Moro quer investigação a referência a Bolsonaro sobre morte de Marielle

Marcelo Camargo / Abr

Sérgio Moro

O ministro da Justiça do Brasil solicitou à Procuradoria-Geral da República (PGR), esta quarta-feira, a abertura de uma investigação sobre a referência ao Presidente brasileiro no inquérito sobre o homicídio da ativista Marielle Franco.

Sérgio Moro alegou que há inconsistência nas informações sobre o caso e que pode ter ocorrido um erro na investigação conduzida no estado do Rio de Janeiro ou até mesmo uma tentativa de envolvimento indevido do nome do Presidente da República no crime.

Uma reportagem da Globo, difundida na terça-feira, informou que um dos suspeitos de participar no homicídio de Marielle Franco esteve no condomínio de Jair Bolsonaro, no Rio de Janeiro, a 14 de março de 2018, dia em que a política e ativista dos direitos humanos e o seu motorista foram executados, quando viajavam de carro depois de um ato político com mulheres negras.

Um porteiro do condomínio, citado pela Globo, disse que o ex-polícia Élcio Queiroz, já formalmente acusado de ter sido um dos autores materiais do crime, afirmou à entrada que queria visitar Jair Bolsonaro, então deputado federal.

Segundo a mesma fonte, alguém de casa de Bolsonaro autorizou a entrada, mas Queiroz acabou por dirigir-se à residência de Ronnie Lessa, acusado de balear Marielle horas depois, naquele mesmo dia, e que vive no mesmo condomínio que Bolsonaro.

De acordo com o registo da Câmara dos Deputados brasileira, Bolsonaro estava em Brasília em 14 de março de 2018.

João Paulo Martinelli, advogado criminalista e professor de direto penal da Escola de Direito do Brasil (EDB), disse à Lusa que, embora o ministro da Justiça não tenha poder de interferir nas investigações conduzidas pela Polícia Civil do Rio de Janeiro, o pedido enviado à PGR para investigar o depoimento é uma prerrogativa das suas funções.

“O ministro da Justiça pode requerer a apuração sobre as circunstâncias do depoimento dado pelo porteiro, mas ele não poderá conduzir as investigações (…) Isto ocorre porque em investigações de crimes contra a honra que envolvam a pessoa do Presidente da República do Brasil é preciso haver uma representação do ministro da Justiça”, afirmou.

“Esta é uma das poucas exceções em que o Ministro da Justiça pode representar o Presidente da República, mas esta representação nada mais é do que um pedido, uma manifestação de interesse de que a suposta vítima [Bolsonaro] quer a investigação”.

Neste caso, o porteiro que disse ter aberto a porta para os supostos assassinos de Marielle Franco atendendo pedido de alguém que estava dentro da casa do Presidente brasileiro passaria a ser suspeito de crime e não mais uma testemunha.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Disney+ alerta para estereótipos racistas. Filmes clássicos com avisos sobre "maus tratos"

Embora já exibisse mensagens padrão desde o ano passado, a nova plataforma de vídeo Disney+ mostra agora um aviso, que não pode ser passado à frente, no início de vários filmes clássicos - como Dumbo …

Curados da covid-19 continuam com sintomas meses depois de terem contraído o vírus

Um estudo da Universidade de Oxford indica que 64% dos pacientes hospitalizados com o novo coronavírus apresenta falta de ar 2 a 3 meses depois de serem infetados. E quase 40% tem sintomas de depressão. Já …

Portugal vai estar no Mundial sub-20 (sem jogar o apuramento)

Todas as fases do Europeu sub-19 foram canceladas e a seleção portuguesa foi uma das eleitas para participar no Mundial do próximo ano. Portugal já sabe que vai estar na fase final do Mundial sub-20 (se …

Novos implantes cardíacos podem salvar 10 mil vidas por ano

O chamado envelope antibiótico envolve o implante cardíaco e previne infeções no paciente. Por ano, morrem cerca de 10 mil pessoas devido a infeções geradas pelo implante. O pacemaker é um pequeno aparelho que é colocado …

Banda dá concerto com músicos e público envoltos em bolhas de plástico para evitar contágio

A banda norte-americana Flaming Lips utilizou bolhas insufláveis ​​de tamanho humano num concerto em Oklahoma, uma solução para proteger os músicos e o público do novo coronavírus, enquanto tenta encontrar uma forma segura para atuar …

EUA. Especialista diz que as próximas semanas "vão ser as mais negras de toda a pandemia"

Um especialista em doenças infecciosas disse que no caso dos Estados Unidos, as próximas seis a 12 semanas vão ser as mais negras de toda a pandemia de covid-19. Michael Osterholm, diretor do Centro de Investigação …

Chelsea inscreve... Petr Cech

Antigo guarda-redes poderá voltar aos relvados nesta época, embora seja pouco provável, para já. Petr Čech entrou em campo pela última vez em maio de 2019, há quase um ano e meio. Já tinha anunciado a …

Disparos de satélites e naves do Star Trek? Relatório revela como seria uma guerra no Espaço

A criação da Força Espacial dos Estados Unidos evocou todos os tipos de noções fantasiosas sobre o combate no Espaço. Assim, um novo relatório explica o que é física e praticamente possível quando se trata …

Japão prepara-se para lançar água tratada de Fukushima no mar

O Japão vai libertar mais de um milhão de toneladas de água tratada da usina nuclear de Fukushima no mar, numa operação que levará cerca de 30 anos para ficar concluída. Ambientalistas e pescadores locais …

Turismo de mergulho? Submarino da "frota perdida" de Hitler aguarda o seu destino no fundo do Mar Negro

Coberto por “redes fantasmas” deixadas por pescadores, os destroços de um submarino U-20 enviado para o Mar Negro pela Alemanha nazi tornou-se recentemente tema de um documentário produzido na Turquia. Localizado a uma profundidade de 20 …