Pedras de todas as cores. A metáfora de Tino e o discurso (habitual) de Ventura marcaram um debate pacífico

RTP (dr)

Debate entre os candidatos presidenciais Vitorino Silva e André Ventura

Cada intervenção a seu tempo, em tom morno, voz calma e com ausência de estridências. Foi assim o debate televisivo que marcou a estreia de Vitorino da Silva como candidato presidencial nas eleições de 2021.

Os dois candidatos estiveram num frente a frente esta segunda-feira à noite na RTP3. Ambos se apresentam contra as “elites” e como sendo “fora do sistema”.

Logo nos primeiros minutos do debate, André Ventura já falava em “ir para o Governo” e garantia que “sem o Chega e o PSD não haverá uma maioria de direita”. Pelo meio, aproveitou ainda para trazer ao debate o nome de Passos Coelho.



Vitorino Silva diz que quando o RIR se constituiu partido junto do Tribunal Constitucional “estiveram lá perdidas 2 ou 3 mil assinaturas que depois foram encontradas no mesmo sítio” acusando “quem está com o monopólio de não querer mais concorrência”.

Num debate em que os dois candidatos fizeram um esforço para não se interromperem, tentaram até passar a imagem de alguma sintonia em algumas matérias, como é o caso da redução do número de deputados, a fiscalização e eficácia do Estado.

“Não devia haver tantos deputados, também concordo”, detalha Vitorino Silva sem responder à questão dos refugiados.

No entanto, houve dois temas em cima da mesa que marcaram a diferença de opiniões.

Um desses assuntos foi a polémica sobre a nomeação do Procurador Europeu. André Ventura insiste numa demissão e sublinha que “esta ministra da Justiça não tem espaço para continuar no Governo”, acrescentando que o Presidente da República devia dar “um sinal” ao Governo. O líder do Chega vai mais longe e garante que se fosse o Presidente da República daria um “sinal” ao primeiro-ministro para afastar a ministra.

Para Vitorino Silva, e perante esta situação, aplica-se o provérbio: “Cada macaco no seu galho”. O candidato considera que não é “candidato para mandar nenhum ministro para o desemprego”, considerando que serão os eleitores a julgar o primeiro-ministro.

Uma outra divergência que surgiu a meio do debate entre Vitorino Silva e André Ventura foi a visão sobre a comunidade cigana.

Ventura defende que “há um problema com a etnia cigana que o Estado não quer aceitar que há”. Vitorino Silva interrompe-o e garante que é “mais fácil prender um cigano”. Já tinha dito antes que “os ciganos não são burros, são pessoas” e que “há ciganos que pedem emprego e não lhes dão porque são ciganos”.

André Ventura insiste que “só 18 % dos ciganos vivem do seu trabalho”. Vitorino não desarma e defende que “ainda há um estigma sobre a comunidade cigana.”

O candidato presidencial também conhecido por Tino de Rans diz que “todos são seus adversários” e que é o representante do “povo anónimo que não tem vez nem voz”.

Vitorino Silva inaugurou, aliás, um novo estilo nos debates, ao trazer e colocar em cima da mesa, pedras de várias cores, apanhadas numa praia “muito linda” onde disse ter ido passear para se inspirar para os debates. “O mar traz pessoas de todas as cores”, referiu.

“Na praia vi pedras de todas as cores”, lembra, enquanto retira do bolso quatro. “Uma cor-de-rosa, outra laranja, outra preta, outra branca. As pessoas de todas as cores vêm do mar”.

O presidente do partido RIR, recordou, teve “mais votos há cinco anos (nas presidenciais de 2016) do que o Chega e a Iniciativa Liberal (nas legislativas de 2019)”, uma vez que cerca de 152.094 eleitores votaram em si.

Ana Moura, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

EUA. Advogado planeou o próprio assassinato para o filho receber seguro. Foi detido por fraude

Um influente advogado norte-americano, cuja esposa e um dos filhos foram assassinados, foi acusado de fraude contra uma empresa de seguros e falso testemunho por organizar o seu próprio assassinato. Segundo avançou a agência France-Presse, …

Norberto Mourão conquista bronze nos Mundiais de canoagem adaptada

Norberto Mourão já tinha conquistado o bronze nos Jogos Paralímpicos de Tóquio e junta agora mais uma medalha à colecção, desta vez nos Mundiais de canoagem adaptada. O atleta de canoagem adaptada Norberto Mourão conquistou hoje …

Caso George Floyd. Polícia condenado a 22 anos de prisão pode ver a sentença revertida

A intervenção do Supremo Tribunal do Minnesota num outro caso de violência policial para reduzir a pena de um agente pode abrir um precedente para que haja alterações na sentença de Derek Chauvin. Segundo avança a …

Futebol português contra Campeonato do Mundo de dois em dois anos

O futebol português está contra a intenção da FIFA de aumentar a periodicidade do Campeonato do Mundo, passando de quatro para de dois em dois anos, refere um comunicado conjunto divulgado hoje. O documento, assinado pela …

Governo quer proibir empresas de recorrer ao 'outsourcing' após despedimento coletivo

O Governo quer proibir as empresas que façam despedimentos coletivos de recorrerem ao 'outsourcing' (contratação externa) durante os 12 meses seguintes, disse hoje a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. No final …

Barcelona: Cruyff afasta-se e perder com o Benfica seria "um drama"

Ronald Koeman até poderá sair mas não será Jordi Cruyff a substituir o seu compatriota. O Barcelona atravessa uma fase perturbada, já há algum tempo, mas o panorama financeiro piorou o cenário fora de campo e …

Casa Branca oferece "telefonema educativo" a Nicki Minaj para acalmar apreensões sobre a vacina

Depois de um tweet de Nicki Minaj se ter tornado viral por associar a vacina contra a covid-19 à impotência, a Casa Branca convidou a rapper para um telefonema com especialistas para esclarecerem as suas …

Baterias de lítio-enxofre melhores e mais baratas? O segredo é uma pitada de açúcar

Uma colher cheia de açúcar pode ser o suficiente para permitir que um veículo elétrico faça uma viagem de Melbourne a Sidney (878 km) com uma única carga. Atualmente, os automóveis elétricos e os telemóveis utilizam …

Parlamento aprova na generalidade mudança do TC para Coimbra. Oito socialistas votaram a favor

A proposta passou com votos contra do Chega e PAN, abstenção do PCP, BE, PEV e maioria da bancada do PS e votos favoráveis do PSD, CDS, IL e de oito deputados socialistas. O resultado já …

Escola da Amadora queria proibir minissaias, decotes e chinelos - mas já voltou atrás

Um Agrupamento na Amadora publicou um código de vestuário que acendeu um debate nas redes sociais devido às regras que controlavam mais as raparigas. Entretanto, a escola já voltou atrás na decisão. Segundo escreve o Jornal …