Moro quer investigação a referência a Bolsonaro sobre morte de Marielle

Marcelo Camargo / Abr

Sérgio Moro

O ministro da Justiça do Brasil solicitou à Procuradoria-Geral da República (PGR), esta quarta-feira, a abertura de uma investigação sobre a referência ao Presidente brasileiro no inquérito sobre o homicídio da ativista Marielle Franco.

Sérgio Moro alegou que há inconsistência nas informações sobre o caso e que pode ter ocorrido um erro na investigação conduzida no estado do Rio de Janeiro ou até mesmo uma tentativa de envolvimento indevido do nome do Presidente da República no crime.

Uma reportagem da Globo, difundida na terça-feira, informou que um dos suspeitos de participar no homicídio de Marielle Franco esteve no condomínio de Jair Bolsonaro, no Rio de Janeiro, a 14 de março de 2018, dia em que a política e ativista dos direitos humanos e o seu motorista foram executados, quando viajavam de carro depois de um ato político com mulheres negras.

Um porteiro do condomínio, citado pela Globo, disse que o ex-polícia Élcio Queiroz, já formalmente acusado de ter sido um dos autores materiais do crime, afirmou à entrada que queria visitar Jair Bolsonaro, então deputado federal.

Segundo a mesma fonte, alguém de casa de Bolsonaro autorizou a entrada, mas Queiroz acabou por dirigir-se à residência de Ronnie Lessa, acusado de balear Marielle horas depois, naquele mesmo dia, e que vive no mesmo condomínio que Bolsonaro.

De acordo com o registo da Câmara dos Deputados brasileira, Bolsonaro estava em Brasília em 14 de março de 2018.

João Paulo Martinelli, advogado criminalista e professor de direto penal da Escola de Direito do Brasil (EDB), disse à Lusa que, embora o ministro da Justiça não tenha poder de interferir nas investigações conduzidas pela Polícia Civil do Rio de Janeiro, o pedido enviado à PGR para investigar o depoimento é uma prerrogativa das suas funções.

“O ministro da Justiça pode requerer a apuração sobre as circunstâncias do depoimento dado pelo porteiro, mas ele não poderá conduzir as investigações (…) Isto ocorre porque em investigações de crimes contra a honra que envolvam a pessoa do Presidente da República do Brasil é preciso haver uma representação do ministro da Justiça”, afirmou.

“Esta é uma das poucas exceções em que o Ministro da Justiça pode representar o Presidente da República, mas esta representação nada mais é do que um pedido, uma manifestação de interesse de que a suposta vítima [Bolsonaro] quer a investigação”.

Neste caso, o porteiro que disse ter aberto a porta para os supostos assassinos de Marielle Franco atendendo pedido de alguém que estava dentro da casa do Presidente brasileiro passaria a ser suspeito de crime e não mais uma testemunha.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Morreu um dos jovens infetados com peste negra na Mongólia

Morreu um dos jovens infetados com peste bubónica, também conhecida como peste negra, na Mongólia. O rapaz contraiu a doença depois de ter comido carne de marmota. Um jovem de 15 anos morreu, esta segunda-feira, vítima …

PCP quer Costa no Parlamento de 15 em 15 dias (e não vai contribuir para acabar com os debates quinzenais)

O PCP não concorda que será o fim da democracia caso os debate quinzenais passem a mensais. No entanto, não vai contribuir para acabar com este modelo. Ao Expresso, o deputado comunista António Filipe Duarte garantiu …

"Espero contar tudo o que sei". Cientista chinesa fugiu da China para alertar que "não temos muito tempo"

A virologista chinesa Li-Meng Yan, que fugiu para os Estados Unidos, deu uma segunda entrevista à Fox News, na qual alertou que "não temos muito tempo".   Li-Meng Yan, especialista em virologia e imunologia, era uma …

Galp perde 60 milhões de euros em negócios não autorizados

A Galp perdeu 60 milhões de euros em negócios não autorizados com licenças de CO2. A petrolífera já avançou com ações disciplinares e uma auditoria. A Galp informou que foram identificadas transações, não autorizadas pela empresa, …

"Bandeira vermelha". Tóquio em alerta máximo após aumento de novas infeções

A capital do Japão, Tóquio, com 14 milhões de habitantes, está no nível mais alto de alerta para o novo coronavírus após um aumento dos casos registados. “Os especialistas disseram-nos que a situação das infeções está …

Operação Saco Azul. Empresas "zombie" terão desviado 1,8 milhões do Benfica

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, e a SAD do clube lisboeta foram constituídos arguidos pelo crime de fraude fiscal, no âmbito da operação ‘saco azul’, confirmou esta terça-feira à agência Lusa fonte oficial …

Maçãs com preços em alta, menos vinho e cerveja a estragar-se (os efeitos da pandemia)

A pandemia de covid-19 está a levar milhares de litros de cerveja a estragar-se, enquanto os produtores de vinho temem uma quebra na produção e, logo, nos lucros. Enquanto isso há menos maçãs e mais …

TAD anula sanção de cinco jogos à porta fechada ao Benfica

O Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) deu provimento ao recurso do Benfica e revogou a sanção de cinco jogos à porta fechada imposta pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF) ao clube, pelo apoio prestado a …

Costa vira à esquerda, mas Catarina Martins diz que "não pode ser só conversa"

Esta quarta-feira, António Costa lança as negociações para o Orçamento do Estado para 2021 com os partidos que, até aqui, foram seus aliados. O primeiro-ministro insiste que o caminho da sua governação passa por entendimentos à …

No novo ano letivo, a Educação Física continua a ser maior incógnita

No início de julho, o Ministério da Educação anunciou algumas orientações sobre o próximo ano letivo que não contemplavam a Educação Física e o futuro da disciplina continua a ser uma incógnita.  Nas escolas, a falta …