Martin Schulz é contra aplicação de sanções a Portugal

Tiago Petinga / Lusa

O presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, durante o seu discurso no 21º Congresso do PS

O presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, durante o seu discurso no 21º Congresso do PS

O presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, manifestou-se hoje de forma clara contra a eventual aplicação de sanções a Portugal por parte da Comissão Europeia, numa intervenção muito aplaudida no 21.º Congresso do PS.

“Sabem que costumo ser muito direto: sou contra as sanções a Portugal, claro e simples. Sei que o Governo português está a negociar com a Comissão e internamente no país e tenho a certeza que haverá uma solução muito construtiva”, disse, defendendo que os sacrifícios que os portugueses fizeram têm de ser um elemento a incluir na análise sobre esta matéria.

Martin Schulz, apresentado pelo presidente do PS, Carlos César, como “um amigo de Portugal”, classificou o Congresso dos socialistas, que decorre até domingo em Lisboa, como “uma das mais importantes reuniões da Europa”.

O Partido Socialista governa o país e dá esperança a todos os partidos socialistas na Europa e é do que precisamos na União Europeia”, defendeu o presidente do Parlamento Europeu.

Na sua intervenção, o socialista Schulz propôs uma maior solidariedade entre os países da zona euro e disse ter “uma certa compreensão” pelas pessoas que atualmente duvidam da justiça da União Europeia.

“Enfrentamos uma situação em que especuladores fazem biliões de lucros e não pagam impostos, mas quando enfrentam perdas os contribuintes têm de pagar por eles, isto não é União Europeia”, disse o alemão, recolhendo muitos aplausos.

Para o presidente do Parlamento Europeu, um dos maiores objetivos da União Europeia terá de ser uma política fiscal comum e pediu maior solidariedade em temas globais como os refugiados, alterações climáticas e terrorismo.

“Estamos a criar uma crise a que chamamos de crise de migrantes, que é uma crise feita em casa, que nós criámos”, disse, defendendo que se apenas cinco países – incluindo Portugal – estão disponíveis a receber refugiados porque 22 não os aceitam “então isto é um problema”.

Schulz deu como exemplo da boa integração em Portugal uma visita que fez na sexta-feira a um jardim-de-infância perto de Lisboa, em que as crianças da escola brincavam lado a lado com as crianças refugiadas.

“Esta é a melhor forma de integração, é a resposta que precisamos no século XXI”, disse.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Eduardo Bolsonaro e dois ministros de Estado testam positivo à covid-19

O filho do Presidente do Brasil, que também é deputado federal, é o terceiro membro da delegação brasileira que viajou para os EUA a testar positivo para a covid-19. O deputado federal brasileiro Eduardo Bolsonaro, filho …

Avião russo invade espaço aéreo da Estónia pela sexta vez este ano

A Estónia informou na quinta-feira que um avião da força aérea russa violou o seu espaço aéreo, sendo o sexto incidente do género este ano. A intrusão terá ocorrido ao meio-dia de quarta-feira, quando o avião …

Abel montou uma "equipa pequena, a jogar sempre com receio"

Opinião proveniente do Brasil lamenta a forma como o campeão sul-americano se apresenta em campo. É campeão sul-americano, por ter vencido a última Copa Libertadores, está a um jogo de estar novamente na final da Libertadores …

Pandemia com tendência decrescente nos serviços de saúde e na mortalidade

Portugal regista uma situação pandémica de “intensidade moderada”, mas com uma tendência decrescente da pressão sobre os serviços de saúde e na mortalidade associada à covid-19, refere o relatório das “linhas vermelhas” hoje divulgado. Segundo a …

Vacinas da gripe vão ser dadas nos centros de vacinação covid-19

Os centros de vacinação usados para administrar as vacinas contra a covid-19 vão também passar a ser usados para vacinar contra a gripe. Numa nota enviada às redações, a task force anunciou que os centros de …

Irmã de Kim Jong-un diz que acabar com a Guerra da Coreia é uma "ideia admirável"

Esta sexta-feira, Kim Yo-jong, irmã do líder norte-coreano Kim Jong-un, disse que o país está disposto a retomar as conversações com a Coreia do Sul se o vizinho não provocar o Norte com políticas hostis. Ri …

"Que se lixe o Congresso", diz líder do CDS

O líder centrista Francisco Rodrigues dos Santos disse não estar "minimamente preocupado" nem "concentrado em táticas para congressos internos". O presidente do CDS disse esta sexta-feira que não está “minimamente preocupado” com a próxima reunião magna …

Detidos CEO e chairman do grupo HNA, antigo acionista da TAP

Chen Feng e Tan Xiangdon, o chairmain e o CEO do grupo HNA, que já deteve uma participação na TAP, foram detidos esta sexta-feira.  O chairmain e o CEO do grupo HNA terão sido detidos na …

OMS inclui mais dois medicamentos nas recomendações para tratamento

A Organização Mundial de Saúde (OMS) acrescentou na quinta-feira dois medicamentos à lista de fármacos admitidos para tratamento da covid-19 e pediu à farmacêutica que os produz para baixar os preços e levantar as patentes. O …

Puigdemont em liberdade, mas com proibição de sair da Sardenha

O Tribunal de Recurso de Sassari decidiu, esta sexta-feira, deixar em liberdade o ex-presidente catalão Carles Puigdemont. Enquanto decorrer o processo judicial, não pode sair da ilha italiana. Carles Puigdemont saiu em liberdade esta sexta-feira, depois …