Macron anuncia cortes de impostos (e pede desculpa por “parecer injusto”)

Philippe Wojazer / EPA

Esta quinta-feira, Emmanuel Macron anunciou “uma baixa significativa do imposto sobre o rendimento para as classes médias” e lamentou “ter dado o sentimento de ser duro, por vezes injusto”.

O Presidente francês, Emmanuel Macron, apresentou esta quinta-feira as suas respostas aos protestos dos coletes amarelos, inspiradas nas sugestões dos franceses dadas durante os meses em que durou o “grande debate”, uma iniciativa de audição das queixas e sugestões dos cidadãos.

“Uma baixa significativa do imposto sobre o rendimento para as classes médias” foi uma das principais promessas de Macron, que disse lamentar “ter dado o sentimento de ser duro, por vezes injusto”.

No que classificou como “um segundo ato” da sua governação, o Presidente saudou as reivindicações dos coletes amarelos, que disse não deverem ser “ocultadas pelos atos violentos praticados por alguns”.

Numa conferência de imprensa no Palácio do Eliseu, Emmanuel Macron disse estar disposto a deixar cair o objetivo de suprimir 120 mil postos de trabalho na função pública e prometeu voltar a incentivar as empresas a darem bónus excecionais no fim do ano, livres de impostos, como aconteceu no ano passado.

Segundo a AFP, o objetivo do Presidente francês “é corrigir injustiças” e assegurar “que o trabalho seja compensador”.

Segundo Macron, o primeiro-ministro Édouard Philippe apresentará em maio “uma profunda reforma da Administração Pública”, que tem como objetivo garantir que “haja mais funcionários no terreno” e disse ainda que pretende pôr fim “às grandes corporações na função pública”.

Além disso, refere o Público, Macron apresentou uma reorganização do Estado, nomeadamente a redução de deputados e a limitação de mandatos para os eleitos políticos e uma nova vaga de descentralização – a revisão constitucional necessária deverá avançar até ao verão, prometeu.

Ainda assim, rejeitou a ideia do referendo de iniciativa cidadã (RIC), que se tornou uma bandeira do movimento dos coletes amarelos, nem a valorização do voto branco nas eleições. No máximo, será reduzido o número mínimo de assinaturas que terão de ser apresentadas à Assembleia Nacional para pedir um referendo popular: de 4,7 milhões para um milhão de assinaturas.

Em relação aos pensionistas, Macron afirmou que uma das intenções é que as reformas “de menos de 2000 euros” voltem a ser atualizadas pelo valor correspondente à inflação a partir de 2020.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Encontradas fibras de poliéster em todo o Oceano Ártico

Investigadores encontraram fibras de poliéster em todo o Oceano Ártico. As evidências sugerem que lavar as nossas roupas está a contribuir para esta contaminação. Há muito tempo que o Ártico provou ser um barómetro da saúde …

Campus universitários nos Estados Unidos podem tornar-se super-propagadores da covid-19

Os campus universitários podem tornar-se super-propagadores do novo coronavírus, que causa a covid-19, para toda a sua área de abrangência, concluiu uma nova investigação levada a cabo nos Estados Unidos. Analisando os 30 campus universitários …

A "máscara mais inteligente do mundo" é recarregável, tem microfone e dá luz

A Razer afirma ter criado a máscara mais inteligente do mundo. O Projeto Hazel é um design com um revestimento externo feito de plástico reciclado à prova de água e é transparente para permitir a …

Novo tratamento permite que pessoas com lesões na espinal medula voltem a mexer mãos e braços

Uma equipa de investigadores da Universidade de Washington conseguiu ajudar seis participantes com lesões traumáticas da espinal medual a recuperar alguma mobilidade de mãos e braços. Muitas das pessoas que sofrem lesões traumáticas da espinal medula …

Ventiladores comprados à China custaram 1,3 milhões. Autarquias algarvias vão pedir devolução do dinheiro

Os 30 ventiladores comprados à China seriam usados nos hospitais do Algarve, mas os equipamentos não funcionam. Os autarcas vão agora exigir devolução do dinheiro. De acordo com a edição do jornal Público deste domingo, o …

EUA um passo atrás da China. Pequim leva avanço na Guerra Comercial (e as suas exportações estão em alta)

No ano em que a pandemia se expandiu em todo o mundo, muitos países viram-se em mãos com graves problemas financeiros e económicos. No caso da China, a situação foi mais positiva e o país …

Alexei Navalny detido no regresso à Rússia

O líder da oposição russa, Alexei Navalny, foi detido este domingo no aeroporto em Moscovo quando regressava à Rússia. Os serviços prisionais russos (FSIN) detiveram o opositor russo Alexei Navalny, este domingo, à chegada a Moscovo, acusando-o …

Prazo para trocas ou devoluções suspenso durante confinamento

O prazo para efetuar trocas ou devoluções de bens ficará suspenso durante o atual confinamento e as garantias que terminem neste período ou nos 10 dias seguintes serão prorrogadas por 30 dias, segundo diploma publicado …

Desde 2001 que polícias negros alertam para racismo de agentes do Capitólio

Com a invasão do Capitólio, investiga-se o alegado racismo existente na Polícia do Capitólio. Desde 2001 que agentes negros denunciam casos de discriminação racial no departamento. Desde 2001, centenas de agentes policiais negros processaram o departamento …

Um megatsunami devastou uma vila na Gronelândia. Três anos depois, há quem não possa voltar a casa

Em junho de 2017, Nuugaatsiaq, na Gronelândia, foi devastada por um megatsunami, cujas ondas foram desencadeadas por um enorme deslizamento de quase 30 quilómetros através do fiorde. Embora as ondas se tivessem dissipado quando chegaram a …