//

Maioria dos portugueses apoia Governo na questão dos colégios

16

Tiago Petinga / Lusa

Manifestantes contra os cortes nos colégios privados protestam no último dia do 21 Congresso do Partido Socialista

Manifestantes contra os cortes nos colégios privados protestam no último dia do 21 Congresso do Partido Socialista

Sondagem divulgada pelo Correio da Manhã mostra que quase oito em cada dez portugueses concorda com a posição do Governo relativamente ao ensino particular.

Cerca de oito em cada dez portugueses dão razão ao Governo socialista quando se fala em aplicar cortes nos subsídios dirigidos ao ensino privado e cooperativo.

Foi esta a conclusão de uma sondagem feita pelo Correio da Manhã, juntamente com a Aximage, na qual 78,7% apoia a decisão do Governo e apenas 13,9% dos inquiridos dão razão aos colégios.

Os resultados foram obtidos com base em mais de 600 entrevistas e, segundo o CM, não está a causar qualquer espanto junto dos dois lados envolvidos nesta polémica.

“Não me surpreende nada. Andámos na rua a recolher assinaturas para a petição contra o duplo financiamento da educação e não me lembro de nenhuma causa mais consensual”, diz o secretário-geral Mário Nogueira ao diário.

Recorde-se que a Fenprof conseguiu levar, na passada sexta-feira, um documento com mais de 71 mil assinaturas ao Parlamento em defesa da escola pública.

Manuel Bento, do movimento Defesa da Escola Ponto, afirma que o resultado “é compreensível”, uma vez que se trata do “reflexo da má informação que as pessoas têm sobre o que são escolas com contratos de associação”.

No último Congresso do PS, que aconteceu este fim-de-semana, dezenas de pessoas decidiram protestar à porta da FIL, em defesa dos contratos de associação.

Relativamente às denúncias de alegada pressão por parte de alguns colégios para conseguir que os seus alunos e familiares participassem nos últimos protestos, a Fenprof disse ainda ao jornal que vai denunciar mais casos deste género.

Os últimos casos estão agora a ser averiguados pela Inspeção Geral da Educação e Ciência (IGEC).

ZAP

16 Comments

  1. Obviamente!
    A máfia dos colégio bem tenta manipular, mas as pessoas estão minimamente informadas e não vão nas cantigas desses empresários parasitas (e da escumalha do CDS ou outros que tal)!…

  2. Obviamente que apoiam, durante anos e com a clara protecção da direita os donos dos colégios privados enriqueceram ás custas dos impostos dos portugueses e a mama tinha que acabar!Quem quer ir para o privado pode mas paga do seu bolso!O estado não é obrigado a apoiar os privados quando têm escolas publicas ao lado e sem alunos e com professores com horário zero mas a receber!!!

  3. Já disse e repito:
    Não tenho nada contra ou a favor da escola pública versus escola privada, mas fazer uma mudança de paradigma na educação com a argumentação que há “um colégio com 27 estabelecimentos públicos a menos de 10 quilómetros” é o mesmo que dizer que há 27 estabelecimentos públicos e um colégio a menos de 10 quilómetros, ou não é?
    Porque se gastou e continua-se a gastar tanto dinheiro público a fazer 27 estabelecimentos públicos e um privado, para ser usado a “metade da sua capacidade”?
    Por outro lado, se a tendência é a pirâmide etária se inverter e diminuir o número de crianças nas escolas, as consequências daí advintes é só uma questão de tempo, quer sejam públicas quer sejam privadas.

  4. SE PERGUNTAREM AO POVO SE DEVERIAMOS R3EDUZIR OS SALARIOS DOS MENBROS DEO GOBERNOP E DEPUTADOS A RESPOSTA SERIA A MESMA … PALERMAS !

  5. O grande problema não é no fundo a rivalidade em subsidiar o privado ou não desde que este fosse feito pelo mesmo valor do público e não me parece que os valores apresentados para o público tenham em conta tudo o que lhes diga respeito como água, luz e valores das construções e sua manutenção, se assim for tudo bem, o problema maior é a falta de qualidade e irresponsabilidade que vai na escola pública que a cada momento que os sindicatos e partidos mais à esquerda ganham força a degradação, insegurança e o desleixo são maiores e a preocupação dos familiares também além do mau resultado para o futuro do país, aqui é que deveria residir a preocupação mas pelos vistos vamos de mal a pior na brincadeira com novas mudanças e ao acabarem com as privadas resistirão apenas aquelas para os ricos e filhos de ministros e os outros serão atirados para o público sem qualquer alternativa nem concorrência com a irremediável tendência para o desleixo ser maior ainda.

  6. É mesmo uma escumalha: vão lá todos para o desemprego, seus chulos. E a seguir vão os hospitais privados, e os serviços de análises clínicas privados, e as farmácias e as creches das IPSS, e os lares dos velhos e a rede nacional de cuidados continuados de saúde: é só chulos a viver à conta do dinheiro do estado!! Filhos da mãe dos privados que só querem mama! Viva o comunismo!

  7. Se o problema é que não há dinheiro para todos, então façam diferente: Analisem, de forma isenta, as escolas (públicas e privadas) que melhores resultados apresentem. Fechem as outras. Essas escolas e esses professores não fazem falta ao País, nem aos sindicalistas, nem aos comunistas, nem aos socialistas, nem aos socias democratas, nem aos outros movimentos e partidos, nem aos nossos filhos, nem aos futuros governantes, nem aos nossos netos, nem, quando eu morrer, aos nossos bisnetos, trenetos e quadrenetos…

  8. Fico contente em saber que os serviços públicos não custam dinheiro e que todos os que lá trabalham o fazem voluntariamente e sem receber, porque não querem a mama do estado.
    Fico contente em saber que se alunos e pais tiverem mais confiança num projecto privado, escolhendo por essa razão esse projecto educativo, isso custa dinheiro ao estado, mas se o aluno se mantiver na escola publica, então já não custa nada.
    Fico contente em saber que apoiar projectos privados que têm adesão das pessoas é uma despesa, mas apoiar escolas publicas de onde todos querem fugir é um investimento em quem merece.
    Fico contente em saber que um país consegue sobreviver muito bem, mesmo a asfixiar quem trabalha, paga impostos e sustenta o próprio país.
    Fico contente em perceber que estão todos felizes em bater em quem quer trabalhar, em vez de tentar regular esse mesmo trabalho e garantir condições em que o mesmo seja feito de forma justa, equilibrada e sem abusos.
    Fico ainda mais contente em perceber que se maioria das pessoas respondeu desse forma ao inquérito, tal explica a minha dúvida de saber porque é que portugal é um país com o desenvolvimento e sustentabilidade que tem. Há sempre um dia em que as dúvidas acabam por se desvanecer. Obrigado!

      • Se a liberdade existe é porque os seus, os nossos pais a conquistaram. Se a liberdade de expressão existe V. Exa pode ter a sua opinião, mas não estrangule a liberdade de expressão dos outros.

  9. É como em tudo neste desgraçado país.
    As pessoas não percebem que quando é do estado, a intenção é fazer bem ao menor custo possível, sem a intensão de gerar lucro. Convém é que não dê prejuízo.

    Quando é particular, é para dar lucro, sofra quem sofrer. Os senhores acionistas querem o deles e nós pagamos o que for necessário.

    É assim no ensino, na saúde, na energia, até na água que bebemos. “Eles” só dizem quanto custa – nós pagamos o que for.

    Argumentar que o estado é incapaz, talvez, mas se assim é, contratem gestores fora de série para gerir os serviços do estado, mas por favor, deixem de entregar o que é de todos nós aos parasitas.

    Não sei se o que estou a dizer é de esquerda ou direita. Não percebo nada disso. Sei é que, para mim, faz todo o sentido.

    • E já agora não entenderá por parasitas aqueles que à sombra do Estado se encostam com pouco ou nada a produzirem, aqueles que se abrigam nos sindicatos que nada produzem desestabilizam para reinar, os que fazem desfalques e de que maneira e tantos outros pagos acima da média nacional, tudo isto e que serão muitos milhões em euros nada disto o incomodará ?.

  10. NÃO DEIXA DE SER IRÓNICO UM ANO DEPOIS(11-06-2017 O GOVERNO TER:
    Dez dias depois do lançamento do concurso para os colégios estabelecerem contratos de associação, o Ministério da Educação promoveu uma alteração nas normas que beneficia uma escola privada que tem um sócio ligado ao PS.

    PROMESSA FEITA, PROMESSA DESONRADA!!!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE