Marcelo lamenta que “um ou outro português distraído” tenha visto ovação como vaia

João Mavinga / Lusa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (C), durante a Tomada de posse do novo Presidente de Angola, João Lourenço

O Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, lamentou esta segunda-feira, em Luanda, que haja “um ou outro português distraído” que tenha considerado como uma vaia a ovação que Portugal recebeu do povo angolano.

Marcelo Rebelo de Sousa falava terça-feira à noite para a comunidade portuguesa residente em Angola, momentos antes de deixar Luanda, onde participou, hoje, na cerimónia de investidura do novo Presidente de Angola, João Lourenço, durante a qual foi fortemente ovacionado, durante a sua apresentação.

O chefe de Estado português, que chegou segunda-feira a Luanda, referiu ter confirmado durante a sua estada no país, “o calor inequívoco do povo angolano relativamente a Portugal e aos portugueses, que não tem a ver com a pessoa do Presidente”.

“A ovação de hoje, claramente superior a todas às outras na cerimónia, não foi dirigida à pessoa do Presidente, fosse o Presidente qualquer um, teria sido dirigida à Portugal e aos portugueses e eu só estranho o facto de haver portugueses que não gostam de ser aplaudidos por povos irmãos”, criticou.

No momento da cerimónia em que são anunciados os chefes de Estado convidados, ao chegar a vez de Marcelo Rebelo de Sousa, além de fortes aplausos ouvem-se igualmente assobios – que na cultura angolana serão na realidade manifestações de alegria e aclamação.

Entre aplausos e assobios, a ovação a Marcelo foi a mais efusiva dos assistentes, que não a dispensaram a mais nenhum dos chefes de estado presentes. Segundo o presidente português, os aplausos poderiam não ter acontecido e até “ninguém esperaria que tivessem acontecido”.

“Mas, tendo acontecido, é estranho que sejam os presidentes dos outros países, os diplomatas dos outros países, a notarem e a felicitarem como os angolanos gostam dos portugueses e haja um ou outro português distraído que entenda que aquilo que os povos consideraram um aplauso acabou por ser uma vaia“, ironizou.

Marcelo Rebelo de Sousa aplaudiu ainda as relações de fraternidade entre os dois povos, que se apoiam mutuamente, em momentos difíceis.

“Os povos português e angolano fizeram uma escolha, essa escolha tem a ver com a nossa história, com a nossa cultura, com a língua comum, com muito daquilo que uns e outros nos demos ao longo dos séculos, mas também tem a ver com hoje e com o amanhã”, concluiu.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Banco BiG: EUA e China vão chegar a acordo, mas não será duradouro

No "Outlook" para 2020, os analistas do banco BiG defendem que será improvável que Estados Unidos e China cheguem a um consenso suficiente para reverter as taxas aduaneiras impostas. De acordo com os analistas do banco …

Alemanha expulsa dois diplomatas russos. Rússia vai tomar medidas

Dois diplomatas russos, acusados pelo Ministério Público alemão de falta de cooperação na investigação de um homicídio, foram expulsos da Alemanha. A Rússia já reagiu e avisou que tomará medidas. Esta quarta-feira, a Alemanha expulsou "com …

Segurança Social demora quase cinco meses a pagar pensões

Em 2018, os beneficiários da Segurança Social tiveram de esperar, em média, 147 dias - cerca de cinco meses -, entre o dia que se aposentaram e o momento que começaram a receber a pensão …

Empresas fechadas e 28 mil despedimentos. Setor têxtil pode atravessar crise

Até 2025, a indústria têxtil em Portugal pode ver um terço das empresas a fecharem e 28 mil trabalhadores a serem despedidos. Este é o pior cenário equacionado no setor nos próximos anos. O setor da …

Ministério Público arquiva queixa de Aguiar-Branco contra Ana Gomes por difamação

Aguiar Branco tinha levantado um processo de difamação a Ana Gomes por declarações sobre alegadas ligações entre o seu escritório de advogados e o grupo Martifer. O Ministério Público (MP) arquivou a queixa apresentada pelo ex-ministro …

66 louvores a funcionários. Centeno é o ministro mais "agradecido" de todo o Governo

Mário Centeno e os seus secretários de Estado publicaram em Diário da República 66 louvores. O seu gabinete garante que não há qualquer significado político associado - nem mesmo uma despedida anunciada. O louvor é dado …

Os glaciares da Nova Zelândia estão a mudar de cor

À medida que o Hemisfério Sul entra no verão, acontece uma temporada catastrófica de incêndios florestais na costa leste da Austrália. Há casas destruídas, coalas a morrer e um fumo espesso que cobre o estado …

Não se irrite. Fisco vai comunicar de forma mais clara

A Autoridade Tributária e Aduaneira vai lançar um serviço de apoio e defesa ao contribuinte que usará uma linguagem mais simples e clara. A alteração é inspirada num modelo britânico. A Autoridade Tributária e Aduaneira vai …

Juiz Rui Rangel justificou ganhos com direitos de autor de programa televisivo

O juiz afirmou, perante o plenário do Conselho Superior da Magistratura, que os ganhos fora da magistratura correspondiam a direitos de autor de um programa na televisão. O juiz Rui Rangel, que foi demitido da magistratura esta …

Governo faz ultimato: empresas têm 30 dias para regularizar fundos europeus parados (ou devolver dinheiro)

O Governo vai dar 30 dias para que as empresas que têm fundos comunitários parados regularizem a situação. Findo esse período, terão de devolver o dinheiro. José Mendes, secretário de Estado do Planeamento, garantiu, em entrevista …