentos de creditação de acordo com a legislação em vigor”.

“No mesmo prazo, e depois de ouvidos os interessados, deve também a ULHT declarar, em 152 processos, a nulidade dos atos de creditação e proceder à cassação de diplomas e certificados que tenham sido atribuídos, sob pena de ser participada a invalidade desses atos ao Ministério Público”, esclarece o comunicado, explicando que findo o prazo a resposta da Universidade foi a de que 75 processos tinham sido invalidados e que os restantes “aguardavam o esclarecimento de dúvidas”.

A notícia foi avançada ontem pelo jornal Expresso com o título “Consequências do caso Relvas: Lusófona tem de anular 152 diplomas e certificados“, na qual se diz que a continuação do funcionamento da Lusófona está em causa se não der seguimento às ordens do Ministério para anular diplomas e certificados atribuídos com base em processos de creditação de competências irregulares, entre 2006 e 2013.

O “caso Relvas” está relacionado com a suposta obtenção irregular de alguns créditos na licenciatura do antigo ministro Miguel Relvas, nomeadamente créditos com base em experiência profissional, e de acordo com o Expresso é um dos processos na lista negra que o Ministério entregou à instituição.

Na nota de esclarecimento o Ministério lembra que em 2012 a ULHT foi advertida de que deveria de reanalisar todos os processos de creditação de competências profissionais, instruídos e decididos entre 2006 e 2012, “e retirar dessa análise todas as consequências legalmente devidas, incluindo, quando fosse o caso, a declaração de nulidade dos atos de certificação dos graus atribuídos”.

Uma advertência decorrente de uma inspeção anterior da Inspeção-Geral do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior aos procedimentos de creditação da Universidade que concluiu que as recomendações não eram cumpridas.

Em abril de 2013, diz-se ainda no comunicado, foi feita uma “complexa ação inspetiva” que incluiu 425 creditações (equivalências por experiência profissional ou outra formação) e nalguns casos foram identificadas “ilegalidades especialmente graves que têm como consequência a nulidade desses atos”, pelo que foi pedido, já no ano passado, um parecer jurídico sobre essa invalidade.

Em dezembro passado foi dada ordem à Universidade para anular 152 processos, ficando dependente dessa ação o reconhecimento do interesse público da ULHT, o que significa que em último caso a Universidade pode perder a licença para funcionar.

Face ao não cumprimento, a Universidade, por despacho do secretário de Estado do Ensino Superior de 24 de março, tem 15 dias para “cumprimento integral” do que lhe tinha sido comunicado a 16 de dezembro.

/Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Agora aparecem 152 macacos a pedir o reembolso dos subornos!!! A Lusófona é um antro de perdição e já devia estar fechada há muito tempo.

  2. Além deste tipo de atitude da qual concordo, deveria o ESTADO Português, nomeadamente o Ministro da Educação revelar ao PAÍS os REAIS 152 processos – torna-los públicos, dar-lhe um NOME (identifica-los). Porque mesmo que a Universidade os ANULE as 152 pessoas continuam a exercer suas funções como se nada fosse, passam despercebidas nas suas funções. Correta ou incorrectamente a auferir vantagens, em suma a ocupar o lugar de alguém credenciada para, que não obteve os ditos créditos e teve de “batalhar para”. É uma questão de princípios. A não ser que esta informação seja areia para os olhos, estratégia distractivo para o caso da Justiça Autoritária Tributária – Lista VIP. Desviar a atenção do POVO sacrificando 152 incautos de irregular obtenção de ….
    Fica já agora a informação que também considero irregular e abusiva. Quem obteve algum tipo de grau académico desde bacharelato, licenciatura … se pretender realizar agora algum mestrado ou outro tipo de formação que necessite de comprovativo da sua anterior formação. Vai-se deparar com o abuso lhe assaltarem a carteira (assalto a mão armada) de pedirem um elevado montante por algo que já fez, já pagou para frequentar (ditas propinas e no fim o dito Diploma e Certificado de Curso descriminado) para lhe atribuir uns ditos créditos aos quais lhe vão possibilitar frequentar nova formação. Na próxima inventam outra e quem pretenda formação terá de andar sempre a pagar pelo que já fez e dentro da LEI. Pergunto é se a LEI anda a Dormir e onde anda a dormitar.

  3. E mais perverso ainda é que estás pessoas estão a chefiar aquelas que se licenciar a mm pré Bolonha e fizeram Mestrados só porque são das tais listas – a dos intocáveise alguns bem burros com a mania que são melhores e espertos.

RESPONDER

Árbitro foi muito "benévolo" com o FC Porto

O golo de Taremi e a expulsão de Mbemba originaram protestos portugueses. Os espanhóis têm uma visão diferente. O Atlético de Madrid-FC Porto contou com duas boas equipas em campo e uma "que esteve menos bem", …

Buraco na camada de ozono ultrapassa o tamanho da Antártida

A dimensão do buraco na camada de ozono no hemisfério sul ultrapassou o tamanho da Antártida, continente com cerca de 14 milhões de quilómetros quadrados, anunciou hoje o serviço europeu Copernicus, de monitorização da atmosfera. “O …

Políticos e especialistas querem legalizar canábis (com impostos para prevenir o consumo)

Um grupo de 65 personalidades, entre especialistas médicos e ex-ministros, apela à legalização da canábis, considerando que é a melhor forma de prevenir o consumo desta droga, nomeadamente através dos impostos aplicados ao sector. Esta carta …

Mais 1062 casos e seis mortes por covid-19. Internamentos continuam em queda

Há actualmente 497 doentes internados, menos 30 pessoas do que no último balanço. Mais seis pessoas morreram de covid-19 nas últimas 24 horas. Nas últimas 24 horas, Portugal registou mais seis mortes e mais 1062 casos …

Crescimento sustentado da economia dá margem ao Governo nas negociações para OE

Governo tem a seu favor uma evolução positiva das receitas fiscais, o que lhe deverá permitir metas mais ambiciosas de redução do défice ou, em alternativa, assumir mais medidas com impacto negativo no orçamento. O crescimento …

Portugal contratou mais professores, mas salários baixaram

Em ano de pandemia, um relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) mostra as diferenças que existem nas carreiras dos professores na Europa e em Portugal. O reforço do número de professores no …

Afinal, a crise no transporte marítimo mundial não vai estragar o Natal - pelo menos em Portugal

O transporte de mercadorias está a desacelerar na Ásia e o aumento dos custos está a causar uma onda preocupação na distribuição. Porém, o problema não se deverá fazer sentir na época de Natal. A falta …

Líder do Estado Islâmico no Grande Saara morto por forças francesas

O Presidente francês, Emmanuel Macron, anunciou esta madrugada que o líder do grupo terrorista "Estado Islâmico no Grande Saara" (EIGS), Adnan Abu Walid Sahraoui, foi "neutralizado" por forças militares francesas. "Trata-se de um novo grande sucesso …

Portugal vai ser o país europeu com mais escalões de IRS

Com o desdobramento do terceiro e do sexto escalão de IRS, Portugal será, a par do Luxemburgo, o país europeu com mais níveis na tabela de taxas de imposto. As mexidas nos escalões de IRS já …

Fisco enviou 50 mil notificações de IUC indevidas e vai anulá-las

A Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) identificou o envio de cerca de 50 mil notificações indevidas para pagamento do IUC, que serão anuladas. A Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) identificou o envio de cerca de 50 …