Médicos “não vão deixar grávidas desprotegidas” e vão fazer de enfermeiros

Marcello Casal Jr. / ABr

O bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, garantiu hoje que os clínicos não vão deixar as grávidas sem assistência, sublinhando que o “dever de assistir” as mulheres sobrepõe-se a outras questões.

“Se for necessário, os médicos não vão deixar as grávidas desprotegidas. Há um apelo para que os hospitais criem as condições de trabalho necessárias para podermos dar as respostas adequadas”, afirmou Miguel Guimarães, insistindo que “os hospitais vão ter de reforçar o seu capital humano em termos de médicos de obstetrícia”.

Em declarações após uma reunião do Fórum Médico, em Lisboa, o bastonário lembrou que “quem define as competências médicas em Portugal é a Ordem dos Médicos” e não outras ordens profissionais.

Referindo-se ao protesto dos enfermeiros especialistas, que está a afetar blocos de parto, Miguel Guimarães considerou que a situação “gera fragilidades nas expetativas” dos portugueses, nomeadamente nas das grávidas.

“Os médicos estão disponíveis para assegurar todos os cuidados que forem necessários às grávidas. Os médicos têm de facto essas competências e das quais não irão abdicar. Temos o dever de auxílio em situações de urgência e vamos assegurar os cuidados de que as mulheres grávidas necessitem”, declarou.

Questionado explicitamente sobre se isso significa substituir as funções dos enfermeiros especialistas em protesto, o bastonário respondeu afirmativamente, indicando que isso ocorrerá em caso de necessidade.

“Significa que os hospitais vão ter de reforçar o seu capital humano em termos de médicos de obstetrícia e significa também que estamos disponíveis para continuar a assegurar o que sempre assegurámos e a ir mais longe caso seja necessário”, acrescentou.

Miguel Guimarães lembrou ainda que o ministro da Saúde é o detentor da “responsabilidade máxima pelo que acontece na área” e, como tal, “tem de estar disponível para pagar as respetivas horas extraordinárias que se revelem fundamentais para existir uma resposta adequada” às grávidas.

Apesar de reiterar que considera de “legalidade duvidosa” a forma de protesto dos enfermeiros especialistas, que deixaram de cumprir funções especializadas pelas quais ainda não são pagos, o bastonário disse que o papel daqueles profissionais “é fundamental”.

Os enfermeiros especialistas de saúde materna e obstetrícia estão em protesto há mais de uma semana, não cumprindo as funções especializadas pelas quais ainda não são pagos. O protesto seguiu-se a outro, nos mesmos moldes, ocorrido em julho, e que foi interrompido para negociações com o Governo.

Os profissionais têm dito que se vão sentindo “ameaçados e coagidos pelos Conselho de Administração” dos hospitais sobre eventuais processos disciplinares.

Um parecer do Conselho Consultivo da Procuradoria Geral da República, pedido pelo ministro da Saúde, veio considerar ilegítima esta forma de protesto dos enfermeiros, adiantando que podem ser responsabilizados disciplinarmente.

A bastonária da Ordem dos Enfermeiros afirmou no domingo que ao longo da última semana foram entregues vários pedidos de suspensão de título de enfermeiros especialistas em saúde materna e obstétrica.

Esta suspensão de título, explicou a bastonária Ana Rita Cavaco, retira-lhes a possibilidade de exercer competências especializadas que só podem ser exercidas por pessoas detentoras do mesmo, sendo-lhe passado o título de generalistas.

Lusa // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Francisco Rodrigues dos Santos admite que tem sido "difícil" juntar o CDS (mas "não por falta de iniciativa")

Francisco Rodrigues dos Santos, presidente do CDS-PP, afirmou, numa entrevista ao Jornal de Notícias e TSF que tem sido "difícil" conquistar a coesão do partido. Em entrevista ao Jornal de Notícias e à TSF, o líder …

Isabel dos Santos usou equipa de espiões para provar "conspiração" e "vingança" de João Lourenço

A empresária Isabel dos Santos contratou uma firma de antigos agentes secretos israelitas para provar que foi vítima de um ataque orquestrado pelo governo de João Lourenço. Isabel dos Santos criou uma equipa de espiões para …

"Perdemos o avô da nação". Morte do príncipe Filipe deixou "um grande vazio" na vida de Isabel II

A morte do príncipe Filipe, duque de Edimburgo, na sexta-feira, aos 99 anos, deixou a Rainha Isabel II, sua esposa, com "um grande vazio na sua vida", disse este domingo aos jornalistas o seu filho …

Mapa online interativo ajudou indígenas do Panamá a fazer frente à pandemia

Quando a covid-19 chegou ao Panamá no ano passado, o cartógrafo Carlos Doviaza temeu pelas pessoas indígenas da sua comunidade. Por isso, para as ajudar, dedicou-se a fazer aquilo que faz melhor: mapas. "Pensei: 'Porque não …

"A política ama traição, mas despreza o traidor". Sócrates acusa PS de "ataque injusto" (e diz-se alvo de "vingança" da direita)

"A política ama a traição, mas despreza o traidor". No livro "Só Agora Começou", que será publicado nos próximos dias, José Sócrates acusa a atual direção do PS de traição. De acordo com o Diário de …

Portugal regista mais 566 casos e seis óbitos por covid-19

Portugal registou, este domingo, mais seis mortes e 566 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da Direção-Geral da Saúde …

PS quer que Cavaco Silva diga "quando é que soube do buraco do BES"

O PS quer que o antigo Presidente da República Cavaco Silva esclareça "quando é que soube do buraco do BES" e porque é que "não agiu atempadamente" para evitar o aumento de capital, que gerou …

Perdoar o passado, celebrar o renascimento e cumprir tradições. A primavera traz o Nowruz, o ano novo persa

Assim que as flores começam a desabrochar e os dias ficam mais longos, fica claro que o Nowruz está prestes a chegar. A celebração do ano novo iraniano é secular, com raízes que remontam a …

“Mostrámos que sabemos governar”. Bloco apresenta candidata a Lisboa (e abre a porta a acordo com PS)

O Bloco de Esquerda apresentou a candidatura de Beatriz Gomes Dias à Câmara Municipal de Lisboa, pediu “mais força” para determinar a governação da cidade e abriu a porta a novos entendimentos com o PS …

Fé nos números. Foi o voto não religioso que Donald Trump perdeu em 2020 

Em novembro de 2020, Joe Biden foi eleito Presidente dos Estados Unidos da América. Uma análise revelou recentemente que a derrota de Donald Trump dependeu daqueles que não se identificam com nenhuma religião. Ryan Burge, professor …