Macron confirma que vai restabelecer serviço militar obrigatório

presidenciaperu / Flickr

O presidente da França, Emmanuel Macron

O presidente de França, Emmanuel Macron, confirmou que vai restabelecer um serviço militar obrigatório no país, tal como tinha anunciado na campanha eleitoral, quando disse que este duraria um mês.

Sem dar detalhes sobre este projeto, num discurso perante militares na base naval de Toulon, no sudeste do país, Macron afirmou que o chamado “serviço nacional universal” terá um orçamento próprio e que a sua implementação corresponderá a vários ministérios.

Desta forma, o presidente dissipou as dúvidas que tinham surgido sobre uma ideia que esboçou durante a campanha eleitoral do ano passado, mas que parecia deixada de lado após a sua chegada ao Palácio do Eliseu.

Macron não detalhou os elementos deste projeto que, originalmente, deveria abranger todos os jovens durante um mês.

O presidente francês limitou-se a assegurar que o financiamento desse serviço obrigatório não afetará o orçamento de Defesa, que considerou “inédito” em 2018, com um aumento de 1,8% comparativamente com o do ano anterior, até 34,2 mil milhões de euros.

Convencido da necessidade de reforçar a Defesa francesa, Macron reiterou a sua vontade de aumentar o seu orçamento anualmente em 1,7 mil milhões até 2022 e em 3 mil milhões no ano seguinte, para que em 2025 represente 2% do Produto Interno Bruto (PIB) do país.

O presidente assegurou que as forças armadas serão modernizadas, em particular o sistema de dissuasão nuclear e os serviços de informação militar, ao mesmo tempo em que preconizou uma maior cooperação com os demais países da União Europeia.

Neste sentido, Macron garantiu que o exército francês é “cada vez mais uma referência” no âmbito continental e considerou “imprescindível” a colaboração com a Alemanha e “essencial, apesar do ‘Brexit’, com o Reino Unido”, o outro país europeu que possui armas nucleares.

O discurso presidencial de ano novo às forças armadas era muito esperado depois de o ex-chefe do Estado-Maior, Pierre de Villiers, renunciar em julho do ano passado por temer cortes no orçamento militar.

Posteriormente, o general escreveu um livro muito crítico para com Macron que se tornou um grande sucesso de vendas e um dos pontos que prejudicaram a sua popularidade.

// EFE

PARTILHAR

RESPONDER

Boris janta hoje com Merkel para mudar acordo. Maioria quer novo referendo

A pouco mais de dois meses da data marcada para a saída do Reino Unido da União Europeia, uma nova sondagem mostra que a maioria dos britânico quer que qualquer novo acordo vá a referendo. Um …

Oficial: Pardal Henriques candidato a deputado pelo partido de Marinho Pinto

O advogado Pedro Pardal Henriques anunciou esta quarta-feira que aceitou o convite para encabeçar a lista do PDR a Lisboa, deixando de ser porta-voz do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas para "não misturar …

Vem aí um novo filme da saga Matrix

O quarto filme da saga "Matrix" será realizado e produzido por Lana Wachowski e deverá começar a ser rodado no início do próximo ano. A saga cinematográfica "The Matrix" vai ter um novo filme, anunciaram na terça-feira …

Em momento "de vida ou morte" da empresa, Huawei tenta evitar despedimentos

O fundador da Huawei, Ren Zhengfei, escreveu na segunda-feira um comunicado interno no qual admite que a empresa está "num momento de vida ou morte" e pediu aos funcionários que não estão com muito trabalho …

Honduras. Ex-primeira dama condenada por desviar verbas quando marido era Presidente

Um tribunal hondurenho condenou a ex-primeira dama Rosa Elena Bonilla por desviar cerca de 600 mil dólares (540 mil euros) em dinheiro do Governo (2010-2014), quando o marido, Porfirio Lobo, era Presidente. Segundo informou esta quarta-feira …

Maduro confirma conversações ao mais alto nível com EUA

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, confirmou esta quarta-feira que membros do seu governo mantêm contactos de alto nível com funcionários da administração norte-americana de Donald Trump. "[Donald] Trump disse que os Estados Unidos [EUA] dialogam …

Pardal Henriques desmente Marinho e Pinto. Recebeu convite mas ainda não é candidato

O presidente do Partido Democrático Republicano (PDR) anunciou que o porta-voz do SNMMP é candidato às legislativas de outubro. Pardal Henriques confirmou o convite mas diz que ainda não tomou uma decisão. "Pardal Henriques vai ser …

Desemprego registado cai em julho para o valor mais baixo desde 1991

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego em Portugal continua a diminuir. O desemprego registado cai em julho para o valor mais baixo desde 1991. É o chamado desemprego registado que, depois de em …

Nova acusação contra Plácido Domingo. Jornalista espanhola diz que o tenor se aproximou “mais do que devia”

A jornalista espanhola Karmele Marchante acusou o tenor Plácido Domingo de se ter aproximado "mais do que devia com cara de quero, posso e mando". É um dos desenvolvimentos mais recentes do caso Plácido Domingo e …

China confirma detenção de funcionário do consulado britânico em Hong Kong

A China confirmou esta quarta-feira a detenção de um funcionário do consulado britânico em Hong Kong, Simon Cheng Man-kit, desaparecido desde 08 de agosto, numa altura de tensão diplomática entre Pequim e Londres, devido aos …