Macron anuncia cortes de impostos (e pede desculpa por “parecer injusto”)

Philippe Wojazer / EPA

Esta quinta-feira, Emmanuel Macron anunciou “uma baixa significativa do imposto sobre o rendimento para as classes médias” e lamentou “ter dado o sentimento de ser duro, por vezes injusto”.

O Presidente francês, Emmanuel Macron, apresentou esta quinta-feira as suas respostas aos protestos dos coletes amarelos, inspiradas nas sugestões dos franceses dadas durante os meses em que durou o “grande debate”, uma iniciativa de audição das queixas e sugestões dos cidadãos.

“Uma baixa significativa do imposto sobre o rendimento para as classes médias” foi uma das principais promessas de Macron, que disse lamentar “ter dado o sentimento de ser duro, por vezes injusto”.

No que classificou como “um segundo ato” da sua governação, o Presidente saudou as reivindicações dos coletes amarelos, que disse não deverem ser “ocultadas pelos atos violentos praticados por alguns”.

Numa conferência de imprensa no Palácio do Eliseu, Emmanuel Macron disse estar disposto a deixar cair o objetivo de suprimir 120 mil postos de trabalho na função pública e prometeu voltar a incentivar as empresas a darem bónus excecionais no fim do ano, livres de impostos, como aconteceu no ano passado.

Segundo a AFP, o objetivo do Presidente francês “é corrigir injustiças” e assegurar “que o trabalho seja compensador”.

Segundo Macron, o primeiro-ministro Édouard Philippe apresentará em maio “uma profunda reforma da Administração Pública”, que tem como objetivo garantir que “haja mais funcionários no terreno” e disse ainda que pretende pôr fim “às grandes corporações na função pública”.

Além disso, refere o Público, Macron apresentou uma reorganização do Estado, nomeadamente a redução de deputados e a limitação de mandatos para os eleitos políticos e uma nova vaga de descentralização – a revisão constitucional necessária deverá avançar até ao verão, prometeu.

Ainda assim, rejeitou a ideia do referendo de iniciativa cidadã (RIC), que se tornou uma bandeira do movimento dos coletes amarelos, nem a valorização do voto branco nas eleições. No máximo, será reduzido o número mínimo de assinaturas que terão de ser apresentadas à Assembleia Nacional para pedir um referendo popular: de 4,7 milhões para um milhão de assinaturas.

Em relação aos pensionistas, Macron afirmou que uma das intenções é que as reformas “de menos de 2000 euros” voltem a ser atualizadas pelo valor correspondente à inflação a partir de 2020.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Nona Sinfonia de Beethoven revela novos detalhes sobre o cérebro humano

A Nona Sinfonia de Ludwig van Beethoven, 250 anos após a sua criação, ajudou a demonstrar a existência de células conceituais no cérebro. Quase 200 anos depois da morte de Beethoven, a maior obra do músico …

Governo vai suspender devolução dos manuais escolares

O ministro da Educação informou hoje que o Governo vai suspender a devolução de manuais escolares, em curso desde 26 de junho, cumprindo a decisão do parlamento, que aprovou uma proposta nesse sentido. O plenário da …

Cuba prestes a abrir portas ao turismo (exceto aos cubano-americanos)

Depois de fechar as suas fronteiras para os turistas no final de março por causa da pandemia da covid-19, Cuba prepara-se agora para reabrir várias das suas baías ao turismo - mas há algumas exceções. …

Cidade do México enterrou os rios para prevenir doenças, mas a covid-19 resiste e prospera

Na tentativa de evitar a disseminação de doenças como a malária e a cólera, a Cidade do México enterrou os seus rios. Agora, como consequência, criou inadvertidamente as condições necessárias para a covid-19 prosperar. A Cidade …

Descoberto sistema de túneis da I Guerra onde estarão enterrados dezenas de soldados

A Agência do Património da Bélgica anunciou esta semana a descoberta de um sistema de túneis alemão da I Guerra Mundial, onde estarão, muito provavelmente, dezenas de soldados enterrados. Em comunicado, citado pela Russia Today, …

Cinco funcionários da Tesla dizem ter sido despedidos por terem ficado em casa durante a pandemia

Cinco funcionários da produtora automóvel Tesla dizem ter sido despedidos por terem ficado em casa durante a pandemia, avança o The Washington Post. De acordo com o jornal norte-americano, foram cinco os colaboradores dispensados da …

"Qual o lugar mais seguro?". Costa compara infetados no Reino Unido e Algarve

O primeiro-ministro apresentou hoje uma tabela que mostra o Reino Unido muito acima do Algarve em número de infetados com covid-19 por cem mil habitantes e pergunta qual o lugar mais seguro para umas férias …

Azul anuncia venda de 6% da TAP ao Estado por 10 milhões de euros

A companhia aérea brasileira Azul, de David Neeleman, anunciou hoje a venda de 6% da TAP, no âmbito do acordo anunciado esta quinta-feira entre o Estado e os acionistas privados, que “garante a continuação” da …

NASA cria dispositivo que o avisa para não tocar no rosto (e pode ser reproduzido em casa)

A pensar na pandemia, a NASA desenvolveu o PULSE, um colar vibratório que nos alerta se formos tocar no rosto com as nossas mãos. A pandemia de covid-19 alastrou pelo mundo e, enquanto não chega um …

Há mais 11 mortes e 374 novos casos de infecção (300 são na Grande Lisboa)

Portugal regista hoje mais 11 mortos devido à doença covid-19 do que na quinta-feira e mais 374 infectados, dos quais 300 na Região de Lisboa e Vale do Tejo, segundo o boletim da Direcção-Geral da …