Médicos do São José podem ser julgados por homicídio

(dr)

David Duarte, de 29 anos, morreu no hospital porque não havia médicos para o operar ao fim-de-semana.

David Duarte, de 29 anos, morreu no hospital porque não havia médicos para o operar ao fim-de-semana.

A morte de David Duarte está a ser alvo de um inquérito por parte da Procuradoria-Geral da República e poderá vir a ser considerada um caso de homicídio por negligência.

A Procuradoria-Geral da República já confirmou a abertura de um inquérito para “avaliar eventuais responsabilidades” na morte de David Duarte, o jovem de 29 anos que, na semana passada, faleceu no Hospital de São José, em Lisboa, à espera para ser operado a um aneurisma.

Segundo uma fonte do Ministério Público, ouvida pelo Diário de Notícias, a equipa médica que o poderia salvar, que não estava a trabalhar nesse fim-de-semana por se recusar a fazê-lo ao preço que o Estado paga, pode estar em risco de ser julgada por um crime de homicídio por negligência.

Esta é uma acusação que pode vir a tornar-se real, se se confirmar que a morte do jovem ocorreu por falta de meios que devem ser assegurados pelos médicos, bem como pela administração do São José.

Também a Administração Regional de Saúde e ainda o próprio Ministério da Saúde devem assegurar que os hospitais estão em pleno funcionamento, pelo que também estas entidades poderão vir a responder por este caso.

De acordo com outras informações apuradas pelo DN, o Hospital de São José não terá sequer entrado em contacto com o Hospital de Santa Maria, onde também existe esta assistência especializada, com vista a perceber se haveria possibilidade de David ser transferido.

Em causa poderão estar crimes como negligência médica e omissão de auxílio mas, segundo a mesma fonte, a hipótese mais forte é mesmo a de homicídio por negligência.

Caso seja julgada por este crime, a equipa médica pode ser punida com uma pena de prisão de um a três anos. Porém, e uma vez que é muito complicado provar esses factos, o caso poderá ser ainda resolvido com uma indemnização aos familiares.

O caso já provocou a demissão de três pessoas: Luís Cunha Ribeiro, presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, Teresa Sustelo, presidente do conselho de administração do Centro Hospitalar de Lisboa Central (que inclui o São José), e Carlos Martins, presidente do conselho de administração do Centro Hospitalar de Lisboa Norte (que inclui o Santa Maria).

O atual ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, considerou esta situação “incompreensível” e acredita que não se trata “apenas de uma questão financeira”, uma vez que o mesmo não acontece noutras regiões do país.

“Não é apenas uma questão de natureza financeira e de recursos. No país, o Norte e o Centro funcionam sem problemas. Trata-se claramente de um problema de organização dos meios“, declarou o ministro, citado pela TVI24.

“É incompreensível o que aconteceu e não pode voltar a acontecer”, afirmou, acrescentando que “a restrição financeira da saúde, em alguns casos, foi longe demais”.

Há muitos outros casos como o de David

São vários os profissionais na saúde que lamentam que tenha sido preciso o caso de David chegar aos jornais para que se fizesse alguma coisa.

Segundo vários médicos e enfermeiros, em declarações ao jornal Público, este caso é mais um entre tantos outros que foram vítimas de uma situação que se arrasta desde 2013, visto que os anteriores responsáveis pelo Ministério da Saúde já sabiam que não havia especialistas de prevenção ao fim-de-semana e nunca fizeram nada para resolver a situação.

“Há mais casos [deste tipo], a diferença é que, neste, a família decidiu denunciar a situação”, afirma José Manuel Silva, bastonário da Ordem dos Médicos.

“Há pessoas que ficam com sequelas e há pessoas que morrem”, lamenta o responsável pelo serviço de neurorradiologia do Hospital de São José, João Reis.

A situação foi tornada pública pela namorada de David, Elodie Almeida, que numa carta ao jornal Expresso contou de forma detalhada como tudo se passou.

ZAP

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. É claro que os médicos, e os outros profissionais de saúde, é que são os culpados. Eles nem deveriam deveriam ser pagos, a satisfação do dever cumprido deveria bastar; depois admiram-se que desde os técnicos de diagnóstico até aos médicos especialistas estarem a fazerem bicha nos aeroportos a caminho da emigração. Acho que pedir bom senso,e que os verdadeiros culpados pelo estado a que este país chegou sejam responsabilizados, é demasiado para este país de ovelhas estúpidas cuja felicidade advém de serem tosquiadas, pela corja que nos governa desde 1974, e procurar bodes expiatórios quando as coisas correm mal.

  2. Vamos cá ver se eu o percebi bem, mediocre Manuel (não merece o título de senhor):
    1) Um médico deve trabalhar de graça, que é como quem diz, deve ser escravizado!
    2) Os bons da fita foram os déspotas do Estado Novo que premiaram os galinhas acéfalos e amordaçaram, estropiaram e dizimaram todos os que ousaram pensar e fazer de forma diferente.
    António de Oliveira Salazar e a sua CORJA não eram mais do que cretinos com problemas de autoestima, que achavam que dominar um povo iria transformá-los em seres humanos. Enganaram-se. Espero que ardam no fogo do inferno, seres humanos desprezíveis.

  3. os medicos devem ser severamente punidos mas o governo que cortou as verbas esses sim devem ser considerados assassinos de 6 ou mais pessoas mas não e so bla bla v devem ir para a prisao não so e assassino quem usa uma para matar como o que provoca a morte a outros devem ir para a cadeia os do anterior governo todos os que concordaram com o criar desta situação e alem do mais o miserável desse macedo ja tinha sido alertado para esta situação morte para estes bandidos

RESPONDER

Hotelaria quer testes covid-19 gratuitos para o setor (e TAP à escala do turismo nacional)

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) defendeu esta terça-feira que o Estado deve disponibilizar gratuitamente testes covid-19 a empresas que lidam diretamente com o público, como é o caso dos trabalhadores …

NASA aterrou por breves segundos no Bennu (e recolheu uma amostra) a 320 milhões de quilómetros da Terra

A aeronave OSIRIS-REx da NASA aterrou, esta terça-feira, por breves segundos na superfície do asteroide Bennu. A missão, que teve como objetivo a colheita de uma amostra de entulho solto, está em andamento desde 2004 …

Autoridade da Concorrência dá "luz verde" a reforço do controlo estatal da TAP

A Autoridade da Concorrência (AdC) deu "luz verde" ao reforço do Estado na TAP, com a aquisição de 22,5% do capital da companhia, que se somam aos 50% já detidos pela Parpública. O Conselho da AdC …

Centeno apela a uma utilização "sensata" da bazuca europeia

Mário Centeno, Governador do Banco de Portugal, disse ao FMI que apenas os  investimentos que forem produtivos irão assegurar que a dívida com que os estados se encontram não se transforme numa nova crise financeira. De …

Ministros selam acordo sobre reforma da Política Agrícola Comum

Os ministros da Agricultura da União Europeia chegaram a acordo sobre a reforma da Política Agrícola Comum (PAC). Seguem-se agora as negociações com o Parlamento Europeu. Os ministros da Agricultura da União Europeia chegaram esta quarta-feira …

Só 17% dos portugueses diz que abertura das escolas correu mal (e maioria quer teletrabalho obrigatório)

Uma sondagem da Intercampus feita para o Jornal de Negócios e Correio da Manhã revela que, cerca de um mês depois da reabertura das escolas, 42% dos portugueses entendem que o processo “decorreu de forma …

Espanha vai tornar máscaras mais baratas graças a Portugal

Espanha vai reduzir o preço das máscaras após um cidadão espanhol ter despoletado a discussão após comparar com o preço em Portugal. Uma única máscara em Espanha chegava aos 96 cêntimos. Em Espanha, uma máscara pode …

Austeridade ajudou a conter efeitos da pandemia. Crise será um "choque", mas vai "criar oportunidades"

A crise pandémica "será um choque para as economias", mas "os choques podem criar oportunidades". A análise é do economista Ricardo Reis, professor da London School of Economics, que também salienta como as políticas de …

Em abril, o vírus matava 6 vezes mais do que agora. Mas estes números podem mudar em breve

O número de infetados já bateu recordes durante o mês de outubro, mas o mesmo não de pode dizer em relação ao número de mortos. O dia com mais óbitos em Portugal ocorreu a 3 …

Orçamento não reflete "trabalho notável" dos profissionais de saúde, diz bastonário

O bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, considera que a proposta de Orçamento do Estado para 2021 não corresponde às "expectativas dos profissionais de saúde e dos portugueses" nem investe no Serviço Nacional …