Marcelo pressiona Pedro Nuno (que pode vir a “estragar por completo” o ano de 2025)

11

Estela Silva / LUSA

Marcelo Rebelo de Sousa

Chefe de Estado alerta para “crise política” e “consequência fatal” para os fundos europeus caso o secretário-geral socialista opte mesmo por chumbar o próximo Orçamento. “É muito, muito prioritário” aprová-lo, diz.

Um chumbo do Orçamento de Estado para 2025 (OE2025) por parte do Partido Socialista (PS) pode abrir uma “crise política” e “estragar por completo o ano de 2025”, especialmente no que toca à aplicação do Plano de Resolução e Resiliência (PRR) e do Portugal2030.

O aviso preocupado chegou do Presidente da República no almoço das comemorações dos 40 anos da Associação Nacional dos Municípios Portugueses, avança o Diário de Notícias esta terça-feira, e é dirigido em especial a Pedro Nuno Santos, que garantiu este mês: já não é “praticamente impossível”  — como reafirma desde a noite de legislativas — o PS viabilizar o OE2025. É apenas “muito difícil”. Decisão, só algures no outono.

Marcelo terá ficado “impressionado” ao aperceber-se da “preocupação com a consequência fatal para os fundos europeus” junto dos autarcas socialistas, mas também dos sociais-democratas, caso o secretário-geral socialista venha a reprovar o plano orçamental da Aliança Democrática (AD).

“É muito, muito prioritário” que o OE2025 possa ” na altura devida, ser ponderado e aprovado”, sublinhou Marcelo, sempre a salientar a importância dos fundos europeus: “Parece sensato não perdermos a prioridade e o foco nos fundos europeus em 2024 e 2025”.

Além disso, um eventual chumbo, diz Marcelo perante os presidentes das várias Câmaras, criaria dificuldades “adicionais” aos autarcas — especialmente visto que é ano de eleições autárquicas.

Entretanto, Pedro Nuno já terá caído na “teia” lançada por Montenegro, quando este último questionou na tomada de posse se “o PS será oposição ou força de bloqueio”.

“Já nos comprometemos publicamente com um Retificativo e com a aprovação do Programa do Governo [já aprovado], mas foi cedo demais. Houve precipitação e deixou espaço a Montenegro para dizer que não faz sentido o PS aprovar o Programa da AD e depois no Orçamento do Estado chumbar as medidas desse mesmo programa”, diz ao DN fonte parlamentar.

Tomás Guimarães, ZAP //

11 Comments

  1. Tivesse o PR mantido António Costa no governo e não havia instabilidade governativa. Que grande lata que este tem! Provocou a crise e agora “aí Jesus”.

    12
    6
  2. Este presidente é uma vergonha.
    Cínico, mentiroso e intriguista, em nada contribui para a pacificação da vida política e, com a sua acção apenas desprestigia as instituições.
    Senhor Presidente, o seu tempo acabou!
    Tenha vergonha na cara e demita-se!

    6
    2
  3. Todos dizem aqui que a culpa da queda do governo PS foi do Marcelo, mas foi ele que demitiu o António Costa? Não, o AC é que se demitiu. E se não fosse por ser arguido num processo que, admito, tem algo de duvidoso, que tal por causa dos milhares de euros escondidos no gabinete do seu principal acólito???

    6
    1
  4. Oh Ti Manel vc é que escreveu bem ! O Presidente da república Não DEMITIU o ex-1º ministro António Costa. Este apresentou a sua demissão ao Presidente da República com base numa suspeita de escutas tlfs que por si se escudaram na Procuradora Lucilia Gago e buscas no gabinete do seu assessor e amigo. E, será que um dia os portugueses vão saber o motivo de tal achado ???

  5. que pretende o presidente do PS deste governo? que faz tudo o que eles (PS) não resolveram? é preciso descaramento. PS ???? . faz lembrar PC — quanto pior melhor —- . até esta data só criou problemas aos governantes (bons ou maus)

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.