Médicos “não vão deixar grávidas desprotegidas” e vão fazer de enfermeiros

Marcello Casal Jr. / ABr

O bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, garantiu hoje que os clínicos não vão deixar as grávidas sem assistência, sublinhando que o “dever de assistir” as mulheres sobrepõe-se a outras questões.

“Se for necessário, os médicos não vão deixar as grávidas desprotegidas. Há um apelo para que os hospitais criem as condições de trabalho necessárias para podermos dar as respostas adequadas”, afirmou Miguel Guimarães, insistindo que “os hospitais vão ter de reforçar o seu capital humano em termos de médicos de obstetrícia”.

Em declarações após uma reunião do Fórum Médico, em Lisboa, o bastonário lembrou que “quem define as competências médicas em Portugal é a Ordem dos Médicos” e não outras ordens profissionais.

Referindo-se ao protesto dos enfermeiros especialistas, que está a afetar blocos de parto, Miguel Guimarães considerou que a situação “gera fragilidades nas expetativas” dos portugueses, nomeadamente nas das grávidas.

“Os médicos estão disponíveis para assegurar todos os cuidados que forem necessários às grávidas. Os médicos têm de facto essas competências e das quais não irão abdicar. Temos o dever de auxílio em situações de urgência e vamos assegurar os cuidados de que as mulheres grávidas necessitem”, declarou.

Questionado explicitamente sobre se isso significa substituir as funções dos enfermeiros especialistas em protesto, o bastonário respondeu afirmativamente, indicando que isso ocorrerá em caso de necessidade.

“Significa que os hospitais vão ter de reforçar o seu capital humano em termos de médicos de obstetrícia e significa também que estamos disponíveis para continuar a assegurar o que sempre assegurámos e a ir mais longe caso seja necessário”, acrescentou.

Miguel Guimarães lembrou ainda que o ministro da Saúde é o detentor da “responsabilidade máxima pelo que acontece na área” e, como tal, “tem de estar disponível para pagar as respetivas horas extraordinárias que se revelem fundamentais para existir uma resposta adequada” às grávidas.

Apesar de reiterar que considera de “legalidade duvidosa” a forma de protesto dos enfermeiros especialistas, que deixaram de cumprir funções especializadas pelas quais ainda não são pagos, o bastonário disse que o papel daqueles profissionais “é fundamental”.

Os enfermeiros especialistas de saúde materna e obstetrícia estão em protesto há mais de uma semana, não cumprindo as funções especializadas pelas quais ainda não são pagos. O protesto seguiu-se a outro, nos mesmos moldes, ocorrido em julho, e que foi interrompido para negociações com o Governo.

Os profissionais têm dito que se vão sentindo “ameaçados e coagidos pelos Conselho de Administração” dos hospitais sobre eventuais processos disciplinares.

Um parecer do Conselho Consultivo da Procuradoria Geral da República, pedido pelo ministro da Saúde, veio considerar ilegítima esta forma de protesto dos enfermeiros, adiantando que podem ser responsabilizados disciplinarmente.

A bastonária da Ordem dos Enfermeiros afirmou no domingo que ao longo da última semana foram entregues vários pedidos de suspensão de título de enfermeiros especialistas em saúde materna e obstétrica.

Esta suspensão de título, explicou a bastonária Ana Rita Cavaco, retira-lhes a possibilidade de exercer competências especializadas que só podem ser exercidas por pessoas detentoras do mesmo, sendo-lhe passado o título de generalistas.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Estudo mostra como diferentes espécies de polvos coexistem no mesmo ambiente

Existem mais de 300 espécies de polvos a viver em diversos habitats que abrangem recifes de coral, leitos de ervas marinhas, planícies de areia e regiões de gelo polar. Mas de que forma cefalópodes tão …

As máquinas estão "muito longe" de serem mais inteligentes (mas muito perto de agir como pessoas)

A especialista em inteligência artificial Daniela Braga considera que as máquinas estão "muito longe" de substituírem totalmente os humanos ou serem mais inteligentes, mas estão "muito perto" de interagirem como as pessoas. "Acho que estamos muito …

Secreto e lucrativo, o mercado de venda de "fezes de cachalote" pode também ser violento

O âmbar cinza é altamente raro, mas também altamente valioso. Usada na indústria dos perfumes, o mercado deste material pode ser muito perigoso. Deixa na pele uma resina oleosa e tem um cheiro a tabaco, madeira, …

Empresa norueguesa garante que pode "parar" furacões antes que estes se tornam destrutivos

Especialistas ambientais advertem que o sistema de "cortina de bolhas" proposto pela empresa pode provocar efeitos indesejados. A OceanTherm, uma startup norueguesa, assegura que a sua nova tecnologia pode evitar que as tempestades tropicais se tornem …

Afeganistão: Familiares consideram "insuficientes" pedido de desculpas dos EUA

Familiares dos civis afegãos mortos por "engano" durante um ataque de um avião não tripulado 'drone' norte-americano no final de agosto em Cabul consideraram este sábado "insuficiente" o pedido de desculpas de Washington, numa entrevista …

Descoberta de pegadas fossilizadas em Espanha revela a existência de um "berçário" de elefantes

Pegadas fossilizadas foram encontradas numa praia no sul da Espanha e mostram o que pode ter sido o berçário de uma espécie extinta de elefantes. O local costeiro, situado na região de Huelva, estava normalmente coberto …

Morreu aos 98 anos o historiador, sociólogo e crítico de arte José-Augusto França

O historiador, sociólogo e crítico de arte José-Augusto França morreu este sábado, aos 98 anos, na casa de saúde de Jarzé, perto da cidade francesa de Angers, disse à Lusa a pintora Emília Nadal, sua …

Ventura: "Não vejo outra possibilidade senão a ministra da Saúde ou pedir desculpa ou ser afastada"

O Chega vai questionar formalmente o Governo pelo “facto de a ministra da Saúde ter utilizado um carro do Estado” para ir a uma ação de campanha no Porto na sexta-feira, anunciou este sábado André …

Ouvir 30 segundos de uma sonata de Mozart pode reduzir ataques de epilepsia

Ouvir a Sonata para Dois Pianos em Ré Maior (K448), de Wolfgang Amadeus Mozart, durante pelo menos 30 segundos, ajuda a reduzir a atividade elétrica cerebral associada à epilepsia resistente a medicação. Os resultados também sugerem …

Astrónomos resolvem mistério cósmico com 900 anos

Um mistério cósmico com 900 anos, em torno das origens de uma famosa supernova observada pela primeira vez na China no ano 1181, foi finalmente resolvido. Uma nova investigação, publicada dia 15 de setembro no The …